Seja Bem Vindo!

"Muita gente pequena, em muitos lugares pequenos, fazendo coisas pequenas, mudarão a face da Terra". provérbio africano

Fisális

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Fisalis ou Tomate capote


Engº. Agrº. José Zugno

Ganhei de uma sobrinha da minha irmã sementes de uma planta desconhecida que chamam de capote e plantei. Dá uma frutinha que meu neto gosta de comer. Mando algumas de amostra. Dá para consumir à vontade? Gostaria de obter mais informações sobre a planta.
Helena Scherner
Feliz – RS
Pelo exame trata-se de uma fruta conhecida pelo nome de fisalis, cujo nome científico é Physalis angulata, e é mais uma das tantas plantas úteis que crescem em nosso país. Pertence à família das solanáceas, da qual fazem parte também o tomateiro, a batateira, a berinjela, o pimentão, as pimentas e outras. Já abordei o assunto nesta coluna, na edição de 21 de maio de 1997.
A planta é um arbusto que pode atingir até 2 m de altura, parecido com o juá. Inicia a produção 4 a 5 meses após o plantio e pode produzir por um período de até 6 meses, quando tutorada e bem cuidada.
O fruto é semelhante a um pequeno tomate, bonito, delicado e de sabor único, levemente ácido e adocicado, que não tem comparação com outra fruta. Sua cor vai do amarelado até um forte alaranjado. O fruto mede 1 a 2 cm de diâmetro, pesa 3 a 5 gramas e é protegido por delicadas folhas secas, que uns chamam de capote (cálice concrescido, que envolve o frutinho). Cada planta pode produzir 2 a 4 kg de frutos e num hectare cabem 6.000 plantas.
Parece fruta exótica, mas não é. É brasileira pura, nativa de uma enorme área que vai desde a região sudeste até a Amazônia, passando pelo Nordeste.
São conhecidas 5 variedades. Tem vários nomes populares, dependendo da região. Na Amazônia, os índios a denominam de camapu. Na Bahia recebe os nomes de juá-de-capote, bucho-de-rã e outros. Na Europa e Estados Unidos, é conhecida como physalis.
Solo e clima – Não é exigente em solos, mas como toda solanácea cresce melhor em solos bem drenados, férteis e bem preparados. Muitas pessoas cultivam-na na horta ou no quintal. Produz em todo o Brasil, mas não tolera geadas. A Colômbia é o maior produtor mundial e exporta para os Estados Unidos e Europa a até U$ 16,00 o quilo. Os mercados das grandes capitais começam a oferecer a fruta, que chega a custar até R$ 80,00 o quilo.
Valor medicinal – O fisalis é rico em vitaminas A e C, fósforo, ferro, além de flavonóides, alcalóides e fitoesteróides, alguns recém-descobertos pela ciência. Os índios utilizam a raiz, as folhas e os frutos para o controle da hepatite e da malária. Tem ação fortificante, purifica o sangue e ajuda no tratamento do câncer de próstata, colesterol elevado e diabetes.
Culinária – Na culinária é muito apreciada pelos grandes chefs e gourmets da cozinha internacional na forma de doces, sorvetes, geléias, compotas, no fondue de chocolate, licor e como tira-gosto na degustação de vinhos. Uma delícia é a fruta coberta de chocolate. Não se conhecem restrições ao seu consumo, mesmo por crianças, mas como qualquer outra fruta, não se deve exagerar.
Esta fruta começa a se tornar conhecida no meio urbano brasileiro. Pelas informações da Estação Experimental Santa Luzia, telefone (15) 3258.2024, Guareí (SP), é uma planta com amplo futuro, podendo se constituir numa boa alternativa para a agricultura familiar, tanto para consumo "in natura" como para indústria, contanto que seu incremento seja feito de forma organizada e com assistência técnica agronômica. No RS começa a despertar interesse e já há algumas plantações em produção. Além disso, é planta muito ornamental.
Agradeço a colaboração do engº. agrº. Lírio Londero, chefe da Emater de Feliz. Em Caxias do Sul sementes de fisalis podem ser encontradas na Ruzzarin Agropecuária, rua Bento Gonçalves nº 2221 – telefone (54) 3223 4144.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Primeira colheita de fisalis e paisagismo com moréia.

Neste final de semana realizei a primeira colheita de fisalis no sítio 5 irmãos em Montenegro, RS. Das 4 mudas transplantadas em abril deste ano, sómente uma resistiu ao rigoroso inverno, aqui no sul.

Pretendemos podar galhos desta planta matriz e iniciar o plantio de novas mudas.

MÃOS À OBRA

>>> INÍCIO Adquira sementes para começar a produção de physalis. A fruta não é muito exigente em cuidados, mas há no mercado uma apostila com orientações técnicas de cultivo que oferece instruções para iniciantes na atividade (confira em Mais Informações).

>>> PLANTIO Pode ser realizado o ano inteiro, com preparação e correções do solo a partir de uma análise inicial das condições do terreno. O solo deve contar com bastante matéria orgânica e pH entre 5,5 e 6. Antes, faça o plantio em bandejas de isopor com 128 células, copos de plástico de 300 mililitros ou saquinhos de polietileno de 13 x 13 centímetros. Coloque uma semente em cada célula, que deve contar com substrato próprio para hortaliças. A germinação sob sombreamento de 30% leva de dez a 20 dias para ocorrer.

>>> TRANSPLANTE Com entre 20 e 30 centímetros de altura, transfira as mudas para o local definitivo. Plante-
-as em duplas, lado a lado, e com distância de 30 centímetros entre uma e outra. Quando atingirem cerca de 80 centímetros de altura, faça o tutoramento com técnicas semelhantes às indicadas para o tomateiro.

>>> TUTORAMENTO Acomode um bambu ou outra estaca com dois metros de altura entre as plantas, fixando-as com barbante, para dar firmeza até o fim da produção. A fruteira pode chegar a 2,5 metros de altura.

>>> ESPAÇAMENTO São indicadas as medidas de 0,8 metro de distância entre plantas e entre 1,80 e 2 metros entre linhas.

>>> CUIDADOS Em períodos de muita umidade, aplique calda bordalesa na proporção de 1% a cada 15 dias para evitar o ataque de doenças fúngicas. No caso de combate a pragas, como broca pequena, tripes e ácaros, faça pulverizações a cada oito ou dez dias, principalmente após a colheita. Os defensivos podem ser adquiridos em lojas de produtos agropecuários, com orientação de engenheiros agrônomos, e usados na dose recomendada pelo fabricante. Para a irrigação das plantas, indica-se o sistema de gotejamento.

>>> PRODUÇÃO Começa entre quatro e cinco meses após o plantio e chega a durar de seis a oito meses. Cada planta produz de um a três quilos de frutos, volume que depende do trato cultural realizado durante o desenvolvimento da physalis. Em um hectare podem ser instaladas de 6 mil a 12 mil plantas.

*Arnaldo Moschetto é pesquisador da Estação Experimental Santa Luzia Hortifruticultura Exótica, Rod. Amâncio Xavier da Costa, km 48,5, CEP 18250-000, Guareí, SP, tel. (15) 3258-2024, contato@frutasexoticas.com.br, www.frutasexoticas.com.br.

Onde comprar: sementes comuns e sementes melhoradas geneticamente, por meio de seleção, são vendidas pela Estação Experimental Santa Luzia, que também oferece orientação técnica de cultivo

Mais informações: a Estação Experimental Santa Luzia fornece apostila e livro com instruções de plantio da physalis, tel. (15) 3258-2024, contato@frutasexoticas.com.br

Moréia (Dietes bicolor)


Também realizamos o plantio de moréias para paisagismo, também como quebra-vento e proteção da margem do arroio. Vamos observar como se comportam as mudas, pois o arroio tem aumentado nível de água, a cada chuva torrencial.
Estas mudas retirei de nossa casa, assim o custo foi zero. O que sobra em um lugar, utilizamos em outro que falta.

Origem: Originária da Africa do Sul

Descrição: Planta herbácea, de altura até quase 1,0 metro, com raízes rizomatosas.  As folhas partem direto do rizoma e formam touceira densa de folhas verde-escuras finas e estreitas, flexíveis.

As flores são de flores pequenas semelhantes à íris, com seis pétalas arredondadas dispostas trâs a três, brancas ou na cor creme com pontuação alaranjada ou marrom escuro no centro, reunidas em pecíolos curtos surgindo de um longo, fino e flexível pendão.

As flores surgem ao longo do ano, mas principalmente no verão. Pode ser cultivada em quase todo o país, é tolerante ao calor e a baixas temperaturas.Para produzir moréias, o método mais usado é a separação de touceiras. Retirando toda a planta do solo, lavar as raízes, expondo os rizomas.

Com um tesoura ou faca afiada bem limpa cortar um pedaço de 4 a 6 cm do rizoma, deixando as folhas junto.Se for no verão, o corte da metade das folhas poderá garantir a menor perda de água.
Quando a muda crescer estas folhas deverão ser retiradas para melhor apresentação. Colocar o rizoma em substrato misto de adubo animal de curral curtido e composto orgânico, regando a seguir.


Deixar em cultivo protegido com sombra a 50%, regar frequente para manter a umidade, depois espaçar as regas. Quando a muda estiver pegada, levar para o exterior com sol em comunidade, separando as de flores brancas das amarelas para melhor contagem dos indivíduos.

São comercializadas pelo tamanho da touceira, classificadas em pequena, média e grande. É uma planta excelente para produção pois tem colocação imediata no mercado.


sábado, 30 de novembro de 2013

Colhendo fisális no Sítio Nena Baroni - Itapuã RS


Boa tarde! Com apenas 3 plantas de fisalis, já estamos conseguindo uma bela produção! O solo da região de Itapuã localidade do município de Viamão RS é muito arenoso e ácido. Assim após a correção da acidez do solo e aplicação de adubo orgânico, o resultado é promissor, tanto que o produtor Roberto já está  implantando um canteiro de 30 metros .

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Semear ou plantar fisalis




A physallis, Cape gooseberry ou lanterna chinesa (Physalis peruviana) é da família Solanaceae, juntamente com o tomate. É um arbusto perene que produz flores brancas, seguidos de bagas comestíveis, laranja envolto em uma casca finas. Plantas de Physallis têm geada-curso, mas podem ser overwintered em uma casa verde ou mesmo em ambientes fechados. O fruto tem sabor algo como um cruzamento entre um morango e um tomate e é ligeiramente ácido.

Instruções

Coisas que você precisa

  • Bandeja de sementes
  • Envasamento compost
  • potes de 6 polegadas
  • Estacas de jardim
  1. Semear sementes de physallis na Primavera, diretamente sobre a superfície do composto envasamento úmido em uma bandeja rasa. Cobrir com uma camada fina, escassa do composto peneirada somente 1/8 de uma polegada de espessura. Manter a bandeja em um lugar quente e luminosa, como uma janela, até que as sementes germinam. Semear sementes mais do que o esperado para precisa como a taxa de germinação de sementes de physallis é baixa. Em áreas tropicais as sementes podem ser semeadas diretamente sobre o solo do jardim.
  2. Transplante as mudas em potes individuais de 6 polegadas, uma vez que eles são grandes o suficiente para lidar com. Manter os potes em uma casa verde ou cloche dar-lhes uma vantagem inicial protegida enquanto ele ainda está demasiado frio para plantar em jardim.
  3. Prepare um patch do solo para suas plantas de physallis depois que todos os perigo de geada tiver passado. Eles preferem condições de sol e solo bem drenado, ligeiramente ácido, mas não estão confusos sobre o tipo de solo. Solos pobres mesmo podem produzir mais frutos como muitos nutrientes incentivar as plantas para a produção de folhas ao invés de fruta.
  4. Transplante de mudas fora para o jardim depois de sete semanas. Deixe pelo menos 12 centímetros entre plantas, mais se você planeja permitir que eles fiquem grandes. Coloque uma estaca ao lado de cada planta quando você primeiro planta-las para evitar danos de raiz posterior. Plantas de Physallis não precisa stakes, mas apoio facilita a colheita da fruta.
  5. Aperte as dicas crescente de suas plantas de physallis uma vez que eles são 12 polegadas de altura para incentivar o crescimento espesso e aumentam o rendimento dos frutos.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

The Golden Berry - Fisalis- camapu



This Golden Berry is one of the most adaptable and easy growing of fruits and is an exceptional source of nutrition. Its common name is Cape Gooseerry. This is truly, in every sense of the word, the GOLDEN BERRY
Poderá também gostar de: