sexta-feira, 7 de abril de 2017

Adubo natural! Como fazer sua própria farinha de ossos.


A farinha de ossos é um fertilizante natural rico em fósforo, cálcio e nitrogênio, elementos essenciais ao crescimento, floração e frutificação das plantas. É um adubo orgânico muito seguro, não queima as plantas. Além disso é um forte estimulante da floração e frutificação.



Sempre em minhas respostas sobre problemas nutricionais de plantas, recomendo a farinha de ossos. Trata-se de um produto rico em fósforo (P), cálcio (Ca) e magnésio (Mg), muitas vezes em falta nos nossos solos. Porém, a farinha de ossos comprada pronta é relativamente cara. Dependendo da quantidade necessária, torna-se impraticável. Vou então, passar uma receita simples para você mesmo fazer sua própria farinha de ossos em casa.


Existem três tipos de farinha de ossos no mercado: a crua, a desengordurada e a desgelatinizada. A crua é de coloração amarela e exala mau cheiro. A grande vantagem deste produto é que possui de 2 a 5% de nitrogênio, além de 25% de fósforo. Na desengordurada é feita uma limpeza em água quente. Ela possui as mesmas concentrações de nutrientes desta última. Finalmente a desgelatinizada é submetida ao vapor de água. Ela possui 1% de nitrogênio e 35% de fósforo.
Para fabricar qualquer um destes tipos há a necessidade de equipamentos especiais, como auto-clave e um triturador específico. Mas a receita que vou passar é muito simples e dispensa o maquinário industrial, trata-se da farinha de 0ssos calcinada.


Uma boa porção de ossos você pode conseguir com o açogueiro

Para faze-la, basta conseguir com seu açogueiro uma porção de ossos. Submeta estes ossos a alta temperatura, de forma que queimem completamente. Inicialmente este tratamento poderá ser na forma de uma pequena fogueira. Mas, uma churrasqueira em desuso presta-se perfeitamente para este trabalho. Os ossos quando começam a queimar mudam de cor. Inicialmente ficam pretos, e depois completamente brancos. Isto significa que calcinaram.






Ossos bem queimados ficam brancos e quebradiços

Quando esfriarem, você notará que se quebram facilmente. Se você tiver um triturador simples, use peneiras finas (como as peneiras de fubá). Caso não tenha um triturador, poderá utilizar um moinho ou pilão. Em último caso, utilize um martelo. Uma porção de 10 quilos de ossos rende aproximadamente 5 a 6 quilos de farinha de ossos. Este produto contem até 35% de fósforo, além de ser rico em cálcio e magnésio. Porém, devido à queima, é pobre em nitrogênio.

Dicas: *Não estoque os ossos crus. O mau-cheiro produzido pela putrefação será insuportável, além de atrair animais indesejados. **Ao utilizar a churrasqueira, certifique-se de limpá-la antes, evitando assim que o sal contamine os seus ossos calcinados. O sal faz mal à maioria das plantas.


Importante: Certifique-se de queimar completamente os ossos, evitando assim a contaminação do meio ambiente e os riscos sanitários que possam advir da utilização indevida do produto mal tratado.



Fonte: http://www.jardineiro.net/jardinagem/como-fazer-sua-propria-farinha-de-ossos.html

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Plantas medicinais-coletanea-de-saberes




A idéia de organizar esta coletânea de saberes referentes às plantas medicinais vem de longa data. É um trabalho muito mais de pesquisa do que de criação. O tema é apaixonante e encontra-se disperso em vasta literatura, di- ante disto sentimos a necessidade de fornecer um material de apoio às pesquisas escolares, à comunidade em geral para que possa ser lido e lembrado em qualquer momento. Inúmeras fontes foram consultadas e nas bibliografias locais são en- contradas diversas referências de trabalhos realizados nos diferentes bi- omas do Estado de Mato Grosso.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

3 frutas do outono que podem ser totalmente aproveitadas

Fonte: ciclo vivo

A estação que antecede o inverno também é marcada pela colheita de frutas deliciosas.
23 de março de 2017 • Atualizado às 09 : 30
3 frutas do outono que podem ser totalmente aproveitadas
A goiaba é uma excelente fonte de fósforo, vitaminas, sais minerais e ferro. | Foto: Sakurai Midori/cc
Vitaminas, sais minerais, fibras, água e antioxidantes – as frutas do outono têm propriedades milagrosas, tanto para a saúde – evitando os resfriados, comuns nesta época do ano, como para a beleza – diminuindo o envelhecimento da pele. Boa parte das cascas destes alimentos também pode ser consumida, principalmente em doces e sucos.
Abacaxi
Comum em quase todas as épocas do ano, o abacaxi também aparece nos meses que antecedem o inverno. A fruta regula o colesterol, acelera a cicatrização e concentra altas taxas de vitamina C, betacaroteno e minerais.
Com as cascas do abacaxi, é possível preparar conservas, doces e também um chá, capaz de melhorar quadros de resfriados, gripes e doenças respiratórias que se alastram mais facilmente nestes meses. Ao preparar a bebida, troque o açúcar pelo mel – além de ser natural, a substância tem mais eficácia no tratamento caseiro das indisposições do sistema respiratório.
Mamão
A fruta é um milagroso remédio para o sistema digestivo. Muito rico em fibras, o mamão regula o funcionamento do intestino e previne constipações e prisão de ventre. Além disso, devido ao fato de ter altas concentrações de ácido fólico, a fruta ajuda a manter os ossos fortes e previne a osteoporose.
De acordo com a revista Health, o mamão ajuda no tratamento da sinusite, pois contém bromelina, uma substância que diminui o muco e a inflamação. Assim como o abacaxi, as cascas do mamão também podem ser aproveitadas no preparo de doces.
Goiaba
Excelente aliada à prevenção de gripes e resfriados, a goiaba é um dos alimentos que mais concentram vitamina C – superando em quatro a cinco vezes os níveis encontrados na laranja. Além disso, a fruta é uma excelente fonte de fósforo, vitaminas, sais minerais e ferro.
Consumir duas ou três goiabas por dia pode ser uma boa saída para quem deseja largar o cigarro – já que os altos níveis de vitamina C neutralizam os efeitos da nicotina. A goiaba tem índices mínimos de gordura, e, por isso, não deve preocupar as pessoas que fazem dietas.
Assim como as frutas listadas, a goiaba pode ser usada em totalidade – suas cascas podem dar origem a sucos e até pudins e biscoitos caseiros.
Redação CicloVivo

Cultivo de Azolla como alimento para o gado e adubação de pomar!

Bom dia! Bem interessante este estudo realizado na India, que traduzi através do google tradutor.
Na barra da esquerda do Blog, tem um vídeo mostrando a utilização da azolla na alimentação de animais e na adubação de pomares e hortas.





A população rural da Índia é mais de 650 milhões. Isso forma 74 por cento da população indiana. Destes 70 milhões de famílias - que constituem 73 por cento dos domicílios rurais - próprio gado ea renda do gado constitui 20 por cento de sua renda total. Nas décadas anteriores, os resíduos agrícolas que usou para formar a maior fonte de alimento para o gado reduziu substancialmente sua participação na proporção de alimentação do gado nacional. Isso é por causa da baixa taxa de palha de grãos de variedades de alto rendimento. A qualidade de palha também é nutricionalmente baixo. Com redução de pastagens e expansão das cidades, os produtores de leite marginal tem que depender mais e mais na alimentação do gado comercial ou pior permitir que o seu gado para eliminar os resíduos.


Azolla uma samambaia aquática que hospeda a alga azul verde - Anabaena um zollae, parece ter a solução

 para esta situação sombria. Durante décadas Azolla tem sido usado como bio-fertilizante em muitos países de arroz crescendo incluindo a Índia, Vietnã e Filipinas. Não obstante o seu potencial como alimento para o gado foi descoberto apenas recentemente. VK-NARDEP (Project Vivekananda Kendra de Desenvolvimento dos Recursos Naturais) Centro de Tecnologia de Recursos fez um estudo detalhado sobre essa dimensão da Azolla e também desenvolveu uma tecnologia de baixo custo para aproveitar plenamente esta dimensão de Azolla que beneficia principalmente os produtores de leite marginal.


A composição nutricional dos Azolla foi estudada por NARDEP equipe liderada por Dr.P.Kamalasanan Pillai e foi confirmado por CFTRI e NDDB, Anand. Azolla é muito rica em proteínas, aminoácidos essenciais, vitaminas (vitamina A, vitamina B12, beta-caroteno), intermediários promotor de crescimento e sais minerais como cálcio, fósforo, potássio, ferro, magnésio, cobre, zinco, etc Em termos de peso seco, Azolla é composto por 25 - 35% de proteína, 10-15% e minerais 7-10% de uma combinação de aminoácidos, substâncias bio-activas e bio-polímeros. Carboidratos e teor de óleo em Azolla é muito baixa. Além disso, Azolla pode ser facilmente digerida pelo gado, devido à sua alta proteína e baixo teor de lignina. Ensaios foram realizados por VK-NARDEP, com Azolla como um substituto alimentar em Tamil Nadu e Kerala. Ensaios em animais leiteiros mostrou um aumento global da produção de leite em 15-20% quando 2-3 Kg de Azolla foi combinada com a alimentação regular. 15-20% da ração comercial pode ser substituído com a mesma quantidade de Azolla em base seca, sem afetar a produção de leite. Constatou-se também que a alimentação Azolla melhora a qualidade do leite, a saúde ea longevidade dos animais. Junto com este potencial de biomassa no alto de Azolla, um rendimento de 1,000 MT / hectare, à taxa de 300 gm. / m² / dia, faz com que este ouvido em forma de anel alimentar samambaia verde ideal.

Fonte: Estudo NDDB em Anand


Em uma área tão pouco quanto 7 x 4,5 pés com folha Silpauline, alguns tijolos e água esterco misturado. O rendimento primeiro vem no sétimo dia seguido de rendimento quase diária de 1 a 1,5 kg. Assim, enquanto em termos de Azolla teor nutricional é quase similar à Spirulina, seu custo de produção é de apenas 25 paise por quilo de biomassa. No exemplo abaixo o uso de cultivo de folha de Azolla silpauline base está sendo julgado como uma intervenção com um fazendeiro que concordou em tentar Azolla em seu terraço própria casa. O objetivo era ver como a tecnologia Azolla, uma vez introduzida, fica integrado com a capoeira e atividades herdade através de resultados sustentados. O seguinte é os dados preliminares dos resultados da intervenção.

Nome do agricultor: Thiru.Manickavachagam

Intervenção começou em: 1 ª semana de Julho de 2005

Village: Kozhikodu pothai, Kanyakumari distrito

Possui: 3 vacas e dois vitelos [variedade híbrida]

Antes da intervenção:

Despesas mensais em alimentos para animais: Rs 3000

Despesas médicas: R $ 250

Quantidade de leite produzido por dia: 15 litros

Uso doméstico: 1 litro

Leite vendido: 14 litros, à taxa de Rs 9 por litro

Geração de renda mensal: R $ 3.780

Lucro líquido: R $ 530

Depois de Intervenção:

Despesas mensais em alimentos para animais: Rs 2700

Quantidade de leite produzido por dia: 18 litros

Uso doméstico: 1 litro

Leite vendido: 17 litros, à taxa de Rs 9 por litro

Geração de renda mensal: R $ 4.590

Lucro líquido: R $ 1.890

Aumento no lucro: 2,7 vezes



terça-feira, 4 de abril de 2017

Estudo mostra que agricultura orgânica pode alimentar o mundo inteiro

Fonte: ciclo vivo

Estudo mostra que agricultura orgânica pode alimentar o mundo inteiro
A produção orgânica pode ser rentável, ao mesmo tempo em que melhora as condições ambientais e dos trabalhadores.
Para os especialistas a solução para a agricultura seria mesclar métodos orgânicos com tecnologias modernas usadas nos plantios tradicionais. | Foto: iStock by Getty Images


Um estudo feito pela Universidade Estadual de Washington, EUA, mostrou que a agricultura orgânica pode ser usada para alimentar de maneira eficiente toda a população mundial. O relatório mostra que com este tipo de produção é possível ter rendimentos suficientes aos produtores, ao mesmo tempo em que melhora as condições ambientais e dos trabalhadores rurais.
Liderado pelo professor de Ciência do Solo e Agroecologia, John Regalnold, juntamente com o doutorando Jonathan Wather, o relatório “Agricultura Orgânica para o Século 21” contou com análises detalhadas de outras centenas de estudos acadêmicos sobre o tema. A proposta era examinar a eficiência da agricultura ecológica baseada nos pilares da sustentabilidade: econômico, social e ambiental.
Para os especialistas a solução para a agricultura seria mesclar métodos orgânicos com tecnologias modernas usadas nos plantios tradicionais. Alguns dos pontos enfatizados são: rotação de culturas, gestão natural de pragas, diversificação agrícola e pecuária, melhoras na condição do solo a partir de uso de compostagem, adubação verde e animais.
Os autores garantem que a agricultura orgânica é capaz de satisfazes todas as necessidades alimentares do mundo, independente das mudanças climáticas. Eles ainda justificam esta afirmação: “fazendas orgânicas têm o potencial para produzir altos rendimentos em consequência da capacidade mais elevada de retenção de água nos solos cultivados sem agrotóxicos”.
Em termos econômicos, no entanto, o estudo deixa claro que, apesar de ser rentável, o cultivo orgânico proporciona lucros menores do que os tradicionais. A explicação para isso é óbvia, já que os pesticidas acabam barateando parte da produção. Em compensação o ganho ambiental, social e na própria saúde da população é enorme. As evidências apontam para o fato de que os sistemas agrícolas orgânicos garantem maior benefício social, o que resulta em um planeta mais saudável.
Redação CicloVivo