Mostrando postagens com marcador uvas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador uvas. Mostrar todas as postagens

sábado, 18 de março de 2017

Suco de uva reduz colesterol, é bom para memória e ajuda a perder barriga


Compartilhe:          |  12 de março de 2017

De um lado, senhores e senhoras que vivem em Porto Alegre. Do outro, no Rio de Janeiro, triatletas da Marinha. Eles nada, correm, andam de bicicleta. E todos são movidos a suco de uva. Eles foram voluntários em duas pesquisas que testaram os efeitos do suco de uva no organismo.
Na Universidade Estadual do Rio de Janeiro ficou provado: tomar um copo antes e outro depois dos treinos ajuda e muito no resultado das competições.
Mariana Corrêa Gonçalves, nutricionista: Eles melhoraram a capacidade antioxidante, a circulação, tiveram redução do cansaço. Eles melhoraram bastante mesmo segundo os relatos.
Globo Repórter: Isso com uma ingestão em quantos dias?
Mariana Corrêa Gonçalves: Vinte dias.
Moisés Amaral, militar da Marinha: A gente treina num nível de intensidade muito alta. Então a recuperação hoje a gente percebe que ela é muito mais rápida. É saudável e é gostoso tb.
Globo Repórter: E você já levou para a família inteira.
Ilson Faria, militar da Marinha: Para a família. Na minha casa não falta suco de uva. A minha filha, eu tenho uma filha de 11 anos que também tudo pra ela é uva.
Para quem está mais para o outro grupo e também não faz tanto exercício quanto os triatletas, os pesquisadores do Centro Universitário Metodista de Porto Alegre têm boas notícias.
“Os idosos que tomaram suco de uva durante 30 dias reduziram peso, reduziram circunferência abdominal, reduziram o índice de massa corporal, o IMC, reduziram colesterol total e reduziram o colesterol ruim. Importante: não alteraram os níveis de glicose e não alteraram os níveis de triglicerídeos”, diz a biomédica Caroline Dani.
E nem foi preciso fazer dieta. Bastou incluir no cardápio dois copos de suco, de 200 ml cada, durante um mês.
“Eu melhorei em todos os aspectos. Triglicerídeos, colesterol, todos ficaram melhores. Eu perdi 4 quilos e não mudei nada na minha alimentação”, conta a voluntária Dalva Inês da Cas.
Carlos Aguilar Rodrigues, voluntário: Perdi circunferência.
Globo Repórter: O senhor manteve os seus hábitos regulares, a sua alimentação normal?
Carlos Aguilar Rodrigues: Nada mudou.
Globo Repórter: Nada mudou. Só mudou o diâmetro da barriguinha.
Carlos Aguilar Rodrigues: Exatamente.
Suco de uva poderoso!
“Ele aumenta o metabolismo, ele reduz a absorção de gordura. Por diminuir a absorção de gordura, ele diminui os níveis de colesterol. Ele estimula a questão da saciedade”, explica a biomédica Caroline Dani.
Maria Cecília da Silveira, voluntária: Te sacia até a questão do doce.
Globo Repórter: Então, comeu um pouquinho menos…
Maria Cecília: E eu gosto de doce! Meu problema é o doce.
Estudos apontam que o suco de uva também é benéfico para a memória
Além de perder barriga e melhorar as taxas dos exames de sangue, os dados ainda apontam efeitos benéficos para a memória.
“Tem estudos demonstrando por ressonância magnética, por exemplo, que 30 dias de ingesta de suco de uva melhoram a ativação cerebral em diferentes regiões do cérebro, melhorando, assim, a memória desses indivíduos. Os polifenóis, eles protegem o sistema nervoso central dos danos provocados pelos radicais livres. Parte da perda de memória está vinculada a essa questão dos radicais livres”, diz a biomédica Caroline Dani.
Desde 2009, em todo Rio Grande do Sul, é lei. Mas esta doce obrigação chegou antes a Bento Gonçalves.
“Toda rede municipal, existe uma legislação desde 2005, que tornou obrigatório o suco de uva no mínimo uma vez por semana na alimentação escolar”, conta a nutricionista Renata Geremia.
E as crianças aprovam.
Andrea Roque, nutricionista: A gente sempre recomenda que ele seja servido integral, que não seja diluído, nem acrescido de açúcar.
Globo Repórter: Quer dizer, aquele suco puro mesmo da uva.
Andrea Roque: Isso, esse é o que tem o benefício mesmo do antioxidante.
O suco que as crianças tomam é feito com uvas cultivadas na vizinhança. A excursão da escola vai aprender algo novo. O destino final do passeio é um sítio. Lá, a meninada vai conhecer como é produzido o suco de uva que é servido regularmente na escola.
“Além de ter o paladar agradável, também tem que ser saudável. Para oferecer para as nossas crianças um futuro. Porque alimentação saudável começa agora. Para quando nós tivermos 30, 40, 50 ou chegar a longevidade saudável, nós temos que ter uma alimentação saudável desde o começo”, afirma a microempresária Elizabete Rocha.
Receita do suco integral de uva é passada de geração em geração
Olhando o processo, parece difícil fazer o suco integral. Mas para quem quiser fazer em casa, a receita é simples: primeiro é preciso lavar bem. A uva é chamada de Isabel, a mais escura. A dona de casa Marilene Sangali aprendeu a técnica com a mãe dela. E há gerações sempre tem suco de uva na mesa da família.
Depois de coar, o suco pode ser congelado em garrafinhas. Sem misturar com água nem açúcar. E nada se perde: o que fica na peneira ainda pode virar geleia. As uvas da Dona Marilene usou foram plantadas no quintal. Na casa da Dona Conceição também é assim. Bem na garagem, junto ao muro, e em plena Zona Norte de São Paulo.
E esse amor da Dona Conceição pelas videiras é um amor muito generoso. Para as pessoas da família e para os amigos queridos que chegam lá, ela logo já vai dando uma escada e uma tesoura, para a pessoa se servir direto do pé.
Há três anos ela fez um curso para aprimorar a técnica do cultivo, e o professor ainda vem acompanhar de perto a produção.
Sergio Sermedjian, especialista no cultivo de uva: Ter produção de videira na Grande São Paulo hoje já é uma realidade.
Globo Repórter: Quando você vê assim, uma planta que você ajudou a criar, vamos dizer, e que está frondosa, está produzindo, está fazendo bem para as pessoas, o que que o senhor sente?
Sergio Sermedjian: Satisfação. É uma coisa… Não tem explicação.
Ter uva no quintal de casa é prêmio em dobro. Suco natural, fresquinho, na mesa e o prazer de provar direto do pé. E ainda faz bem à saúde!


Fonte: Globo Repórter 

segunda-feira, 6 de março de 2017

APRENDA EM 04 PASSOS A PODAR SEU PÉ DE UVA E TER BELOS CACHOS


A VIDEIRA

O pé de uva é chamado de videira, parreira ou vinha. No Brasil, são várias as espécies cultivadas que podem ser consumidas in natura (consumo natural das bagas) ou na confecção de vinhos secos e suaves. Para o consumo natural, a uva mais cultivada é a espécie Vitis labrusca, seu nome popular é Niagara rosada e Niagara branca. A Niagara Rosada é aquela uva comercializada, normalmente, na beira de estrada. Outras uvas cultivadas em casa são a Bordô, a Concord e a Itália.

Benefícios do consumo da uva

As uvas possuem diversas propriedades benéficas à saúde. Elas protegem o sistema circulatório e o coração; têm propriedades antioxidantes, o que significa que impedem a ação de radicais livres no organismo; apresentam características antiinflamatórias; inibem a aglomeração das plaquetas sangüíneas, reduzindo os riscos de ocorrência de infartos e derrames; além de impedir alguns processos desencadeadores do câncer. A fruta ainda é boa fonte de vitamina C e complexo B, rica em minerais como magnésio, enxofre, ferro, cálcio e fósforo, indispensáveis a uma boa saúde.
beneficios uva
Fonte da Foto: gardener.blogg.se

Efeito ornamental da videira

Muito valorizadas por seus frutos que há milênios oferecem alimento e vinho ao homem, as videiras também podem ter uso ornamental e serem bem aproveitadas em jardins domésticos. Ao serem mantidas sobre caramanchões ou pergolados, essas trepadeiras podem adicionar altura em projetos de paisagismo e ainda prover sombra no verão. Além disso, dependendo da espécie escolhida e das condições de plantio, as parreiras de uvas podem gerar deliciosos frutos. Se o objetivo é somente produzir sombra, o melhor são as plantas que comercialmente são utilizadas como porta enxertos. Entre as variedades indicadas para regiões tropicais estão a IAC 572 Jales, a IAC 313 Tropical e a IAC 766 Campinas. Para regiões mais frias, as variedades mais apropriadas são a Paulsen 1103, a SO4, Solferino e a Kober 5BB.
uva ornamental
Fonte da foto: zielonyfront.pl

Condução da videira

Por ser trepadeira, a cultura precisa de suporte para a sustentação dos ramos. A latada ou pérgola é formada por malhas suspensas a cerca de dois metros do chão. As plantas são, assim, conduzidas na horizontal, o que permite um melhor desenvolvimento foliar, maior formação de sombras e alta produção de frutos.
uva pergola
Fonte da foto: florafind.mainegardens.org

Poda de produção da videira

A poda é uma técnica usada para estimular a planta a produzir novas brotações a partir de gemas dormentes. A videira inicia sua produção após 3 anos de plantio. Nestes primeiros 3 anos ela desenvolve raízes para absorção de nutrientes e ramos vegetativos que irão sustentar os cachos produzidos. Após 3 anos de cultivo ela têm condições nutricionais para iniciar a sua produção, produzindo poucos cachos. Com o passar dos anos, essa produção aumenta até estabilizar na fase adulta da planta. Porém, se, após o início da produção não for feita a poda, a planta tende a produzir cada vez menos cachos. Isso ocorre pelo fato da planta produzir cachos apenas em ramos novos.
produção uva
Fonte da foto: sagebud.com

Passo 01 - Desenvolvimento da videira

Para a videira produzir cachos é importante que seja feita uma boa adubação nutricional. Para o plantio da muda da videira deve-se fazer a cova 3 vezes maior o torrão da muda, encher a cova com um condicionador de solo "Classe A" misturado a 300 gramas do NPK formulação 04-14-08, plantar a muda sem desfazer o torrão, apertar em volta para que ela fique fixa e molhar em seguida. Após o plantio, deve-se iniciar a adubação foliar utilizando um fertilizante para o enraizamento e intercalar com uma formulação para o crescimento, ou seja, aplica-se, com um pulverizador nas folhas da videira, 1 vez por semana a formulação de enraizamento e na semana seguinte a formulação de crescimento. Este tratamento visa acelerar o crescimento da videira. Durante a época das chuvas, deve-se aplicar ao redor do pé da videira cerca de 100 gramas do NPK formulação 20-05-20 para o crescimento e desenvolvimento da planta. Após essa aplicação de NPK, a adubação foliar pode ser resumida apenas ao fertilizante de crescimento aplicado 1 vez a cada 15 dias.
plantio uva
Fonte da Foto: www.alltomtradgard.se

Passo 02 - Poda de produção

Após 3 anos de crescimento a videira está apta à produção. A poda deve ser feita no período de dormência da planta, final do inverno ou início da primavera. Para identificação desse período, a videira deverá estar quase sem folhas. Deve-se contar 12 gemas a partir do enxerto e podar em forma de bisel com uma tesoura de poda afiada e esterilizada em fogo brando. No corte você deve polvilhar canela em pó (a mesma utilizada no arroz doce) para a cicatrização e impedimento da entrada de pragas e doenças. Plantas mais velhas e já estruturadas no pergolado seguem o mesmo princípio. A contagem das gemas deve ser feita sob o pergolado, para não desestruturar a planta durante o desenvolvimento dos ramos de produção.
poda pergola
Fonte da foto: davethegardenguy.typepad.com

Passo 03 - Poda de manutenção e limpeza

É importante podar os ramos que crescem no porta enxerto, das raízes e na base o solo. Estes ramos "roubam" a energia que o ramo principal utilizaria para o seu crescimento e a produção dos cachos. Deve-se deixar apenas o caule principal. Deve-se podar também galhos secos e aqueles que crescem fora da estrutura principal do pergolado. É importante manter a linha de crescimento e estruturação do pergolado.
poda uva
Fonte da foto: napaprivatetours.com

Passo 04 - Adubação de produção

Todo ano, após a poda produção, deve ser feito uma adubação de produção, ou seja, é preciso dar nutrientes para que a videira produza mais cachos. Essa adubação deve ser feita utilizando-se o NPK granulado formulação 20-05-20 no pé da planta. Deve-se espalhar 300 gramas no pé da planta no 1º ano de produção ou 3º ano de vida; 400 gramas no 2º ano de produção; 500 gramas no 3º ano e assim, suscesssivamente, até estabilizar no 10º ano com 1 Kg do NPK. É importante que o produto seja muito bem espalhado sobre o solo para que no momento da sua diluição em água, uma maior gama de raízes absorva os nutrientes.
adubação uva
Fonte da foto: www.appeltern.nl

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Cultive uvas! Como implantar um vinhedo doméstico.




No Prosa Rural desta semana, o pesquisador Samar Velho da Silveira, da Embrapa Uva e Vinho (Bento Gonçalves/RS), aborda todas as questões relacionadas à implantação de um parreiral doméstico, ou seja, quais são os passos necessários para se ter videiras que produzam frutos de qualidade para o consumo em família.

As principais características de um parreiral doméstico são o cultivo das videiras em áreas reduzidas, a necessidade de um planejamento mais simplificado e o destino da produção para o consumo da própria família produtora. Aqueles moradores das regiões de clima temperado e sub-tropical (região que vai do Estado do Rio Grande do Sul até algumas áreas dos estados de São Paulo e Minas Gerais) terão maiores chances de sucesso no cultivo, pois as baixas temperaturas auxiliam no bom desenvolvimento dos frutos.



Segundo o pesquisador Samar, as variedades de videiras mais recomendadas para o cultivo são as de mesa comum, as ditas americanas, tais como a Niágara Branca e Rosada, a Isabel e a Concord. Cuidados na escolha das mudas e do sistema de condução também são fundamentais para o sucesso do cultivo. Além disso, o solo precisa receber o tratamento adequando “é importante que quatro meses antes do plantio se realize uma análise do solo, para verificar os níveis de Ph, macro e micro nutrientes e dessa forma, com uma orientação de um engenheiro agrônomo, realizar a adubação para a correção destes níveis”, ressalta o pesquisador.



Questões referentes ao tamanho da cova, os cuidados a serem tomados no momento do plantio, os cuidados iniciais e recomendações gerais também serão abordadas no Prosa Rural desta semana.



O Prosa Rural é o programa de rádio da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O programa conta com o apoio do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.



Data/Hora: 2011/05/09

Duração: 15'

Responsável: Anelise Sulzbach

Email: anelise@cnpuv.embrapa.br

Telefone: (54) 3455-8135

Unidade: Embrapa Uva e Vinho

Colaboradores:

Colaborador URL

Embrapa Informação Tecnológica http://www.sct.embrapa.br
http://hotsites.sct.embrapa.br/prosarural/programacao/2011/como-implantar-um-vinhedo-domestico/?searchterm=vinhedo





sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Consultório agrícola: uvas enferrujadas

Aspecto de ferrugem é causado por fungos; podas e tratamentos químicos devem ser aplicados para controlar a doença
por João Mathias

Gilmar I. Stein
A antracnose é uma doença causada por um fungo que se desenvolve melhor em condições de umidade e temperatura altas. Foto: Gilmar I. Stein
Tenho uma parreira de uvas para consumo familiar, cujos frutos caem logo após o aparecimento de manchas semelhantes à ferrugem. Qual o tratamento indicado para a planta tornar-se saudável novamente?
Gilmar I. Stein
Parobé (RS)


Muito comum em videiras, a antracnose é uma doença causada por um fungo que se desenvolve melhor em condições de alta umidade e temperatura na faixa dos 25ºC. Para evitá-la, faça uma poda retirando do vinhedo os ramos doentes e aplique calda sulfocálcica como tratamento de inverno. Produtos à base de cobre ajudam a controlar a doença, que é mais prejudicial em tecidos jovens e tenros.

Consultor: Rodrigo Monteiro, engenheiro agrônomo e analista de transferência de tecnologia da Embrapa Uva e Vinho.

terça-feira, 5 de junho de 2012

Consumo regular de uva e soja previne hipertensão

AFP Jean-Louis Santini
Em Chicago
As uvas,  ricas em potássio e antioxidantes, podem ser armas para combater a pressão alta
  • As uvas, ricas em potássio e antioxidantes, podem ser armas para combater a pressão alta.
As uvas, ricas em potássio e antioxidantes, e a soja, em isoflavonas, podem ser armas eficazes para prevenir a hipertensão, importante fator de risco cardiovascular, segundo dois estudos publicados no último domingo (25) durante uma grande conferência de cardiologia nos Estados Unidos.
Os trabalhos foram apresentados na 61ª conferência anual da American College of Cardiology, reunida em Chicago (Illinois, norte), durante o fim de semana.
Com relação às uvas, este é o primeiro estudo controlado cientificamente a confirmar o efeito do consumo cotidiano desta fruta em baixar a pressão arterial de pessoas pré-hipertensivas.
O estudo levou 46 homens e mulheres a medir o consumo de uvas três vezes ao dia, comparando-o com o consumo de biscoitos e outros alimentos que não fossem frutas ou legumes.
Para a soja, os cientistas analisaram amostras de um estudo iniciado em 1985 para analisar o risco de doenças coronarianas nos jovens adultos americanos.
Esta pesquisa, financiada pelo Instituto Nacional de Saúde (NIH, na sigla em inglês) contou com 5.115 americanos brancos e negros de 18 a 30 anos, que os examinou em diferentes intervalos de tempo.
O estudo apresentado neste domingo se concentrou nos efeitos das isoflavonas que a soja contém em grande quantidade e baixam a pressão arterial.
As isoflavonas são substâncias próximas ao estrogênio, hormônio feminino que contribui para a produção de ácido nítrico, conhecido por dilatar os vasos sanguíneos e reduzir a pressão arterial.
As pessoas com pré-hipertensão têm pressão arterial sistólica entre 120 e 139 mm/Hg e diastólica entre 80 e 89 mm/Hg.
Um em cada três americanos adultos se ajusta a esta definição, segundo os Centros de Controle e Prevenção de Diabetes (CDC) dos Estados Unidos.
"Nosso estudo demonstra que se você pode optar entre comer uvas ou biscoito de chocolate, se sairá melhor se escolher as uvas, pelo menos servirá para reduzir a pressão arterial", declarou o principal autor do estudo, doutor Harold Bays, diretor do Centro de Pesquisas de Louiseville (Kentucky) sobre arteriosclerose e metabolismo.
Os resultados mostram de fato que as pessoas que consumiram uvas tiveram uma clara baixa de pressão sistólica na quarta, oitava e décima segunda semanas (de -4,8% a -7,2% ou de menos 6 a menos 10,2 mm/Mg).
O doutor Bays não identificou como as uvas agem na pressão arterial, mas lembrou que as frutas são muito ricas em potássio e antioxidantes como os polifenóis.
"As uvas são ricas em potássio, conhecido por baixar a pressão arterial", disse este médico, cuja pesquisa foi financiada por uma organização que incentiva o consumo desta fruta e é subvencionada por produtores californianos da mesma.
Ele destacou que é necessário fazer testes clínicos mais aprofundados para confirmar seus resultados.
No grupo de estudo sobre as isoflavonas, aqueles que consumiram mais quantidade desta substância diariamente (mais de 2,5 miligramas) tiveram uma pressão arterial sistólica claramente mais baixa (-5,5 mm/Mg, em média) do que os indivíduos que ingeriram menos de 0,33mg.
Basta tomar um copo de leite de soja, que contém 22 mg de isoflavonas, explicou Safiya Richardson, principal autora deste estudo e que está concluindo o doutorado em medicina da Universidade de Columbia (Nova York).
Esta pesquisa também demonstrou que os afroamericanos, grupo étnico com forte tendência à hipertensão, eram beneficiados pelos efeitos das isoflavonas, disse Richardson.
De acordo com a cientista, este estudo facilitaria os testes clínicos para provar cientificamente a ação das isoflavonas na pressão arterial.