Mostrando postagens com marcador repelente. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador repelente. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 11 de março de 2019

Neem: benefícios da raiz às folhas

O neem é uma planta que traz benefícios medicinais, químicos e industriais, além de gerar renda para famílias que vivem em pequenas propriedades agrícolas

Árvore de Neem

A planta neem (ou nim), conhecida cientificamente como Azadirachta indica, é uma árvore do sudeste da Ásia e do subcontinente indiano. O neem é uma árvore de clima tropical, que pode ser cultivada em regiões quentes e solos bem drenados; ela é resistente à seca, tem crescimento rápido, copa densa e pode alcançar até 20 metros de altura. O neem tem capacidade para suportar condições extremas de calor e poluição da água, melhora a fertilidade do solo e reabilita terras degradadas. Além disso, essa árvore desempenha um papel importante no controle da erosão do solo, da salinização e prevenção contra os efeitos de inundações.
Poluição, extinção de animais, esgotamento dos recursos naturais, catástrofes climáticas e efeito estufa são alguns dos problemas que a humanidade vem enfrentando por conta de sua irresponsabilidade perante o meio ambiente. Com isso, a busca por recursos naturais que sejam renováveis e menos impactantes tem sido uma prática incessante. Uma das mais surpreendentes descobertas é essa árvore que tem potencial para amenizar danos ambientais e sanitários em âmbito global: o neem, que pode ser usado de várias maneiras em diferentes tipos de produtos.
Atualmente, existem grandes plantações de neem na Nicarágua, Cuba, El Salvador, Chile, Guatemala, Costa Rica, República Dominicana e até na Alemanha e nos Estados Unidos. No Brasil, a planta foi introduzida por Belmiro Pereira das Neves, em 1993, na luta contra o uso de agrotóxicos. Segundo ele, o neem pode ser usado não só na produção de pesticidas, mas também na agricultura familiar, pois a árvore produz sombra e frutos. O especialista na árvore neem destaca ainda que o neem também está sendo utilizado em áreas que sofreram processo de desertificação e em projetos de reflorestamento, em substituição ao pinus e ao eucalipto, pois seus frutos atraem os animais.
O neem tem muitos benefícios: sua madeira, prima do mogno, é resistente e sua semente, casca e folhas podem ser utilizadas na fabricação de utensílios, pesticidas, repelentes, fármacos (de função terapêutica), cosméticos, além da vantagem de sua cultura ser considerada de baixo custo.

Os diversos usos do neem

Medicinal

O neem é considerado eficiente na cura e prevenção de várias doenças, segundo artigo publicado pelo departamento de bioquímica da Universidade Estadual de Maringá e as literaturas a respeito dos efeitos farmacológicos e médicos observados no corpo humano pelos extratos das várias partes da planta de neem.
As folhas de neem, solúveis em água, possuem atividades antissépticas, curativas, antiúlcera, anti-inflamatória, hipolipidêmica, que agem no controle dos níveis de colesterol, e são hepatoprotetoras. Tal estudo aponta que os extratos das folhas de neem, aplicados no creme dental, reduzem a placa bacteriana e têm bons efeitos no tratamento de gengivites e periodontites.
Sobre os efeitos do extrato da casca de neem, foram observadas ações gastroprotetoras e inibição da ulceração gástrica. Além disso, alguns estudos apontam o extrato da casca de neem como um forte aliado no tratamento de diabetes. O óleo de neem, por sua vez, tem demonstrado efeitos de anti-infertilidade, sendo usado como espermicida e com atividade antimicrobiana significativa contra patógenos sexualmente transmissíveis.
Os extratos das folhas e sementes de neem também funcionam como repelente natural no uso doméstico, a exemplo da citronela, auxiliando no combate à malária, dengue, podendo também afetar o desenvolvimento do protozoário Trypanosoma cruzi, parasita vetor da doença de chagas.

Indústria de cosméticos

Os benefícios do neem na cosmética vem através de seu óleo, que pode ser utilizado principalmente para a fabricação de sabão, xampu, óleo para os cabelos, tônico capilar e óleo fortalecedor para as unhas. Leia mais na matéria: "Óleo de neem: para que serve e como usar".

Agropecuária

A pasta de neem tem sido empregada, na Índia, nas culturas de arroz e cana-de-açúcar desde 1930, visando o combate à Diatraea saccharalis, considerada uma das principais pragas da cana-de-açúcar e contra o cupim. O neem e seus derivados chegam a afetar mais de 400 espécies de insetos pertencentes às ordens Coleoptera, Deptera, Heteroptera, Homoptera, Hymenoptera, Lepidoptera, Orthoptera, Thysanoptera, Neuroptera, alguns aracnídeos e alguns fungos. Popularmente pode-se dizer que o uso do neem atua contra pernilongo, piolho, pulga e carrapatos. A torta (confira o significado mais abaixo) do neem tem uso variado, como fertilizantes, pesticidas naturais e na produção da ração animal - ela tem função vermífuga.

Benefícios sociais

Por sua alta resistência, a árvore de neem se adapta facilmente a diversas situações. Ela produz muitos frutos e suas folhas são vastamente utilizadas para extração de compostos e aplicáveis a diversos setores, como o farmacêutico, industrial e químico. Em razão de suas várias possibilidades de uso, destaca-se a relevância da árvore neem na zona rural também na geração de emprego e renda ao pequeno agricultor, além dos diversos benefícios descritos.

Química: o motivo de tantos benefícios

Após algumas pesquisas iniciais, em 1963 um cientista indiano examinou a fundo a química dos princípios ativos do neem e descobriu, por meio de uma pesquisa com gafanhotos, um agente inibidor do impulso de ingerir alimentos. Desde então, as pesquisas acerca desse tema se intensificaram. Vários compostos foram isolados e caracterizados - a maioria deles de biogenética semelhante aos liminóides (azadiractina, meliantriol, salanin etc), princípios amargos encontrados também em outras espécies botânicas. De acordo com os dados divulgados pela organização Neem Foundation, as folhas novas da árvore de neem possuem propriedades curativas para feridas e sarna, pois produzem flavonoides, que contêm propriedades antibacterianas e antifúngicas, e nimbosterol. Os liminóides, aponta a mesma organização, afetam a fecundidade em moscas domésticas e podem causar desordem hormonal nos insetos. Veja, a seguir, as principais propriedades químicas das partes do neem:

Folhas

Possuem muitos componentes, incluindo proteínas (7,1%), hidratos de carbono (22,9%), minerais, cálcio, fósforo, vitamina C, caroteno e aminoácidos, como o ácido glutâmico, tirosina, alanina, ácido aspártico, glutamina, cistina e também ácidos graxos.

Flores

Contêm nimbosterol e flavonóides e também produzem material ceroso e ácidos graxos, como beênico (0,7%), araquídico (0,7%), esteárico (8,2%), palmítico (13,6%), oleico (6,5%) e linoleico (8,0%).

Pólen

Contém vários aminoácidos, como o ácido glutâmico, tirosina, arginina, metionina, fenilalanina, isoleucina e ácido aminocapróico.

Casca

Contém taninos - polifenóis que protegem as plantas de ataques de animais herbívoros ou de micro-organismos patogênicos - (12-16%) e não-tanino (8-11%) e também polissacarídeos anti-inflamatório - este é constituído por glicose, frutose e arabinose. Produz ainda um polissacarídeo antitumoral e vários polissacarídeos. O cerne da casca de neem contém cálcio, potássio e sais de ferro.

Madeira

Contém celulose, hemicelulose (14%) e lenhina (14,63%).

Seiva

Contém açúcares livres (glucose, frutose, manose e xilose), aminoácidos (alanina, ácido aminobutírico, arginina, asparagina, ácido aspártico, glicina, norvalina, pralina, etc) e ácidos orgânicos (ácido cítrico, malônico, succínico e fumárico). A seiva do neem também é útil no tratamento de fraqueza e de doenças de pele.

Semente

Possuem elevado teor de lipídios e um grande número de princípios amargos em quantidades consideráveis. O principal elemento descoberto até agora nas sementes de neem é a azadiractina, que é um princípio amargo e mostrou, em estudos, eficácia no combate a 200 espécies de insetos.

Torta

Material restante após a extração do óleo do miolo das sementes de neem, a torta é usada como adubo orgânico e contém muitos nutrientes para as plantas, como nitrogênio (2-3%), fósforo (1%) e potássio (1,4%). Apresenta também ácido tânico (1-1,5%) e tem o maior teor de enxofre, de 1,07-1,36% a mais, que as tortas do petróleo.
A educação a respeito dos efeitos terapêuticos e benefícios do neem ainda se mostra incipiente. Mas agora que você já conhece a planta e sabe para que serve, que tal adotar o uso de produtos derivados da espécie, como sabonetes, óleos essenciais, repelentes ou extratos? Espalhe essa ideia e pratique o consumo consciente ao reduzir o uso de químicos sintéticos nocivos, seus impactos sobre a saúde e o meio ambiente.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Receitas de Inseticidas, Fungicidas e Repelentes para Hortas Agroecológicas

Fonte: site semear e plantar

Inseticida, fungicida, repelente biologico

Vamos ver algumas receitas para fazer inseticidas, fungicidas e repelentes para pragas comuns em hortas biológicas.

1 – Inseticidade de Alho

Rale 10 dentes de alho com a varinha mágica, adicione 2 litros de água, mexa a mistura e deixe repousar por 24 horas. Após as 24 horas coe os 2 litros de preparado, misture com mais 5 litros de água e pulverize de imediato as plantas. Recomenda-se que faça uma pulverização por semana em dias secos e até 3 em dias de chuva.

Ps. Um dos mais fortes inseticias, fungicidas e repelentes naturais. Serve para repelir pulgões, borboleta da couve, afideos, mosca branca e cicadelas.


2 – Chorume de Urtigas

Vai precisar de 1kg de urtigas frescas sem flôr, 10 litros de água e um recipiente onde possa misturar ambos. Coloque a água e as urtigas dentro de recipiente, mexa bem mexida a mistura, tape o recipiente e deixe repousar. Ao final de alguns dias devem aparecer algumas borbulhas no topo da misturar, essas borbulhas são sinal de que a fermentação está em curso. Quando deixar de ver essas borbulhas é sinal que o chorume de urtigas está pronto.
Retire as urtigas, coe o liquido resultante da fermentação e guarde num local fresco e limpo.

  • Para repelir os pulgões das suas plantas, dilua 1 litro de chrume de urtiga em 10 litros de água e pulverize as plantas. Lembre-se que prevenir é o melhor remédio! Portanto pulverize as suas plantas semanalmente com este repelente mesmo antes das pragas atacar a sua horta biológica.
  • Para utilizar como adubo liquido natural, dilua 3 litros de chrome em 10 litros de água e regue as plantas.


3 – Cebola
A cebola é um excelente de todo o tipo de insectos.
Corte uma cebola às rodelas, junte um pouco de água e rele no liquidificador ou com varinha mágica, filtre a mistura, junte dois litros de água e borrife as plantas com o preparado.


4 – Hortelã
O chã de hortelã tem se mostrado um excelente repelente de insectos.
Coloque água a ferver e junte folhas de hortelã quanto baste, deixe ferver por 3 minutos, deixe arrefecer, coe e aplique de imediato depois de frio.


5 – Vinagre com Oregãos
Ferva o vinagre com oregãos durante três minutos como de estivesse a fazer um chã, deixe a arrefecer, coe e aplique nas folhas e caules das plantas, serve para repelir formigas, alguns insetos e lagartas.


6 – Tomateiro
Chã de folha de tomateiro tem ação inseticida contra pulgões. Ferva algumas folhas e pedacinhos de caule em 2 litros de água, deixe arrefecer e aplique de imediato nas plantas a tratar.


7 – Chã de Cavalinha
O chã de cavalinha é bom para afugentar insetos nocivos à sua horta.
Vai precisar de 10 gr de cavalinha seca ou 30 gr de cavalinha verde.
Ferva as folhas de cavalinha em 1 litro de água por 25 minutos. Dissolva a calda resultante em 9 litros de água.
Deixe arrefecer e aplique nas plantas com um pulverizador.



8 – Inseticida de Leite
O leite é tembém ele um excelente inteticida e fungicida para a sua horta. Use uma porção de leite para dez de água. Num recipiente, misture 1 litro de leite e 10 de água, mexa bem a mistura e borrife as plantas a tratar.
  9 – Quadrados de papel ou plástico amarelo garrido
Já é sabido que muitos insetos se sentem atraídos pelo amarelo. Para evitar pragas como a mosca branca e outros insetos nocivos para a suas plantas, coloque quadrados  grandes de papel ou plástico amarelos untados com mel (ou outra substância pegajosa) espalhados pela sua horta.
amarelo mosca branca


10 – Cinzas
Espalhe cinzas de madeira pelo meio das suas plantas para evitar lesmas e caracóis. Além disso, as cinzas são um excelente fertilizante para as suas plantas.



11 – Casca de Ovo
As cascas de ovo bem trituras e colocadas junto aos pés das plantas, evita que lesmas e caracóis subam pelo pé e danifiquem a planta.


12 – Ervas aromáticas
Plantar ervas aromáticas pelos canteiros da sua horta, vai ajudar a repelir vários insetos nocivos. A hortelã, deverá ser presença obrigatória na sua horta.


13 – Sabão de potassa
Vai precisar de 10 l de água, 200 gr de sabão de potassa ou sabão azul, 100 ml de óleo vegetal (óleo Fula, de girassol, de milho etc)

Em aproximadamente 5 l de água misturar 200 gr de sabão de potassa (se utilizar sabão sólido, diluir em água morna mexendo com frequência até completa diluição), misturar os 100 ml de óleo lentamente ir mexendo sempre. Para finalizar junte os outros 5 litros de água para terminar a calda.
Deixe arrefecer e pulverize as plantas de preferência de manhã.

terça-feira, 4 de julho de 2017

REPELENTE CASEIRO CONTRA PRAGAS.





REPELENTE CASEIRO CONTRA PRAGAS FÁCIL DE FAZER E EXCELENTE

 PRA QUEM TEM HORTA E HORTALIÇAS EM CASA TOTALMENTE NATURAL!

sexta-feira, 9 de junho de 2017

18 PLANTAS QUE VÃO TE AJUDAR A REPELIR OS INSETOS DA CASA E PRAGAS DO JARDIM


fonte: greenme.com.br

    repelentes-naturais


Algumas plantas são naturalmente repelentes pois são desagradáveis aos insetos - moscas, mosquitos e pernilongos - e até às pragas comuns dos jardins - pulgões, cochonilhas e lagartas diversas. Para conseguir este efeito bastará você ter algumas dessas plantas repelentes em lugares estratégicos do seu jardim e da sua casa.
O que faz com que as plantas tenham essa ação repelente são seus óleos essenciais cujo odor incomoda aos insetos apesar de serem agradáveis a nosso olfato. Isso não quer dizer que os insetos vão desaparecer só por você ter plantada uma alfazema, um alecrim ou um canteiro de crisântemos mas, com certeza irão diminuir.
A quantidade de insetos e pragas tem relação direta com fatores como água parada, zonas sombrias e úmidas e com o calor.
Você ajudará cuidando de não ter poças no seu jardim, ou zonas sombrias e mantendo uma boa circulação de vento.

Ervas aromáticas boas como repelente

1. Manjericão

O manjericão é repelente para moscas e mosquitos então, você pode ter seus vasos nas entradas naturais - portas e janelas - onde bata sol. O seu aroma impedirá, em alguma medida, a entrada de insetos na sua casa e, como acréscimo, você terá sempre manjericão fresco para saladas, molhos e sopas.

2. Lavanda (alfazema)

lavanda
Repele traças, pulgas, moscas e mosquitos. Para obter este efeito, coloque maços de alfazema espalhados pela casa, pendurados nas janelas, sobre os móveis, e sachês de flores de alfazema dentro das gavetas. A alfazema era usada até para afastar escorpiões - com vasos desta planta nas janelas. Uso muito antigo.

3. Capim-limão

Também conhecido como capim-santo ou lemongrass, parente da citronela que, como esta, é um repelente de mosquitos. O melhor jeito de se usar é extrair seu óleo essencial e passar pela casa, com um pano úmido.

4. Tomilho-limão

È uma variedade de tomilho que tem as folhas pintadinhas de amarelo e um cheiro ativo de limão. É repelente de mosquitos, cresce bem em solos rochosos e ensolarados. Para usar o seu efeito repelente corte as ramas e macere-as com as mãos. Isso liberará os aromas que nos gostamos e que os mosquitos detestam. Tenha cuidado pois pode dar alergia de contato.

5. Tomilho

Tem os mesmo efeitos do tomilho-limão e é excelente para chás contra resfriados.
Hortelã - ativa repelente de mosquitos. É melhor cultivar a hortelã em vasos pois esta planta se espalha de forma agressiva e ocupará todo o seu jardim.

6. Alecrim

alcerim
O alecrim é uma planta linda, que na primavera, quando o sol bate, solta uma infinidade de flores azuis, minúsculas, e expande seu aroma por toda a casa. Tenha vasos de alecrim em suas janelas e espalhe alguns pelo jardim.

7. Louro

Use as folhas de louro, espalhadas pela casa, para repelir moscas.

8. Cebolinha

As flores da cebolinha são aromáticas e repelem moscas e pulgões. Plante cebolinha no meio da horta, especialmente em volta das cenouras.

9. Endro

Uma erva aromática muito usada na Europa e ótima repelente de pulgões, ácaros e pragas que atacam o repolho e os tomates. É parente da erva-doce.

10. Erva-doce

Excelente repelente para pulgões, lesmas e caracóis. Plante, com o endro, pelas beiradas das sua horta.

11. Erva-cidreira

Repele os mosquitos.

12. Orégano

oregano
Repele muitas pragas e irá fornecer cobertura de solo e umidade para pimentas.

13. Salsinha

È repelente de besouros e indispensável na cozinha.

14. Cebola

Plante cebolas na horta, em volta dos tomateiros, pimentões, batata, repolho, brócolis e cenouras. A cebola espanta pulgões, lesmas, moscas e outras pragas comuns. Se tiver roseiras, plante cebolas junto. O mesmo efeito têm outras ervas da família Allium, como a cebolinha e o alho-poró e cebolinha.

15. Crisântemos

São ideais para repelir baratas, formigas, besouros japoneses, carrapatos, traças, piolhos, pulgas, percevejos, ácaros, insetos arlequim e até os nematoides dos ramos pois contêm peritroides, o composto que se usa nos inseticidas em spray.

16. Malmequer

Contra pulgões, mosquitos e outras pragas (inclusive afasta os coelhos) e cujas raízes afastam os nematoides do solo. Plante os malmequeres em volta dos canteiros de hortaliças.

17. Capuchinha

È muito boa para afastar a mosca branca que ataca as couves, em geral. Para além do mais, é muito bonita e ótima em saladas.

18. Tagetes, ou cravos de defunto

Têm as mesmas qualidades repelentes dos crisântemos.

sexta-feira, 22 de julho de 2016

11 adubos e repelentes feitos em casa


Extraído do blog plantei


      Para quem tem desejo de cultivar, não importa se em uma varanda, um jardim ou em uma horta, o importante é fazê-lo. Mas muitas vezes plantar não é fácil e para complicar o trabalho, já duro e cansativo, chegam uma infinidade de insetos e parasitas que, se não forem controlados, podem estragar nossas plantas e frustrar nossos esforços.
      Abaixo sugerimos algumas “receitas” para fazer fertilizantes e repelentes 100% orgânicos, que vão ajudar você a manter afastados insetos indesejáveis, respeitando plenamente a natureza.
1. O estrume
      Existe maneira melhor para enriquecer o solo do seu jardim ou quintal que o bom e velho esterco? Você pode comprá-lo em lugares especializados ou, melhor ainda, produzi-lo, se você tiver animais como galinhas, cabras e coelhos. As fezes deste último são aquelas com a maior taxa de nitrogênio e podem ser usadas espalhando-as diretamente à terra. As dos outros animais, em geral, devem ser bem curtidas antes (composteiras).
2. Inseticida spray de alho
      O alho é um poderoso repelente natural, capaz de desencorajar muitos insetos e espantá-los para outros lugares. Para preparar o nosso inseticida, batemos no liquidificador uma cabeça de alho com alguns cravos da índia, juntamente com dois copos de água até obter um composto bem homogêneo. Deixe-o descansar por um dia para depois ser misturado em 3 litros d’água. A mistura assim obtida pode ser vaporizada com um spray, diretamente sobre as folhas das plantas.
3. Chá de urtiga
      Já tocou sem querer numa folha de urtiga e ficou sentindo uma coceira super irritante? Bem, a urtiga pode não ser tão irritante assim quando se torna uma grande aliada para seus cultivos. Calce um par de luvas grossas e colha um pouco de urtiga. Coloque-as de molho em um balde cobrindo-as com água e deixe-as descansar por pelo menos uma semana e estará pronto o seu novo fertilizante líquido 100% orgânico.
4. Inseticida spray de tomate
      As folhas de tomate são ricas em alcalóides, excelentes repelentes para pulgões, vermes e lagartas. Encha dois copos com folhas de tomate picadas e adicione água. Deixe descansar por pelo menos uma noite e dilua a mistura em outros dois copos d’água. Pronto! pode pulverizar seu spray de tomate sobre as plantas. Mantenha o repelente longe dos animais domésticos pois, pode ser tóxico à eles.
5. Cascas de ovos
      As cascas de ovos são um ingrediente interessante para o nosso jardim. Elas possuem um duplo benefício, podem ser usadas seja como fertilizantes seja como repelentes, em pedaços ou trituradas. Se trituradas, polvilhe o pó sobre a base das suas plantas, ou use pedaços, criando uma espécie de anel na base da planta: esta barreira pode afastar os caracóis e algumas lagartas.
6. Tabaco macerado
      A nicotina presente nas folhas de tabaco não cria dependência apenas em seres humanos, mas também em insetos, agindo como um ótimo repelente. Para preparar o tabaco macerado coloque 3 ou 4 cigarros em meio litro d’água. Deixe macerar por dois dias e depois filtre, ou passe o líquido obtido por uma peneira fina. Coloque-o em um spray e está pronto o seu inseticida natural.
7. Inseticida spray de pimenta
      A pimenta é um excelente repelente natural contra pragas. Para preparar o spray, bata no liquidificador em alta velocidade por 2 minutos, cerca de 6 a 10 pimentas (qualquer tipo, mas preferencialmente as mais fortes) com dois copos d’água. Deixe a mistura descansar durante a noite. No dia seguinte, filtre-a e adicione um copo d’água. Despeje o líquido no pulverizador e pronto!
8. Adubação verde
      Seu gramado não está tão verde como você gostaria? Não se preocupe, basta apenas um simples cuidado: quando você cortar a grama não a recolha, deixe-a no chão! Será uma valiosa fonte de nitrogênio. A grama recém-cortada, por ser muito curta, decompõe-se rapidamente, enriquecendo o solo de nutrientes e fazendo o seu gramado ficar ainda mais verde.
9. Adubação com borra de café
      Se você adora e bebe muito café, não jogue fora sua borra que é uma excelente fonte de nitrogênio para o solo, além de ser rica em antioxidantes. Adicione a borra à sua compostagem ou polvilhe-a diretamente sobre o solo.
10. Nematóides amigos
      Eu sei, pode parecer estranho existirem vermes amigos de seu jardim, mas è verdade! Muitas vezes, para controlar a população de pragas são necessárias outras pragas, ou melhor, outros insetos antagonistas. Este tipo de Nematóide bom é capaz de matar muitas pragas do seu jardim, incluindo besouros, gorgulhos e muitos outros. Você pode comprá-los em lojas especializadas.
11. Compostagens
      A compostagem é definitivamente um dos métodos mais simples e eficazes para enriquecer o solo e fazer o seu jardim florescente e produtivo. O que você precisa é de restos de comida e de todas as substâncias ricas em nitrogênio, como grama, folhas ou palha. Você pode fazer a compostagem mesmo vivendo na cidade.
Podemos fazer muito para preservar nossos cultivares sem o uso de produtos químicos e poluentes.
      Bom crescimento à todos!😉
Fonte – GreenMe

quarta-feira, 23 de março de 2016

Folhas de citronela um repelente natural





Sobre a Citronela

A citronela é uma planta parecida com capim, originária da Ilha de Java, na Indonésia, que possui características interessantes, mas ainda pouco aproveitadas pelo homem.



O vegetal é rico em citronelal e o geraniol, substâncias que dão a ela um odor cítrico semelhante ao do eucalipto. Devido a isso, pode-se usá-la como aromatizador e em produtos de perfumaria.



Mas não pára por aí, a citronela possui outra qualidade: o mesmo cheiro que agrada tanto aos humanos é insuportável aos insetos, como moscas e mosquitos, característica que faz dela um repelente natural, além de ecológico, pois espanta os animais ao invés de matá-los.



Segundo a aromaterapia, a citronela também funciona como antidepressivo, anti-séptico, desodorante, tônico e estimulante.



Há quem pergunte se apenas cultivando a citronela no jardim é possível usufruir do poder repelente da planta. A resposta é sim, mas com uma ressalva: para que o resultado seja positivo, é preciso plantar a citronela no caminho percorrido pelo vento, de forma que leve o aroma até o local de onde desejamos manter os mosquitos afastados.



Uma outra forma de aproveitar o poder repelente da planta é fazer um chá com as folhas da planta e usá-lo para limpar o chão, passar em parapeitos de janelas, etc.



O método industrial de extração do óleo essencial da citronela é conhecido como “arrasto de vapor”. As folhas são colocadas em um recipiente e passam a receber vapor d’água constantemente. A água é aquecida em uma caldeira. Ao passar pelas folhas da citronela, o vapor leva junto o óleo essencial, separado da água, em seguida, por condensação.



Já a extração caseira do óleo essencial da citronela não é muito simples. Segundo informações da Seção de Plantas Aromáticas do Instituto Agronômico de Campinas (IAC), pode-se colocar as folhas com um pouco de água num panela de pressão: o vapor que sair de lá também vai conter óleo essencial.

O problema é recolher este vapor, para daí extrair o óleo.



Uma outra dica é que o óleo essencial da citronela é também solúvel em álcool. Assim, se misturarmos as folhas ao álcool, naturalmente o óleo essencial vai ser liberado. Aqui o problema é o seguinte: outras substâncias presentes na folha, como clorofila e pigmentos, também são solúveis em álcool e, neste caso, não teríamos o óleo puro como se obtém por meio do vapor d’água.



T i n t u r a



200g da planta seca e triturada

1 litro de álcool comum (para uso externo) a 70%

1 vidro de boca larga e escuro, de preferência, com capacidade mínima de 1 litro

1 frasco escuro para acondicionar

1 funil

1 papel filtro

pano branco e limpo para coar e etiquetar



Modo de fazer



Pesar 200g da planta seca e triturada. Colocar num frasco de boca larga. Despejar 1 litro de álcool a 70% sobre a erva. Tampar o frasco e cobrir com papel escuro, se o vidro for claro. Deixar em maceração por no mínimo 8 e no máximo 21 dias, em local seco e protegido da luz. Agitar 2 vezes diariamente. Coar com o pano branco e completar o volume para 1 litro, passando mais álcool a 70% sobre o resíduo da planta. Filtrar em papel filtro e guardar em frasco escuro. Rotular.

Validade: 2 anos



L o ç ã o R e p e l e n t e



Ingredientes para 1 litro de loção (100%):

150ml de glicerina líquida (15%)

150 ml de tintura de Citronela (15%)

350 ml de álcool de cereais (35%)

350 ml de água mineral, destilada ou filtrada (35%)



Modo de fazer



Misturar todos os ingredientes em partes iguais e embalar em recipiente de cor âmbar.

Passar na pele quando estiver em locais com moscas e mosquitos.




domingo, 14 de fevereiro de 2016

Alho, gengibre e malva no controle alternativo da antracnose

ANTRACNOSE no tomate
RESUMO

A antracnose é considerada uma importante doença do pimentão (Capsicum annuumL.) no Estado de Pernambuco e em várias partes do mundo, causando perdas significativas à produção de frutos para comercialização. Ações voltadas para medidas preventivas como o controle alternativo, são de grande relevância por meio da exploração de compostos secundários presentes em plantas medicinais com atividade antimicrobiana. 

O presente trabalho teve por objetivo, avaliar a eficiência de extratos vegetais brutos no controle da antracnose em pimentão, bem como analisar a estabilidade do controle dos tratamentos promissores em relação a.diferentes concentrações dos extratos, concentrações
do inoculo e isolados do patógeno e, temperaturas. Na seleção preliminar foram utilizadas 16 espécies vegetais para obtenção de extratos aquosos e etanólicos.
. Os extratos aquosos de alho (Allium sativum L.), malva ( Malva sp.) e gengibre ( Zingiber officinale Roscoe.) propiciaram reduções superiores a 97% nos níveis de severidade. O maior valor de CL 75 foi constatado para o extrato de alho (3,5%), enquanto o menor valor de CL 75
foi verificado com a aplicação de extrato de gengibre (2,1%). A menor taxa de redução da eficiência do controle (TRE) da antracnose com o incremento do inóculo do patógeno ocorreu no extrato de alho. 

Com relação a diferentes isolados de C. gloeosporioides , foi constatada interação significativa entre os tipos de extratos e os isolados do patógeno. Os extratos vegetais foram eficientes no controle da doença nas temperaturas de 20, 25 e 30 ºC, enquanto nas temperaturas 10, 15 e 35 °C não houve doença. Não houve diferenças nas eficiênc ias dos extratos de alho e gengibre, enquanto o extrato de malva apresentou a menor eficiência a
 20º C, diferindo das outras temperaturas, bem como dos de mais extratos nessa temperatura. Os resultados obtidos nesse estudo indicam o grande potencial de utilização do extrato de alho a 6% no controle da antracnose em pimentão, considerando sua estabilidade em diferentes situações.
Trabalho completo em 
http://www.pgfitopat.ufrpe.br/teses/ms119.pdf

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Repelente à base de neem, citronela e andiroba é alternativa natural e eficaz no combate a insetos

Extraído do site:http://www.ecycle.com.br/component/content/article/67-dia-a-dia/3199-repelente-repel-alternativa-natural-sustentavel-arvore-neem-oleo-andiroba-citronela-uso-humano-medicinal-livre-quimica-nociva-propriedades-beneficios-saude-meio-ambiente-eficaz-contra-insetos-mosquitos-moscas-pernilongo-dengue-como-onde-encontrar-comprar.html

Cansado dos repelentes comuns e cheios de químicos tóxicos? Conheça o Repel-Neem: um produto sustentável que combina citronela, andiroba e neem. Confira suas propriedades

É atribuída ao Dalai Lama, figura política e espiritual do Tibete, a frase: "Se você se acha pequeno demais para mudar o mundo, tente dormir com um pernilongo no quarto". Porém, até mesmo o maior representante do budismo no mundo admite em vídeos que, quando o terceiro mosquito se aproxima para bebericar seu sagrado sangue, a paciência já ficou para a próxima encarnação. Imagine só nós, meros mortais que detestamos filas de banco ou os anúncios de cinco segundos dos vídeos na internet.
Mas graças a Deus (ou aos deuses) foi inventado o repelente de insetos natural. Na flora, existem diversas espécies de plantas que podem nos ajudar com esse karmacoletivo. Três delas estão presentes no repelente natural da Preserva Mundi: neem, andiroba e citronela.
Vamos falar um pouco das propriedades dos óleos extraídos de cada uma delas:

Óleo de neem

Neem é uma árvore nativa da Índia com propriedades medicinais e terapêuticas, podendo ter muitas de suas partes aproveitadas, como sementes, folhas e casca. É usada na indústria farmacêutica e em produtos de higiene e de limpeza. Dentro do seu fruto há uma semente que apresenta uma amêndoa. Esta, ao ser triturada e prensada a frio, gera o óleo de neem. A massa resultante da prensagem pode ser usada como adubo controlador de fungos (ou vermífugo na alimentação animal). Ou seja, tudo da árvore é aproveitado.
O óleo obtido é rico em ácidos graxos. É inseticida orgânico eficaz contra mais de 200 espécies de insetos, como baratas e piolhos. Possui propriedade antifúngica (contra 14 tipos de fungos de pele, inclusive micoses), antibacteriana (eficaz contra as causadoras de cravos e espinhas), antiviral, antisséptica (contra caspa e seborreia) e anti-inflamatória. Alivia coceiras e vermelhidões causadas por picadas de insetos. Pode ser usado nos pets, afasta pulgas, carrapatos e sarnas, além de proporcionar brilho ao pelo do animalzinho - basta adicionar ao xampu e ao sabonete do bichinho.
Por fim, uma curiosidade: melhora a aparência de objetos enferrujados.
O óleo de neem é biodegradável e não é bioacumulável.

Óleo de andiroba

A andiroba é um planta nativa da Amazônia e seu fruto é uma cápsula que se abre ao cair no chão, liberando de quatro a seis sementes - é dessas sementes que o óleo de andiroba é extraído. O método de extração é totalmente sustentável quando os responsáveis esperam os frutos caírem naturalmente.
Este óleo também é rico em ácidos graxos como o oleico e o linoleico, mais conhecidos como ômega 9 e ômega 6, respectivamente. Possui propriedades antissépticas, anti-inflamatórias, cicatrizantes, inseticidas e outros diversos benefícios. Mesmo na Amazônia, seu maior e mais tradicional uso é como repelente de insetos e no tratamento de coceiras e picadas causadas por estes, devido a suas propriedades cicatrizantes. Também pode ser aplicado em móveis e madeiras, preservando-as e protegendo-as de cupins, além de aumentar sua durabilidade. Misturado a xampus e cremes, combate a queda de cabelo e calvície, e, assim como o óleo de Neem, trata piolhos.
Não é indicado para consumo humano via oral. Um estudo realizado pelas Universidades Federais de Pernambuco e do Pará publicou que o consumo via oral desse óleo pode afetar negativamente o funcionamento do fígado.

Citronela

O mais famoso e popular inseticida. Seu uso é tópico, aplicado diretamente na pele, aliviando ardores e coceiras provocadas por insetos. Não há restrições para uso em crianças, pessoas de pele sensível ou animais. Borrifar um pouco de hidrolato de citronela na coleira de animaizinhos de estimação afasta pulgas, carrapatos e mosquitos.
Também traz alívio para dores reumáticas. Aromatizar o ambiente com hidrolato de citronela tem efeitos positivos para nervosismo, ansiedade e agitação, devido a suas propriedades calmantes.

O que é o DEET

O problema das loções repelentes comercializadas pode ser resumido em apenas quatro letras: DEET, ou dietil-toluamida. Esse componente químico está presente na maioria dos repelentes de mercado, sendo uma das principais substâncias. O DEET atua nos sensores das antenas dos pernilongos e mosquitos, impedindo-os de reconhecer o gás carbônico liberado pelos seres humanos na respiração, mantendo-os afastados. No entanto, o DEET tem um grau de toxicidade que pode desencadear processos alérgicos, tanto na pele quanto no sistema respiratório, em narinas e mucosas e, em casos graves, pode causar até danos hepáticos. Até o momento, não há um consenso entre os especialistas sobre os reais efeitos que essa substância pode provocar à saúde humana. Porém, um estudo realizado por cientistas da Grã-Bretanha comprovou que o mosquito da dengue já desenvolveu uma resistência biológica a ele, graças ao seu uso em larga escala nos repelentes.

Neem e o Meio Ambiente

De acordo com o registro de biopesticidas da EPA (Environmental Protection Agency), o óleo de Neem prensado a frio não afeta aves, abelhas, plantas ou seres terrestres como minhocas; ele é, no entanto, ligeiramente tóxico para organismos aquáticos. As categorias para medir o potencial tóxico de um elemento, segundo a EPA, variam de 1 a 4, sendo 4 o nível que apresenta menor perigo - e é nesta categoria que o Óleo de Neem se encontra, indo para 3 em alguns casos de possível alergia dermatológica.
Segundo os dados de estudos feitos em laboratório, a Concentração Letal do produto com água é de 70,6 a 84,3 ppm (partes por milhão), após um período de 96 horas para peixes .
Se convertermos esses valores para medidas mais compreensíveis, teremos: 0,0706 gramas por litro a 0,0843 g/L (gramas por litro) - considere que é menos de um grama.
Para seres invertebrados de ambiente aquático, após 48 horas a Concentração Letal é de 57,5 a 63,9 ppm (0,0575 g/L a 0,0639 g/L). Especificamente para a espécie de truta arco-íris a Concentração Letal é de 0,48 ppm.
Contudo, o óleo de Neem tem rápida biodegração, ou seja, não acumula: dentro de 50 a 100 horas o composto já é partido ao entrar em contato com a água ou a luz.
O maior componente dele é a azadiractina (pois seu nome científico é Azadirachta indica), responsável por 90% dos efeitos causados nos insetos e é um indicador de padrão de qualidade; por isso nos experimentos é avaliada a sua concentração como referência. Para quem não sabe, o óleo de Neem é usado no controle de insetos, pragas e parasitas na agricultura e pecuária.

Descarte

Vale ressaltar que o descarte indevido de óleos provoca sérios impactos ambientais, principalmente na questão de contaminação da água. Dessa forma, o descarte de óleos vegetais em ralos e pias é inadequado, pois pode causar diversos riscos ambientais e também entupimento nos encanamentos. Portanto, em caso de descarte, procure pelo local correto para esses produtos; disponha os resíduos de óleo em recipientes plásticos e leve-os a um ponto de descarte para que o óleo possa ser reciclado.
Você pode encontrar aqui o ponto mais próximo para descartá-los.
Para conhecer uma série de alternativas que a natureza nos oferece para protegermos nossa saúde e praticarmos o consumo sustentável, clique aqui.

domingo, 7 de fevereiro de 2016

Plantas Repelentes: plante-as perto de outras para protegê-las dos ataques de pragas

As plantas anti-pragas ajudam a proteger contra fungos e insetos as plantas mais vulneráveis

As plantas anti-pragas colocadas junto a espécies mais vulneráveis ​​são capazes de repelir os ataques de fungos e insetos aos nossos jardins e áreas cultivadas. Além disso, estas associações de plantas são benéficas porque consumem diferentes nutrientes sem competir umas com as outras. Quer saber quais são essas plantas?
Fritillaria contra roedores:
Fritillaria_-1024x767

odor vindo do bulbo da coroa imperial (Fritillaria imperialis) é tão desagradável para toupeiras e ratos que impede que se aproximem a pouca distância desta planta. Aconselhamos que plante perto de outras plantas que queira proteger de ataques de roedores, como os cultivos da horta. E é decorativo!
Tagetes para repelir vermes:
Tagetes_-_Botanical_Garden_of_Bangalore-1003x1024

As Tagetes não são apenas decorativas. Além de oferecer muitas variedades de tons, a substância desprendida das suas raízes mantém afastados os fungos, bactérias e os nematóides, que são vermes microscópicos que parasitam as raízes das plantas. Plantando vários exemplos de tagetes conseguirá mantê-los afastados das suas roseiras e batatas.
Manjericão para afastar o bolor
albahaca1-1024x885

O manjericão repele o bolor: as plantas que retêm gotas de água do orvalho ou chuva podem desenvolver bolor, um fungo que pode ser combatida com o plantio de manjericão que capturará todas essas gotas de água.
Plantas para eliminar o pulgão:
dedalera

Existem várias plantas resistentes ao pulgão que pode colocar junto daquelas mais sensíveis, como as roseiras. As dedaleiras acolhem os pulgões sem ficarem afetadas, protegendo do seu ataque outras plantas próximas.
A planta Cinco-chagas age como armadilha que atrai os pulgões e evitam que aproximem-se de árvores e hortaliças. Plantas aromáticas, tais como salva, rosmaninho e erva-cidreira também repelem os pulgões.

Fonte: Jardiland