Mostrando postagens com marcador humus;minhoca. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador humus;minhoca. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Rede de supermercados dá o exemplo e investe na compostagem de lixo orgânico!


Rede de supermercados dá o exemplo e investe na compostagem de lixo orgânico
O comportamento das empresas está mudando e nós consumidores estamos muito mais atentos e informados sobre a reputação das companhias. E o mais importante: conseguimos checar se o que ela diz que faz é realmente verídico.
Um desses exemplos positivos é o da rede de supermercados Zona Sul, do Rio, que decidiu transformar o lixo orgânico gerado em suas lojas em adubo, pois as redes de supermercado são as maiores responsáveis por gerar esse tipo de lixo.
Entende-se por lixo orgânico materiais de origem biológica, como restos de alimentos e bebidas, plantas e animais mortos, que em seu processo de decomposição produzem o chorume, que pode provocar a contaminação de solo e águas. Daí a importância de fazer a compostagem, que é o processo de transformação de matéria orgânica em adubo, com a ação de bactérias em alta temperatura. Com a separação das cinco toneladas de lixo orgânico geradas pelas 33 lojas por mês, três toneladas transformam-se em adubo.
Segundo Fortunato Leta, diretor-presidente da rede de supermercados, fazer todo esse processo ainda é caro, e que jogar o lixo no aterro sanitário é muito mais barato, mas que eles precisavam retribuir para a sociedade e diminuir a carga de resíduos gerada. Dá uma olhada nas imagens abaixo:
5345a0a3c61b14.34883717
lixo12_6131
surui - descarregando bombona DSC07499
surui - leiras DSC07480
06
slide-3
É muito bom saber que empresas estão começando a perceber que aliar seu lucro com um propósito é o caminho ideal para a sobrevivência das marcas, e que essas iniciativas serão os grandes pesos de decisão do consumidor em relação a consumir nas empresas em um futuro bem próximo.
Post por Razões para Acreditar.
Fotos: Divulgação e do site Vila Verde

terça-feira, 18 de abril de 2017

Húmus de minhoca pode ser um grande parceiro do pequeno produtor rural

TÉCNICA RURAL

Adubo caseiro contém hormônios vegetais que fortalecem as plantações


Divulgação/Itaipu Binacional
Foto: Divulgação/Itaipu Binacional
Húmus de minhoca melhora a porosidade dos terrenos.
Uma alternativa simples e barata para pequenas propriedades rurais adubarem o solo é investir em um minhocário campeiro. Com a produção de húmus de minhoca é possível obter um produto de qualidade para fertilizar hortas, pomares, flores e plantas em geral sem o uso de adubos químicos e industrializados.

Húmus é todo material orgânico degradado no solo. Já o húmus de minhoca é a excreção do próprio anelídeo, que come material orgânico e acaba fertilizando a terra. Este tipo de adubo melhora a porosidade dos terrenos, reduz o risco de erosão e acelera o processo de humificação dos demais resíduos de matéria orgânica presentes no solo. Por não ser tão solúvel quanto os fertilizantes industrializados, o húmus não é levado junto com a água da chuva e possui praticamente todos os nutrientes necessários às plantas, mantendo a planta em boas condições ao longo do cultivo.

– O húmus de minhoca possui praticamente todos os nutrientes que tem o adubo mineral, desses comprados em agropecuárias Nele contém nitrogênio, fósforo, potássio, magnésio, cálcio e uma série de micronutrientes. Quando o húmus é produzido a partir de esterco, ele contém também uma serie de hormônios vegetais que fortalecem as plantações – explica o pesquisador da Embrapa, Gustavo Schiedeck.

A produção de adubo de minhoca também proporciona a sustentabilidade na propriedade rural, especialmente na agricultura familiar. Segundo o pesquisador, o húmus pode ser uma prática integradora de outras atividades, pois pode ser feito a partir de excrementos de animais, como vacas, porcos e aves, quanto de restos de colheita, capina, misturados ou não, da própria propriedade. Sem a necessidade de alta mão de obra, construir e manter um minhocário pode ser uma boa saída para pequenas fazendas.

A espécie de minhoca mais utilizada para a formação de um minhocário é a “Vermelha da Califórnia”. Essas são indicadas para a prática porque comem rápido e em grande quantidade (por dia, ingerem uma quantia de alimento que equivale ao seu peso) e reproduzem-se com facilidade (quando duas minhocas acasalam, por serem hermafroditas, ambas saem fecundadas).

– A cada três dias a minhoca coloca um casulo, onde vão nascer até três minhocas. Em 90 dias, elas estarão adultas, prontas para começar a se reproduzir. Em três ou quatro meses, o número de minhocas pode quintuplicar – assegura Gustavo.

Schiedeck também dá algumas dicas sobre como deve ser a construção e o manejo do minhocário. A primeira camada a ser colocada deve ser de minhoca e, por cima dessa, uma outra camada de aproximadamente 15 cm de esterco. Quando o esterco, ou qualquer material orgânico escolhido, tiver sido transformado em humos é hora de pôr uma nova leva de matéria prima. O húmus estará pronto quando estiver em forma granulada e quando perder o cheiro forte de esterco e ganhar um aroma de terra após a chuva.



Aprenda a fazer um minhocário de baixo custo

segunda-feira, 27 de março de 2017

Húmus líquido é a mais nova alternativa para adubação de hortaliças

A Embrapa Clima Temperado, juntamente com outras  Unidades do Sul do Brasil, participa da Expointer 2010 e apresenta na Casa da Embrapa, as últimas novidades em ciência e tecnologia para o setor agropecuário, apresentados por meio de impressos, audiovisuais e degustações que ocorrem ao longo da feira. Dentre os produtos desenvolvidos pela pesquisa, destaca-se o húmus líquido, que está sendo apresentado ao público nessa edição do evento, em Esteio
.
Segundo o pesquisador da Embrapa Clima Temperado, Gustavo Schiedeck, a utilização de fertilizantes orgânicos alternativos com alto valor nutricional e biológico é uma das principais demandas dos horticultores que optam por uma produção de base ecológica. Ele destaca que a aplicação do húmus de minhoca é complexa em adubações de pós-plantio nos cultivos com cobertura morta, podendo se tornar um agente disseminador de sementes de plantas espontâneas, especialmente quando o esterco é proveniente de diferentes áreas.

Devido a este aspecto, Gustavo defende a aplicação do húmus líquido na adubação orgânica aplicada em hortaliças. Este novo fertilizante é composto principalmente por húmus de minhoca, porém seu diferencial é a adição de água em sua composição. “Para cada 100 litros de húmus líquido, em concentração aproximada de 10% na relação entre sua massa e seu volume, é necessária a utilização de 20 kg de húmus sólido adicionados à água preferencialmente sem cloro”, salientou Schiedeck.

Preparada a mistura, o húmus líquido deve ser agitado durante dois ou três dias, pelo menos uma vez a cada 24 horas, para que os nutrientes possam ser liberados para a água. Após este período, o fertilizante deve ser deixado em repouso para que as partículas sólidas que ainda possam estar presentes em sua constituição se dirijam ao fundo do recipiente. A próxima etapa do processo é a filtragem das partículas mais finas que ainda possam ser encontradas em suspensão.

A filtragem pode ser realizada tanto com filtros de areia como com filtros de discos. Quando a escala de húmus líquido não for elevada, pode-se realizar uma filtragem simples, utilizando um recipiente coberto no fundo com uma tela ou tecido de seda que retenha as partículas em suspensão, incluindo sementes que possam entupir os gotejadores das hortas.

Segundo o pesquisador, o húmus líquido pode ser aplicado em hortaliças via sistema de irrigação através do Tuboventure, equipamento que mistura o fertilizante à água que será destinada à irrigação das plantas. Durante este processo, a entrada de água nos canos de irrigação é desviada até o Tuboventure, onde o húmus líquido será automaticamente misturado à água para posteriormente ser aplicado nas hortas através dos gotejadores. Schiedeck ressalta que nas hortas de morango da Embrapa Clima Temperado é utilizado 1 l/m2 de húmus líquido  a cada quinzena, sendo colhido, em média, 1 kg de frutas em áreas onde há a aplicação do fertilizante.
Outro aspecto favorável à utilização do húmus líquido é a reutilização do material obtido após a filtragem de suas partículas finas em outras adubações, pois, mesmo contendo menos nutrientes do que o material original, sua eficácia como fertilizante ainda é significativa.

Christiane Rodrigues Congro – Mtb-SC 00825/9
Colaboração: Carlos Salvador (estagiário)
Embrapa Clima Temperado
Contatos: (53) 3275-8113 – christiane.congro@cpact.embrapa.br

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Construção de composteira doméstica ou minhocário. vocês podem ver o passo a passo.



Construção de composteira doméstica ou minhocário. vocês podem ver o passo a passo. As partes que compõe o sistema. Na ordem de baixo para cima temos:
- 1ª caixa (estanque)
- 2ª caixa (furada no fundo)
- 3ª Caixa (furada no fundo)
- 4º a tampa (fazer furinhos pequenos) para transpiração e oxigenação;
- 1 Torneirinha de filtro de Barro.
Para o funcionamento inicial:
- Coloca-se uma matriz de minhoca na 2ª caixa;
- Conforme produzimos os restos de comida colocamos na 2ª caixa;
- Lembre-se de respeitar a proporção Carbono e Nitrogênio (2X1);

Tenho minhocas californianas e minhocário para vender em Porto Alegre, RS.

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Redução de impactos ambientais de resíduos orgânicos com o uso da minhocultura e da vermicompostagem


A minhocultura e a vermicompostagem têm grande potencial na reciclagem de resíduos orgânicos com o objetivo de reduzir o impacto ambiental do lixo orgânico de feiras e residências, de aproveitar esses resíduos para adubação orgânica e utilizar o adubo em praças públicas, hortas escolares e propriedades familiares. 

Para falar sobre a redução de impactos ambientais dos resíduos orgânicos com o uso da minhocultura e da vermicompostagem, o Prosa Rural desta semana convidou o pesquisador da Embrapa Tabuleiros Costeiros (Aracaju/SE), Joézio dos Anjos.
“A minhocultura é a técnica de criação de minhocas visando a produção de adubos de qualidade a partir de resíduos orgânicos, seja de origem animal, como estercos, ou de origem vegetal, como, por exemplo, resíduos de cozinha, como cascas de frutas e verduras”, destaca o pesquisador durante sua participação no Prosa Rural.
Ele explica que a reciclagem, utilizando-se as técnicas da minhocultura e da vermicompostagem, traz vários benefícios, dentre eles, a produção de adubos orgânicos de baixo custo, a obtenção de proteína de alta qualidade (proteína das minhocas) destinada à ração de pequenos animais na propriedade familiar, a diminuição da poluição do solo e da água pelo aproveitamento dos resíduos orgânicos provenientes de feiras e dos resíduos domésticos, além de representar uma oportunidade de valorização da pequena propriedade familiar.
Durante o programa, Joézio dos Anjos fala também sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos, um conjunto importante de leis com preocupação ambiental que tem como um de seus objetivos resolver o grande problema dos lixões existentes em todo o Brasil. “Essa política considera o lixão um crime federal e destaca a necessidade da transformação dos resíduos antes de sua destinação final”, explica o pesquisador da Embrapa Tabuleiros Costeiros.
Segundo ele, o trabalho de reciclagem pode ser feito pelas prefeituras, que têm áreas e máquinas necessárias, além de mão-de-obra, para montagem de pequenas áreas de reciclagem, em pontos estratégicos do município.
Saiba mais sobre este assunto ouvindo o Prosa Rural desta semana, o programa de rádio da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O programa conta com o apoio do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.
2012/07/23
Sayonara Marinho
Email: sayonara@cpatc.embrapa.br
Telefone: (79) 4009-1395
Embrapa Tabuleiros Costeiros
Colaborador URL

Embrapa Informação Tecnológica
http://hotsites.sct.embrapa.br/prosarural/programacao/2012/reducao-de-impactos-ambientais-com-uso-da-minhocultura-e-vermicompostagem

terça-feira, 12 de abril de 2016

Humus Líquido

O humus líquido é uma opção para a adubação orgânica em hortaliças, sendo obtido pela mistura de húmus de minhoca sólido e água, aprenda o procedimento com o pesquisador Gustavo Schiedeck.

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Saiba mais sobre as minhocas e aprenda a fazer um minhocário !

MARCOS DÁVILA
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA
Gabo Morales/Folhapress
O garoto Micah Spínola, 1, brinca com terra em minhocário
O garoto Micah Spínola, 1, brinca com terra em minhocário
O trabalho das minhocas lembra o famoso ditado do químico Antoine Lavoisier (1743-1794): "Na natureza, nada se cria, nada se perde, tudo se transforma".
Esses bichos podem comer o nosso lixo orgânico (restos de comida) e liberar um cocô que funciona como adubo (substância que dá força para as plantas).
Então, por que não levá-los para dentro de casa e reduzir o volume do saco que deixamos na rua para o lixeiro levar?
Até mesmo quem mora em apartamento pode ter um minhocário doméstico. Trata-se de um sistema de caixas de plástico empilhadas onde minhocas são criadas. Elas se alimentam com restos de verduras, folhas, frutas etc. e, a partir daí, produzem adubo.
Algumas empresas vendem kits de minhocultura e dão cursos de como utilizá-los, mas é possível fazer um minhocário em casa (veja passo a passo ao lado).
"Nas grandes cidades, é uma maneira de reduzir os danos do lixo à natureza", diz Cláudio Spínola, 35, diretor-executivo da Morada da Floresta, que vende minhocas e minhocários.
Para Cesar Danna, 38, diretor-administrativo da empresa Minhocasa, os minhocários domésticos são uma ferramenta para a educação ambiental. "A criança consegue ver o ciclo completo, desde que o lixo é gerado, o jeito errado de jogá-lo fora e o resultado da transformação em adubo."
Outro "maluco" por minhoca é o zootecnista Afrânio Augusto Guimarães, criador da empresa Minhobox e do Portal da Minhoca, que reúne informações sobre minhocas e vende as vermelhas-da-califórnia --espécie mais adequada a minhocários domésticos.
Segundo Raquel Ribeiro, autora de "A Fuga das Minhocas", o minhocário precisa de pouco espaço em casa, mas de muita boa vontade. "Nossa cultura diz que temos de nos livrar rapidamente do lixo, como se evaporasse nos lixões, e trata como nojento o resíduo orgânico [restos de comida]. Curioso, não? É a mesma comida que foi para a nossa barriga", fala.
MINHOCAS EM CASA
Criança pode montar um minhocário, com a ajuda de um adulto. Veja passo a passo.
Fotos Gabo Morales/Folhapress
Passo 1
Passo 1
1 - Para fazer um kit de minhocultura, separe três caixas modulares (que se encaixam umas nas outras). Com uma furadeira, um adulto faz vários buracos no fundo de duas delas.
2 - As bordas da tampa também devem ser furadas, com uma broca fina, para possibilitar a passagem de ar.
Passo 3
Passo 3
3 - Na caixa que fica embaixo das outras, deve ser feito um furo maior em um dos lados. Encaixe uma pequena torneira (como as usadas em filtros de água).
4 - Depois de empilhar as caixas, coloque a terra com as minhocas na de cima, até chegar à altura de mais ou menos dois dedos. Faça o mesmo com a caixa do meio.
5 - Despeje os resíduos orgânicos (folhas, restos de frutas, guardanapo de papel usados) na caixa de cima. Cubra o lixo orgânico com a mesma quantidade de serragem, folhas secas ou papel de jornal picado.
Passo 5
Passo 5
6 - Quando a caixa de cima ficar cheia, troque-a de lugar com a do meio. Quando os restos de comida voltarem a ser colocados na de cima, as minhocas, que estão na do meio, vão subir pelos furinhos para voltar ao trabalho.
Ilustração Orlando Pedroso/Folhapress
Compostagem
Veja como é um minhocário por dentro
Quando a de cima estiver cheia de novo, a do meio terá adubo; ponha no jardim e comece tudo de novo. A caixa de baixo acumulará um líquido que deve ser retirado pela torneira e usado para regar plantas.
ONDE COMPRAR MINHOCAS E MINHOCÁRIOS DOMÉSTICOS
Morada da Floresta (www.moradadafloresta.org.br; tel. 0/xx/11/3735-4085)
Minhobox (www.minhobox.com.br; tel. 0/xx/32/3211-4122)
Minhocasa (www.minhocasa.com; tel. 0/xx/61/4141-2766)


PARA QUEM QUISER: FORNEÇO MINHOCAS DA CALIFÓRNIA - 100 unidades a R$ 25,00.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Record Rural - Atividade ecológica; criação e comercialização de minhocas

Minhocultura é uma atividade diferente que assegurar margem de lucro bastante alta. Vamos conhecer a criação de seu Agnaldo, que além de comercializar as minhocas ainda vende o húmus, um excelente fertilizante natural.

domingo, 6 de outubro de 2013

Jornal Futura - Horta em Qualquer Lugar - Santa Cruz do Sul - RS

A busca por uma alimentação saudável é uma preocupação crescente entre os brasileiros. Muitas cidades, por exemplo, estão investindo em hortas urbanas, que nada mais é do que utilizar diferentes espaços da cidade para o cultivo de alimentos orgânicos, sem agrotóxicos. Além de saudável, essa nova forma de plantar revitaliza o uso do espaço urbano e muda a maneira de produzir e consumir comida. Na cidade de Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul, moradores resolveram inovar e encontraram soluções sustentáveis para o consumo de verduras e legumes. A reportagem é da UNISC TV.

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Humus de minhoca - Humus de lombriz, excelente abono

Escrito por  | 
0

La lombricultura es una actividad que consiste en obtener un riquísimo humus a partir de estiércol digerido por lombrices de tierra (Lumbricus terrestris). Estos afanosos gusanos se prestan a una especie de ganadería que tu mismo puedes  recrear en un rincón de tu jardín. En este acercamiento, puedes observar una buena colonia de lombrices de tierra, gusanos anélidos que sólo piden para comer estiércol y basura. Quizá no sean los gusanos más guapos del mundo, pero su trabajo es un manjar para nuestras plantas.



Humus de lombriz, excelente abono
Para tener un cultivo de lombrices, lo primero que se ha de disponer es de un recipiente lo suficientemente grande para albergar a estos gusanos, bien un contenedor de gran tamaño, o una zona del jardín alejada, donde compostemos los desechos de la casa o del jardín.
Humus-de-lombriz-1Humus de lombriz, excelente abono1. Una vez preparado el recipiente, que debe ser amplio y bien aireado, con el estiércol, se introducen las lombrices que se enterrarán rápidamente en el subsuelo.



Humus de lombriz, excelente abono2. Para rebajar la acidez y mantener el suelo más mullido, utilizar fibra de coco sobre la superficie, que puede ser reemplazada por turba fibrosa.




Humus de lombriz, excelente abono3º Por último hay que colocar una tapa sobre la factoría de humus, para que las lombrices estén más atemperadas y en completa oscuridad, libre de que las aves, como los mirlos, nos roben los preciados gusanos.




Utiliza este sustrato, ya abonado, para tus plantas, verás como se desarrollan mucho mejor las plantas en este tipo de suelo, freco, mullido y bien fertilizado de una forma natural y ecológica.
Notarás la diferencia.
Conoce más sobre el autor en su 

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Minhocas se transformam em fertilizantes orgânicos - VIDEO


Fertilizantes orgânicos feitos a partir da produção de humus de minhocas, é o que faz o engenheiro Nelson Baldo.
Os canteiros tem 100 metros X 1,20, cobertos com lonas reutilizadas vindas da construção civil através de catadores de lixo que desenvolvem parcerias com o engenheiro.
O material orgânico é colocado em camadas, as minhocas comem de baixo pra cima e vão formando o humus. Esse processo acontece até chegar a uma altura de 80 cm. Nesse momento entra em ação uma peneira desenvolvida por eles mesmos, que separa o humus para, a seguir, ser ensacado.

SOBRE AS MINHOCAS:
Elas se alimentam de detritos de várias origens, que compõem o humus.Durante o movimento, elas ingerem terra, aproveitando todo material orgânico e eliminando a terra.

As minhocas não possuem sistema auditivo e visual.

Vivem debaixo da terra, onde controem galerias e canais, arejando a terra.

São muito usadas na pesca como iscas pelos pescadores

Seu corpo é formado por anéis. Numa extremidade fica a boca (sem dentes e mandíbulas) e na outra o ânus

A minhoca respira através da pele (respiração cutânea)

Elas são hermafroditas, pois cada uma possui testículos e ovários. Mas não se reproduzem sozinhas, necessitam de uma outra para a troca de espermatozóides.

As minhocas também possuem a capacidade de regeneração.

    terça-feira, 13 de agosto de 2013

    Novo minhocário versão 2013-001

    Bom dia! Finalmente após procurar caixas plásticas em porto alegre, com um preço acessível, encontrei este modelo na CEASA RS. 
    Montei o sistema já divulgado neste blog diversas vezes e acabei desmontando um minhocário construído em bombonas de água, que não atingiu bons resultados.



    furos para as minhocas


    resíduos diversos


    resíduos

    Os resíduos são cascas, frutas, folhas, de nosso consumo e dos amigos, parentes que juntam para nós. Quando é possível, adiciono esterco de cavalos, recolhido nas praças próximas, onde os animais dos carroceiros se alimentam. Quem sabe no futuro podemos fazer uma parceria com estes trabalhadores?
    até logo!

    alexandre

    humus e minhocas do minhocário antigo

    sexta-feira, 19 de julho de 2013

    Aprenda a fazer um minhocário - até criança aprende.



    A professora de culinária infantil Márcia Aruda, com a ajuda da pequena Lena María, ensina como se faz um minhocário. Com restos de comida, caixas plásticas e algumas minhocas, ele está pronto! Aí muita gente já pensa com nojo: "minhoca? argh!", e já torce o nariz para a pobre coitada da bichinha. Mas apesar de não ser um animal tão bonito que desperte uma simpatia imediata, as minhocas tem um papel bem importante na natureza: elas produze o húmus, um tipo de adubo que é um produto da digestão dela e tem muitos nutrientes para as plantas.

    segunda-feira, 20 de maio de 2013

    Como fazer um minhocário doméstico , casa ou apartamento – versão 2.0


    Você vai precisar de:
    • Três caixas em cor escura, tipo container, que possam ser empilhadas sem o apoio das tampas e uma tampa;
    • Torneirinha de bebedouro;
    • Uma furadeira com broca de 4 ou 5 milímetros (ou outra técnica para fazer furos em plástico)
    • Minhocas (para saber mais sobre as espécies de minhocas leia Espécies de minhocas: diferenças básicas);
    • Substrato (inicialmente um saco de 20Kg);
    • Jornal sem cor ou serragem;
    • Restos de comida.
    Minhocario
    Conforme figura acima, faça de 10 a 15 furos no fundo das caixas 1 e 2 com a broca tamanho 5 e alguns furos na tampa com a broca tamanho 4. Corte a lateral da caixa 3 e fixe a torneirinha (use silicone para vedar a torneira).
    Coloque uns cinco dedos de terra na caixa 1 e as minhocas (para saber com quantas minhocas começar leia Com quantas minhocas eu começo?). Deixe um ou dois dias antes de colocar os restos de comida, acrescentando uma camada fina de terra, serragem ou jornais sem cor. Quando a caixa 1 estiver cheia, passe-a para baixo e deixe compostar, colocando a terra e os restos de alimento na caixa 2. Depois de 45 dias o húmus estará pronto para uso.

    http://www.maiscommenos.net/blog/2010/01/minhocario-caseiro-versao-2-0/

    sábado, 11 de maio de 2013

    Apetite das minhocas: alternativa ecológica ao lixo orgânico - lombricomposteur

    Na composteira, centenas de minhocas digerem os rejeitos, reduzindo seu volume, e produzem um fertilizante de qualidade para as plantas

    ©afp.com / Frank Perry
    Gwénola Picard
    Gwénola Picard, dona da fazenda de minhocas na França, um criadouro de milhões de minhocas, que se nutrem de excrementos de cavalos, vacas, aves de criação e restos de comida

    Josselin, França - Quase nada escapa à sua presença: elas se movem sutilmente em meio a cascas de batata e revelam uma silhueta rosada entre restos de verduras. No entanto, na lixeira orgânica, centenas de minhocas digerem os rejeitos, reduzindo seu volume, e produzem um fertilizante de qualidade para as plantas.

    "É incrível o que comem, são hiper-vorazes!", diz Patricia Dreano, surpresa com o apetite de 400 minhocas da espécie "Eisenia Foetida" que colonizaram uma composteira feita especialmente para elas, instalado no subsolo da sua casa, situada perto de Josselin (Morbihan, oeste da França), debaixo da mesa onde prepara suas sopas.
    Importada da Austrália e dos Estados Unidos, a composteira de minhocas permite "reciclar naturalmente até 30% do conteúdo da nossa lixeira" mais rápido e facilmente do que a composteira clássica colocada em um canto do jardim, conta Gwénola Picard, de 42 anos.
    Ao lado do marido, criador de perus, ele fundou a fazenda de minhocas de Pays de Josselin, um criadouro de milhões de minhocas, que se nutrem de excrementos de cavalos, vacas, aves de criação e restos de comida recuperados dos restaurantes.
    Usado por particulares, o princípio é simples: cada minhoca devora diariamente entre a metade e uma vez o seu peso em resíduos orgânicos (cascas, pó de café...), materiais carbonados (papelão, jornais) e até a poeira varrida com a vassoura.
    À medida que o volume dos dejetos se reduz, acumula-se o de excrementos de lombrigas na composteira de minhocas, uma espécie de torre composta de bandeiras sobrepostas e buracos, para permitir o deslocamento das minhocas.
    Só falta recolher a composteira de minhocas, um fertilizante com a consistência da terra, destinado a nutrir o solo e revitalizar as plantas. "Depois de dois meses, de cada 10 quilos de dejetos, são recuperados cinco quilos", diz Gwénola Picard.

    Sem odores, sem moscas e sem possibilidade de que as minhocas escapem. O único problema é recolher regularmente o "chá de minhoca", um adubo líquido procedente da água da matéria em decomposição, para evitar que as minhocas se afoguem.

    "Abrir a composteira na minha casa já é uma prova", admite, sorridente, Patricia Ros-Chilias, diretora do centro de lazer de Josselin. O que não a impede de receber, encantada, uma composteira de minhocas cor-de-rosa nova em folha no refeitório das crianças. "É muito prática porque não precisa ir à rua" nos dias de chuva ou frio.
    "Estão ali do lado, sabemos que temos que alimentar nossas minhocas", explica. "É um gesto automático: comemos e, em vez de jogarmos fora os restos, antes perguntamos se é possível reciclá-los", disse.
    Embora o método seduza quase todos, "a demanda aumenta nas comunidades", constata Frédéric Raveaud, da empresa Collavet-Plastiques, e criador do Eco-Worms, único modelo de composteira de minhocas francês, muito colorido. "Há quatro anos, quando começamos, era um produto para engajados", mas agora vendemos entre "3.000 e 3.500".

    No município de Saint-Jean-Brévelay, perto de Vannes, onde são vendidos a partir de 40 euros a peça, vinte particulares já estão em filas de espera.
    "Os dejetos orgânicos que deveriam ir para as composteiras representam entre 15% e 20% do conteúdo das lixeiras", diz Maxime Lohézic, do serviço ambiental desta comunidade.
    "O potencial (destas minhocas) é enorme", pois estes animais são menores e mais discretos do que as tradicionais, que vão se tornar os "novos bichos de estimação", após o pedido das autoridades competentes para reciclar os dejetos de consumo privado.

    fonte http://exame.abril.com.br/meio-ambiente-e-energia/noticias/apetite-das-minhocas-alternativa-ecologica-ao-lixo-organico

    segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

    Húmus é usado com sucesso para descontaminar área com metais


    Minhocas: fertilização e descontaminação do solo. FOTO: TÂNIA RABELLO
    Húmus é empregado com sucesso para a correção de terras que precisam ser descontaminadas. A alternativa ecológica pode ser aplicada em solos contaminados por metais pesados como cobre, chumbo, cromo.

    A experiência desenvolvida pelo Instituto de Química de São Carlos, da Universidade de São Paulo, usou húmus resultante da compostagem com minhocas (vermicompostagem) no esterco bovino.

    A professora Maria Olimpia de Oliveira Rezende, que coordenou a pesquisa, diz que o sistema ecológico é uma alternativa a um processo em geral complexo e oneroso que e utiliza produtos nocivos ao meio ambiente.

    Pelo novo método, o material empregado na vermicompostagem, o esterco bovino, é usado por ter propriedades orgânicas. Além do esterco, existem outras fontes que podem ser utilizadas como bagaço de laranja e de cana-de-açúcar.

    Segundo Leandro Antunes Mendes, mestre em química ambiental, a contaminação por cobre e chumbo pode ocorrer em qualquer área de mineração ou despejo de resíduos sem controle no solo. O cromo, liberado pelas indústrias de curtume, após o tratamento do couro, é problema de cidades paulistas como Jaú e Franca, onde existem muitas fábricas de calçados de couro.

    Mendes ressalta que, em pequenas quantidades, cobre e chumbo são importantes para as plantas, mas a bioacumulação dos metais pode tornar o solo improdutivo. O cromo impede o crescimento, provoca o amarelamento das plantas e, no caso das mudas ainda novas, a morte.

    Segundo a pesquisadora Maria Olimpia, a dosagem do húmus de minhoca pode ainda ser usada para corrigir deficiências de cobre e chumbo nos diferentes tipos de terras, conforme a necessidade de cada cultura.

    De acordo com a reportagem da Agência Fapesp, nas pesquisas iniciais foram utilizados 25% de húmus de minhoca para 75% de solo contaminado. Com esse porcentual, os cientistas conseguiram eliminar a contaminação.

    Maria Olimpia ressalta que o processo, no entanto, não retira os metais do local. "Os elementos tóxicos continuam no solo, mas ficam imobilizados. Eles não ficam disponíveis para as plantas, nem para serem carregados e levados ao lençol freático", explica a pesquisadora.


    http://www.portalorganico.com.br/noticia/121/humus_de_minhoca_descontamina_solos_que_tem_metais_pesadoshttp://www.portalorganico.com.br/noticia/121/humus_de_minhoca_descontamina_solos_que_tem_metais_pesados

    domingo, 2 de setembro de 2012

    Lixo orgânico é transformado em negócio lucrativo no Brasil


    por André Trigueiro*
    A destinação inteligente do lixo úmido já é realidade em várias empresas do Brasil. Uma delas consegue faturamento médio de R$ 100 mil por mês.

    Lixo é um negócio lucrativo, e muito positivo para o meio ambiente, desde que tratado corretamente. O que se joga fora de comida por ano no Brasil daria para alimentar 30 milhões de pessoas. É a população do Iraque.
    lixo organico 300x225 Lixo orgânico é transformado em negócio lucrativo no BrasilCada um de nós gera em média um quilo de lixo por dia e mais da metade disso é matéria orgânica. São 22 milhões de toneladas de alimentos que vão parar na lixeira. Resíduos que se transformam em uma bomba-relógio ambiental na maioria das cidades brasileiras.
    Abandonados a céu aberto, os resíduos orgânicos vão parar nos lixões, viram chorume, que contamina as águas subterrâneas. Gás metano, que agrava o efeito estufa. Atraem ratos, moscas e baratas, que transmitem doenças.
    É nesses locais que milhares de pessoas acabam vivendo, na tentativa arriscada de ganhar a vida, mas há quem já enxergue no lixo uma maneira correta de trabalhar e excelentes oportunidades de negócio. A destinação inteligente do lixo úmido já é realidade em várias empresas do Brasil.
    De restinho em restinho chega-se a cinco toneladas de lixo por mês numa fábrica de produtos de beleza. “Antes, a gente desenhava o procedimento mandando para aterro e hoje a gente utiliza nosso parceiro para fazer a compostagem, então é um ganho para sociedade”, fala o diretor da L’Oreal Brasil, Rogério Barbosa.
    Numa outra fábrica de equipamentos, os recicláveis são separados num galpão e mais recentemente, o lixo orgânico também passou a ter um destino mais nobre. Sem gastar um centavo a mais. “A gente consegue evitar que vá para aterros sanitários, cerca de três toneladas de resíduos orgânicos por mês”, fala o gerente de fabricação de equipamentos da White Martins, Giovani Santini Campos.
    Acompanhamos a rotina de uma das primeiras empresas do Brasil a transformar lixo orgânico em negócio lucrativo. O material é levado para um imenso galpão em Magé, na região metropolitana do Rio, onde acontece a compostagem.
    “A compostagem de forma natural duraria em torno de cinco a seis meses. Com um líquido, que funciona como catalisador do processo, a gente acelera isso para em média 40 dias”, explica o diretor comercial da Vide Verde, Marcos Rangel.
    Outra vantagem desse sistema é que ele reduz drasticamente as emissões de gases de efeito estufa, que provocam o aquecimento global. Nos aterros de lixo, gera-se 400 gramas de gás para cada quilo de lixo orgânico. Nas composteiras, essa emissão fica em torno de quatro gramas, por quilo, cem vezes menos.
    O que antes era resto de comida vira material seco, sem cheiro ou riscos para a saúde. Misturado à terra preta, o composto é ensacado para então se transformar em um produto cobiçado no mercado de jardinagem.
    Quem quiser pode produzir adubo orgânico dentro de casa. Em pelo menos cinco mil domicílios brasileiros, a Minhocasa é o destino final do lixo orgânico.
    “O resíduo orgânico que a gente pode colocar dentro desse minhocário pode ser desde as cascas de frutas e verduras, os talos, como também o alimento que já foi cozido como sobra de arroz, feijão, macarrão, casca de ovo, borra de café, pão embolorado, tudo isso é bem-vindo”, conta o sócio fundador da Minhocasa, César Cassab Danna.
    O sistema inspirado num modelo de política pública adotada na Austrália funciona até em apartamentos pequenos. Em caixas fechadas, que não exalam mau cheiro, as minhocas realizam de graça a conversão do lixo em adubo.
    * André Trigueiro é jornalista com pós-graduação em Gestão Ambiental pela Coppe-UFRJ onde hoje leciona a disciplina Geopolítica Ambiental, professor e criador do curso de Jornalismo Ambiental da PUC-RJ, autor do livro Mundo Sustentável – Abrindo Espaço na Mídia para um Planeta em Transformação, coordenador editorial e um dos autores dos livros Meio Ambiente no Século XXI, e Espiritismo e Ecologia, lançado na Bienal Internacional do Livro, no Rio, pela Editora FEB, em 2009. É apresentador do Jornal das Dez e editor-chefe do programa Cidades e Soluções, da Globo News. É também comentarista da Rádio CBN e colaborador voluntário da Rádio Rio de Janeiro.
    ** Publicado originalmente no site Mundo Sustentável.