Mostrando postagens com marcador alimentação saudável. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador alimentação saudável. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

castanha portuguesa: benefícios para todo o organismo!

castanha_portuguesa_capa
Artigo de especialista – Veridiana Ueda Ferreira*
A castanha portuguesa é um fruto seco muito procurado no fim do ano, principalmente para as ceias de Natal e Ano Novo, inclusive pelo seu período de comercialização ser de outubro a janeiro.
Esse alimento apresenta diversas formas de consumo e comercialização, como castanha congelada, castanha torrada, castanha em conserva, castanha em calda, farinhas, aperitivos, entre outros.
Além disso, por não conter glúten, essa oleaginosa atende ao grupo dos portadores da doença celíaca, já que a farinha de castanha portuguesa é uma alternativa saudável em substituição ao trigo e outros farináceos que possuem glúten.

conheça as propriedades da castanha portuguesa

Ao analisar sua composição nutricional, conclui-se que a castanha portuguesa é um alimento saudável por ser uma boa fonte de nutrientes essenciais, fonte de energia, proteínas que apresentam bom perfil de aminoácidos, fibras, vitaminas, minerais e baixo conteúdo de gordura, mas é importante lembrar que o consumo deve ser moderado. Confira:

carboidratos

O carboidrato presente na castanha portuguesa é composto por dois tipos de amido, o amilose e o amilopectina. O primeiro é responsável por fornecer energia e o outro por efeitos positivos sobre as funções do intestino.

proteínas

São de de alto valor biológico por possuírem aminoácidos essencias, que são precursores da proteína, ou seja, são os responsáveis pela composição. É importante recordar que o aminoácido essencial não é produzido pelo organismo, por isso precisa ser obtido por meio da alimentação.

lipídeos

Trata-se de um alimento com baixo teor de gordura e, consequentemente, hipocalórico. Possui ácido graxo insaturado, com níveis significativos de monoinsaturado e polinsaturado.

fibra

A castanha portuguesa possui quantidades significativas de fibra, no organismo é responsável pelo aumento da viscosidade do conteúdo intestinal e redução do colesterol plasmático, eleva o volume do bolo fecal, reduz o tempo de trânsito no intestino grosso e torna a eliminação fecal mais fácil e rápida.

vitaminas

As vitaminas que podemos destacar é a E e a C, a primeira age no organismo como agente antioxidante, combate os radicais livres e o retardo no envelhecimento; a segunda é importante na defesa do organismo contra infecções e fundamental na integridade das paredes dos vasos sanguíneos.

minerais

As castanhas têm um conteúdo mineral importante, que desempenha funções essenciais no organismo humano, apresenta uma quantidade significativa de ferro, atua principalmente na síntese (fabricação) das células vermelhas do sangue e no transporte do oxigênio para todas as células do corpo.

então, porque consumir a castanha portuguesa?

Por proporcionar diversos benefícios à saúde, é interessante incluir o consumo da castanha portuguesa na alimentação, já que essa oleaginosa combate os radicais livres, retarda o envelhecimento precoce e ainda possui aminoácidos essenciais, lipídeos de boa qualidade e quantidades significativas de fibra e minerais, com destaque para o ferro.
*Veridiana Ueda Ferreira é formada em nutrição pela Universidade Paulista e pós-graduada em Vigilância Sanitária e Qualidade dos Alimentos pela Estácio de Sá


segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Record News Rural - Cultivo de Ora-pro-nóbis



Tire suas dúvidas sobre o cultivo de Ora-pro-nóbis.Um biólogo explica em quais

solos a planta pode ser cultivada e o dono de um viveiro dá dicas de plantio para

quem quer cultivar a planta em casa.

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Moringa, a árvore mágica que pode acabar com a fome no mundo




Suas folhas verdes contêm mais cálcio que o leite de vaca e mais ferro que o espinafre

HAROLDO CASTRO & GISELLE PAULINO (TEXTO E FOTOS)| DO VALE DO RIO OMO, ETIÓPIA
24/06/2015 - 15h46 - Atualizado 11/06/2017 13h20

Resultado de imagem para folhas moringa
Poucos brasileiros ouviram falar de uma
 planta chamada moringa. Originária da Ásia e da África, a árvore de até 12 metros de altura fornece abundantes galhos carregados de pequenas folhinhas verdes. Considerada como uma panaceia para muitos males – de tratamento da malária a dores de estômago – e um alimento com alto valor nutritivo e com uma excelente composição de proteínas, vitaminas e sais minerais, a moringa é uma daquelas árvore que todos habitantes dos trópicos deveriam ter no quintal de casa.
Das 14 espécies identificadas, duas são as mais populares. Nativa das encostas do Himalaia, a Moringa oleifera foi reconhecida pela medicina ayurvédica como uma importante erva medicinal há quatro mil anos. A planta indiana acabou sendo disseminada por todo o mundo e chegou até o Brasil.
Uma espécie próxima é a Moringa stenotepala, nativa do leste da África. Segundo pesquisadores da Universidade de Addis Ababa, da Etiópia, que pesquisam a planta há quase duas décadas, a moringa possui uma elevada capacidade para combater diferentes doenças tropicais, tais como a leishmaniose.
Mas o que assombra os nutricionistas é sua composição como alimento. Pesquisadores concluíram que, comparada grama por grama com outros produtos, a moringa possui sete vezes mais vitamina C que a laranja, quatro vezes mais vitamina A que a cenoura, quatro vezes mais cálcio que o leite de vaca, três vezes mais ferro que o espinafre e três vezes mais potássio que a banana. E mais: a composição de sua proteína mostra um balanço excelente de aminoácidos essenciais (aqueles que precisamos ingerir pois o corpo humano não os produz).
Árvores de moringa  (Foto: © Haroldo Castro/Época)
Em um país lembrado por imagens de subnutrição, observar que a moringa etíope – a espécie Moringa stenotepala – é fartamente plantada na zona tropical do país nos dá um grande entusiasmo. Na estrada que sai de Arba Minch em direção ao sul, a árvore está espalhada em diversos campos de cultivo de milho, assim como ao redor das cabanas de palha dos habitantes da região.
Cerca de 90 km depois, chegamos em Konso, a porta de entrada para o território nativo dos povos do vale do rio Omo. Os vilarejos tradicionais da etnia Konso foram proclamados Patrimônio Mundial pela Unesco em 2011 devido aos terraços criados para a agricultura e às muralhas de pedras que protegem os assentamentos humanos.
Como se não bastasse a engenhosidade dos Konso com seus terraços, possibilitando uma agricultura sustentável nas encostas áridas das montanhas, os líderes da etnia plantam, há muitas gerações, árvores de moringa ao redor de suas casas. Assim, a folhinha verde tão nutritiva não falta a ninguém na comunidade e traz um mínimo de elementos nutritivos a toda a população, principalmente às crianças.
Árvores de moringa entre as cabanas dos habitantes Konso (Foto: © Haroldo Castro/Época)
Graças à moringa abundante e aos cereais e as leguminosas plantados nos terraços Konso, o fantasma da subnutrição afasta-se cada vez mais do sul da Etiópia. De fato, em todos os mercados semanais da região, sempre encontramos pencas e pencas de moringa fresca sendo vendidas para aqueles que não possuem uma árvore em seu quintal.
Thamyres Matarozzi, uma fotógrafa paulistana que viaja com nosso pequeno grupo de brasileiros, já conhecia a fama da moringa desde 2011 quando vivia em Londres. Por ser vegana e buscar uma alimentação consciente, Thamyres comprara na Europa dezenas de saquinhos de pó de moringa para complementar uma possível falta de proteínas ou vitaminas durante sua viagem à Etiópia. Qual não foi sua surpresa ao ver que quase todos os restaurantes onde comemos ofereciam moringa – ou, no idioma local, aleko – nas mais variadas formas, de sopa a refogado!
Thamyres compra um quilo de moringa fresca (Foto: © Haroldo Castro/Época)
Mulher da etnia Banna, com uma cabaça sobre seu penteado tradicional (Foto: © Giselle Paulino )
Uma jovem da etnia Ari chega com um carregamento de folhas de moringa nas costas (Foto: © Haroldo Castro/Época)
A moringa oferece ainda mais um presente às comunidades rurais. Devido a uma composição particular dos óleos e das proteínas contidas nas sementes, quando trituradas e misturadas a uma água turva e não potável, uma reação extraordinária é produzida: a água fica limpa. Como isso acontece? O pó das sementes de moringa possui a propriedade de atrair argila, sedimentos e bactérias, os quais acabam indo para o fundo do recipiente e deixando a água clara e potável.
Tanto as sementes da espécie etíope (Moringa stenopatala) como da asiática (Moringa oleífera) possuem as mesmas características de decantar a água. Pesquisadores do Instituto de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Minas Gerais comprovaram, em testes de laboratório, que as sementes da moringa asiática conseguem remover 99% da turbidez da água.
Com todos esses atributos, não é difícil considerar a moringa como uma das plantas mais generosas do planeta. Por isso, várias ONGs de desenvolvimento humano que combatem a pobreza e a fome a chamam de “super planta”, “árvore milagrosa” ou “folha que salva vidas”. 
Depois de saber tudo isso, nosso próximo passo será comprar sementes e plantar moringa em casa!
FONTE: http://epoca.globo.com/colunas-e-blogs/viajologia/noticia/2015/06/moringa-arvore-magica-que-pode-acabar-com-fome-no-mundo.html

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Frutas pouco conhecidas caem no gosto dos brasileiros e ganham espaço na...





Frutas que até pouco tempo eram desconhecidas, como a lichia, o kiwi amarelo e a 
pitaya, caíram no gosto dos brasileiros. Se antes era difícil encontra-las, 
agora elas têm espaço em destaque nas feiras e supermercados. 
E além de chamar atenção pela beleza, as novidades 
são gostosas e cheias de nutrientes.

terça-feira, 25 de julho de 2017

13 Benefícios da Acerola Para Saúde


OS BENEFÍCIOS DA ACEROLA:

acerola_benefíciosAté o momento, poucos estudos científicos têm testado os benefícios e os reais potenciais da Acerola. Embora não haja evidências de ensaios clínicos para mostrar que Acerola pode melhorar a saúde, alguns resultados preliminares de investigação laboratorial e estudos baseados em animais indicam que a acerola pode ter alguns efeitos benéficos. Confira, as principais conclusões dos estudos:
Acerola Reduz o Açúcar no Sangue: A Acerola pode ajudar a reduzir os níveis de açúcar no sangue, de acordo com um estudo de 2006 de Biociências, Biotecnologia e Bioquímica. Em testes com ratos, os cientistas demonstraram que os antioxidantes extraídos de acerola pode ajudar a suprimir o transporte de açúcar no sangue ao longo dos intestinos.
Estresse Oxidativo: Em um estudo de laboratório publicado em 2011, os pesquisadores descobriram que o extrato da acerola pode lutar contra o estresse oxidativo (um processo relacionado com o envelhecimento associado a uma série de doenças graves).
Benefícios da Acerola na Prevenção do Câncer de Pulmão: Acerola aumenta a proteção contra o câncer de pulmão, segundo um estudo de 2002. Além disso, Testes em camundongos revelaram que o extrato de acerola ajudou a regular o crescimento de células anormais para retardar a propagação do câncer de pulmão.
Acerola é uma excelente Fonte de Vitamina C: A acerola é uma fonte de Vitamina C, sob a forma natural de ácido ascórbico, A Vitamina C é um nutriente essencial, desempenhando um papel importante na saúde do sistema imunológico. Além disso,  ela também é importante para a síntese do colagênio, um componente estrutural de vasos da pele, ossos e sangue, assim como a síntese dos produtos químicos do cérebro envolvidas na regulação do humor.
Acerola é uma excelente Fonte de Vitamina A: vitamina A é um nutriente importante encontrada na acerola. A vitamina A desempenha um papel importante na saúde dos olhos, o crescimento normal e desenvolvimento em curso, a produção de células vermelhas do sangue e no fortalecimento do sistema imunológico.Acerola é Rica em Vitaminas do Complexo B: A  acerola  possuir micronutrientes, tais como vitaminas do complexo B, cálcio, ferro, potássio e magnésio.
Usos da Acerola: Acerola é apontado como um remédio natural para uma série de condições de saúde, incluindo:
  • alergias.
  • aterosclerose.
  • cavidades.
  • o resfriado comum.
  • depressão.
  • diabetes.
  • inflamação.

Fonte: http://www.saudedica.com.br/os-beneficios-da-acerola-para-saude/
  

sexta-feira, 30 de junho de 2017

A couve está ganhando espaço na dieta de quem curte exercícios físicos



A verdura é rica em diversos minerais, como potássio, zinco e ferro



  •  
  •    
  •  





Raphael Augusto de Castro e Melo/Divulgação

A couve é rica em magnésio, potássio, ferro, zinco e outros minerais e, segundo o nutrólogo, é excelente para quem faz exercícios físicos (foto: Raphael Augusto de Castro e Melo/Divulgação)

Talvez você não saiba, mas a couve está cada vez mais deixando de ser coadjuvante para
ocupar um lugar de destaque nas dietas fitness. A opinião é do nutrólogo Theo Webert, que
ressalta a importância nutricional do alimento. "Couve contém magnésio, um mineral que
além de ajudar no relaxamento muscular, auxilia também na melhora do humor", comenta
o especialista.

Segundo o médico, essa verdura tem ação cicatrizante, anti-inflamatória, ajuda na
desintoxicação e na absorção do cálcio. "Recente estudo realizado pela Universidade de
Rush, nos Estados Unidos, revelou que além de tudo a couve também é excelente também
 para o cérebro", afirma Theo Webert.

Ainda de acordo com o especialista, essa
 verdura é uma boa fonte vital de minerais como
ferro (previne a anemia), fósforo (para os
músculos e ossos), cobre, que ajuda na absorção

 de ferro, manganês e selênio, necessário para
 a tireoide e também um poderoso
antioxidante.

Outro benefício da couve é a presença de
potássio, um dos responsáveis pela manutenção
 do equilíbrio hidroeletrolítico, contração
 muscular, funcionamento cardíaco e participa
da transmissão dos impulsos nervosos.
"Além do zinco, importante tanto para a síntese
de células imunológicas como em sua ação
de defesa contra vírus, bactérias e fungos",
completa o nutrólogo.

O médico ensina uma receita simples, que pode ser adaptada à dieta para redução de
medidas. A dica é ingerir a bebida à base de couve todas as manhãs, para começar bem
o dia, sem abdicar de uma refeição balanceada e completa no restante do dia. "Lembre-se
 que o suco de couve com limão deve ser consumido sempre fresco em no máximo
30 minutos após preparo, para que não perca as propriedades e nutrientes",
diz Theo Webert.

Suco de couve com limão

Ingredientes:

  • 1/2 limão
  • 1 folha de couve
  • 1 copo de água

Modo de preparo:

Adicione a metade do suco do limão com a folha de couve no liquidificador e coloque a
água aos poucos. Bata tudo por um minuto ou até que esteja com uma textura uniforme.
 Beba sem coar para adquirir todas as fibras. Se quiser adoçar, utilize um pouco de mel ou
 adoçante natural.

Fonte: revista encontro

terça-feira, 13 de junho de 2017

Comum nos países árabes, figo roxo é aliado da saúde!

Fonte: revista encontro
Aproveite os nutrientes dessa fruta em três receitas saudáveis
http://app.revistaencontro.com.br/access/noticia_133890394703/159036/65/eq.gif
PixabayO figo é uma fruta típica dos países do Oriente Médio e rica em nutrientes, como fibra, ferro e antioxidantes (foto: Pixabay)

Originário do Oriente Médio, o figo é uma fruta que faz sucesso desde a antiguidade. Com textura marcante e sabor suculento, ele pode fazer parte de saladas e aperitivos, além de render deliciosas compotas e geleias. Para completar, a fruta é recheada de nutrientes e ajuda desde a digestão até o combate de doenças cardiovasculares.

"É uma fruta pouco calórica e com baixo teor de açúcares naturais, sendo ideal para manter a alimentação saudável. Além disso, possui fibras, que contribuem para a saciedade e melhoram a digestão; ferro, mineral que ajuda a reduzir a sensação de cansaço e fadiga muscular; e ainda contém antioxidantes, que fortalecem as defesas do organismo e auxiliam na prevenção de doenças crônicas, principalmente as cardiovasculares", explica Renata Guirau, nutricionista do Oba Hortifruti.

Os benefícios à saúde são atrativos para incluir a fruta no cardápio, mas, o sabor e a versatilidade na cozinha não deixam a desejar. Pode ser consumido in natura, desidratado, em compotas, geleias, saladas de folhas e compondo aperitivos. "Quando aquecemos o figo para usá-lo em preparações, perdemos parte de seus nutrientes, por isso, o melhor é optar por pratos sem cocção, por exemplo, numa salada de frutas, servido em fatias com chocolate meio amargo derretido ou mel, ou ainda numa bela salada de folhas com rúcula, agrião e queijo de cabra", indica a profissional.

Como escolher

Figos com coloração mais viva e com a casca mais roxa são os melhores. Se for para consumir logo, em até dois dias, leve os com a casca um pouco mais "enrugada". Mas, se for armazenar por mais dias em casa, escolha os frutos com a casca mais lisa.

Conservação

Se ainda estiver "verde", deixe por um ou dois dias fora da geladeira, porém, em local sem contato direto com a luz do Sol ou calor. O figo é uma fruta que gosta do frio, por isso, se ele já estiver maduro, armazene na geladeira para ter uma maior durabilidade da fruta, na parte de baixo do equipamento (na gaveta de vegetais ou em um pote com tampa).

Aproveitando a característica nutricional da fruta, a nutricionista sugere três receitas deliciosas e saudáveis:

Salada fácil de figos roxos

Ingredientes:



·         1/2 maço de alface roxa
·         1 maço de rúcula
·         4 a 5 figos roxos maduros, sem pele, cortados em quatro partes
·         100 gr de presunto tipo parma picado

Modo de preparo:

Misture todos os ingredientes e tempere com vinagre balsâmico, azeite, sal e pimenta a gosto.

Aperitivos de figo com queijo

Ingredientes:



·         100 gr de queijo ricota ou frescal
·         8 figos roxos
·         Mel

Modo de preparo:

Corte fatias médias do queijo (ricota ou frescal). Descasque o figo roxo e corte em lâminas finas. Em um prato monte uma fatia de queijo para uma lâmina de figo e despeje um fio de mel por cima. Leve para a geladeira e sirva gelado.

Torta recheada com figos roxos

Ingredientes:



·         8 colheres (sopa) de manteiga derretida
·         1 xícara (chá) de açúcar
·         3 gemas de ovo
·         2 xícaras (chá) de farinha de trigo
·         1/4 de colher (chá) de sal
·         3 colheres (sopa) de creme de leite

Para o recheio:



·         1 xícara (chá) de creme de leite fresco
·         100 ml de leite integral
·         1 ovo inteiro e 2 gemas
·         3 colheres (sopa) de açúcar
·         15 figos roxos maduros

Modo de preparo:

Bata a manteiga com o açúcar na batedeira, até incorporar bem. Acrescente as gemas e bata novamente. Finalize juntando a farinha, o sal e o creme de leite, batendo até formar uma massa homogênea. Deixe na geladeira por uma hora. Enquanto isso, prepare o recheio. Descasque e pique os figos. Misture todos os ingredientes em uma panela, exceto os figos, e cozinhe em média por cinco minutos. Abra a massa em uma forma de fundo removível, leve para assar por 10 minutos. Retire a massa do forno, acrescente o creme do recheio e arrume os figos, distribuindo-os pela assadeira. Volte para o forno por mais 20 a 30 minutos, em fogo baixo. Leve para a geladeira por duas horas e sirva gelada.



quarta-feira, 31 de maio de 2017

Sua Saúde 10! Combinação de azeite e salada é 'segredo' da dieta mediterrânea


Preparação de salada (PA)
Acidos graxos resultantes da combinação entre gordura e nitrato fazem bem à saúde
Cientistas britânicos sugerem que a combinação de azeite de oliva e salada com folhas verdes ou vegetais explica por que a chamada dieta mediterrânea é tão saudável.
A união desses dois grupos alimentares - um rico em gordura insaturada e o outro, em nitrato - formam ácidos graxos que ajudam a baixar a pressão arterial, segundo estudo publicado no periódico científico PNAS.
A adição de nozes e abacate também ajudam a compor uma combinação saudável.
Inspirada pela culinária tradicional de países como Grécia, Espanha e Itália, a dieta mediterrânea há tempos é associada à boa saúde, inclusive cardíaca.
Essa dieta costuma incluir vegetais em abundância, frutas frescas, cereais integrais, azeite de oliva e nozes, além de frango e peixe - no lugar de carne vermelha ou gordura animal.
Ainda que, individualmente, cada ingrediente dessa dieta tenha benefícios nutricionais bem conhecidos, ainda não estava claro para os cientistas o que tornava o conjunto da dieta mediterrânea tão saudável.

Reação química

Philip Eaton, do King's College London, e colegas da Universidade da Califórnia acreditam que a fusão de ingredientes da dieta resulta na produção de ácidos graxos.
No estudo, que contou com financiamento da British Heart Foundation, os especialistas utilizaram camundongos geneticamente manipulados para analisar o impacto dos ácidos graxos no organismo.
Eles perceberam que a substância ajudou a baixar a pressão arterial dos roedores ao bloquear uma enzima chamada hidrólise de epóxidos.
"Humanos têm a mesma enzima, então achamos que o mesmo acontece com as pessoas", afirmou Eaton.
Ainda segundo ele, isto explica por que a dieta mediterrânea faz bem à saúde, apesar de ter gordura.
"A gordura, quando misturada a nitratos e nitritos, forma uma reação química que resulta em ácidos graxos".
"É o mecanismo de proteção da natureza. Se apostarmos nisso, poderíamos fabricar novos medicamentos para tratar pressão alta e prevenir doenças cardíacas".
Eaton afirmou que agora devem ser realizados testes com humanos.
Sanjay Thakrar, da British Heart Foundation, diz que o estudo é relevante, mas que "é preciso investigar mais".
"Por enquanto, os experimentos foram realizados apenas em camundongos, que têm formas diferentes de reagir ao que entra em seus organismos".