Mostrando postagens com marcador aguapé. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador aguapé. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Azolla: A Genuine Super Plant

Bom dia , voce já usou a Azolla em sua horta?
 Veja como é fácil utiliza-la.

alexandre

Time for a look at a little plant with a big future.
Tempo para um olhar em uma planta pequena com um grande futuro



By Ian Maxwell (GranvilleSouth)
September 16, 2010


 Quem não gosta de tentar novas plantas?
 Eu certamente porque ocasionalmente, eu tropeçar em algo especial. Um exemplo disso aconteceu recentemente, quando eu decidi comprar alguns Azolla Vermelho (Azolla pinnata) .
 Esta é uma samambaia que flutua sobre a água.  Consegui-lo online, juntamente com alguns de inverno da Argélia e íris água que tinha sido o meu principal interesse.
A água era uma samambaia adicionado depois pensei, mas era a íris, que foram postas de lado, uma vez que todos chegaram.

 O aparecimento de Azolla sozinho é fascinante. 
 O efeito desta cobertura pequena samambaia água parada é um pouco como um fractal verdejantes. É a perfeição em miniatura tanto na estrutura e coloração verde atraente em sua folhagem.  Mas deixou no sol, esta Azolla se tornar vermelha e ganhe o seu nome comum. Imediatamente, ele me deu idéias sobre a sombra parcial e vermelhos mistura e verduras.

 Esta Azolla vermelhas ou Ferny é uma brasileira nativa, mas boa notícia é que existem mais seis espécies em todo o mundo. Você pode crescer muito e logo você pode querer porque é uma planta super.  O título é concedido pela sua capacidade de colonizar a água fresca e dobrar sua biomassa todos os dias.  Essa habilidade decorre de uma relação simbiótica Azolla tem uma espécie de algas verdes-azuis, azollae Anabaena . As algas fixa o nitrogênio atmosférico, permitindo Azolla para espalhar lugares onde muitas outras plantas aquáticas são incapazes de tomar posse.  Desta forma, Azolla é um blazer trilha ecológica que irá limpar a água, adição de nitrogênio ao sistema e permitir que outras espécies para ajudar a estabelecer regimes saudáveis.


 Azolla é também conhecido como mosquito ou Fern Lentilha. Ela tem sido usada como biofertilizante e supressor de plantas daninhas na agricultura aquáticas para milhares de anos.  Na China, por exemplo, tem sido cultivado em campos de arroz entre as épocas desde os tempos antigos. Segundo a Wikipedia , apodrecendo Azolla "libera nitrogênio para os arrozais, fornecendo até nove toneladas de proteína por hectare por ano".  Ela ainda é cultivada para fins semelhantes hoje em grande parte da Ásia e representa uma ótima opção para os produtores orgânicos.

 O nome Mosquito Fern é obtida a partir Azolla capacidade de impedir a procriação de mosquitos pela superfície da água, tapetes.  Esse fato, juntamente com a sua limpeza com água e nitrogênio-fixando características torná-lo bom para a cobertura de água armazenada para a jardinagem ou agricultura, mesmo que ela não é colhida para aplicação direta como adubo verde.

 Azolla pode ser uma erva daninha nos cursos de água por isso é importante saber o que é certo para você.  Ele pode ser um atrativo ornamental, um limpador de água natural ou um estrume em grande escala verde; uma super planta verdadeira.

fonte: http://davesgarden.com/guides/articles/view/1150/

sexta-feira, 24 de março de 2017

AGUAPÉ, Planta aquática é usada no tratamento do esgoto do Refúgio Biológico

 Um exemplo a ser seguido pelas prefeituras deste imenso Brasil!
bom dia!
Alexandre

No tratamento do esgoto no Refúgio Biológico Bela Vista (RBBV), uma planta aquática nativa do lago de Itaipu tem grande importância. O aguapé (Eichhornia crassipes) é uma espécie flutuante, ou seja, que não se prende por raízes ao fundo do lago. Por conta disso, depende da absorção da matéria orgânica suspensa na água para sobreviver. Tal característica torna a espécie um interessante filtro natural para tratar o esgoto doméstico.







Estação de tratamento no Refúgio Biológico utiliza a planta aquática aguapé como "filtro".

Segundo a bióloga Simone Benassi, gestora do programa Monitoramento Ambiental e da ação de Monitoramento das Plantas Aquáticas do Reservatório de Itaipu, o aguapé é capaz de retirar da água quantidades consideráveis de matéria orgânica e de nutrientes como fósforo e nitrogênio.

Segundo Simone, aguapé é uma das várias plantas aquáticas que podem ser utilizadas no tratamento de esgoto. Flutuante, a espécie utiliza os arênquimas, pequenos bulbos cheios de ar, para sustentar o seu peso fora da água.

“Essa planta é muito eficiente. A remoção de DBO é em média de 70%”, disse a bióloga, se referindo à Demanda Bioquímica de Oxigênio (DBO), um parâmetro que analisa a quantidade de oxigênio exigida de um corpo d'água, medindo indiretamenmte a quantidade de matéria orgânica - quanto mais matéria orgânica, maior é a pressão sobre o oxigênio existente no lago e mais "poluída" está a água.

Toda semana, os técnicos do refúgio retiram grandes quantidades do aguapé da lagoa de tratamento.

O esgoto que chega à lagoa de tratamento do refúgio vem de algumas casas da Vila C e da parte administrativa do RBBV. Para medir a eficiência da retenção de matéria orgânica pelas plantas, é feita uma coleta na entrada e outra na saída da lagoa. As duas amostras são, então, comparadas sendo medida a DBO de cada uma. A água tratada pode, enfim, chegar ao lago, sem causar passivos ambientais.

A engenheira civil Lissa Maria Nock da Divisão de Serviços, da Coordenação, também participa dos estudos.

Por estarem em uma área de nutrientes fartos, os aguapés se multiplicam muito rapidamente. “Toda semana são retiradas grandes quantidades da planta do lago”, disse Simone. A cobertura vegetal na estação de tratamento, além de dar um aspecto paisagístico mais agradável, reduz o odor do esgoto no local.





quarta-feira, 27 de junho de 2012

Fitorremediação - uso de plantas para descontaminação ambiental






A técnica da fitorremediação consiste no uso de plantas para ajudar a diminuir a poluição de solos, águas e até mesmo do ar. Como explica o pesquisador da Embrapa Solos durante o Prosa Rural desta semana, Sílvio Tavares, embora o termo fitorremediação seja mais recente, essa técnica já era utilizada na antiguidade, por exemplo, pelos egípicios para auxiliar na despoluição de esgotos urbanos que desembocavam nas águas do Rio Nilo.
O princípio de atuação da fitorremediação é a capacidade de absorção das raízes das plantas. Além de absorver águas e nutrientes que as fazem crescer, algumas espécies são capazes de absorver do ambiente elementos poluentes, funcionando como filtros biológicos.
Sílvio Tavares foi um dos primeiros cientistas brasileiros a estudar e introduzir a técnica no País para a descontaminação de solo e água por metais pesados e petróleo. Entre outras informações, o pesquisador fala sobre as espécies de plantas mais adequadas para promover a descontaminação de rios, lagos, represas e açudes dentro das propriedades rurais. “Muitas plantas que o produtor rural já cultiva em sua propriedade podem ser usadas na fitorremediação. Para a descontaminação da água, temos o junco, o aguapé, o lírio-do-campo, entre outras”.
Muitas pessoas acham que essas plantas são pragas mas, segundo Tavares, o crescimento natural desses espécies em determinada área é um indicador da existência de poluição, geralmente, uma poluição orgânica. “A planta tem um papel fundamental de se estabelecer nesses locais, absorver os poluentes e incorporá-los à sua biomassa. Esse é um processo natural de fitorremediação. A gente pode aumentar esse poder das plantas, colocando espécies mais específicas, que aturem melhor a bioacumulação desses poluentes”, explica o pesquisador.
Antes de adotar a fitorremediação, o produtor deve identificar as substâncias que estão poluindo o solo ou a água da sua propriedade. Só então ele vai definir que espécies de plantas serão usadas para colocar a técnica em prática. Para isso, é preciso contar com a ajuda de um profissional capacitado.
O Prosa Rural é o programa de rádio da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O programa conta com o apoio do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

2010/07/23
Carlos Dias
Email: carlos@cnps.embrapa.br
Telefone: (21) 2179-4578
Embrapa Soloshttp://hotsites.sct.embrapa.br/prosarural/programacao/2010/fitorremediacao-o-uso-de-plantas-para-descontaminacao-ambiental-2/?searchterm=aguap%C3%A9