Mostrando postagens com marcador adubo foliar. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador adubo foliar. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 17 de abril de 2017

O que fazer com folhas secas?


As folhas, como qualquer outra matéria orgânica, podem ser reaproveitadas pela natureza em vez de ficarem presas em sacos plásticos em um aterro, por muitos anos.

Compostagem

Em vez de colocá-las num saco plástico que será levado a um aterro, tente usar a compostagem. Se tiver uma máquina específica, o resultado é melhor. Mas lembre-se, sempre opte pelo descarte consciente, respeitando o meio ambiente!

Veja também:


Agora que você já sabe como descartar, a eCycle te ajuda! Clique aqui para visitar nossa página de Postos de Reciclagem e encontre o melhor destino possível para seu item.
Quer saber sobre outros materiais? Navegue pela seção Recicle Tudo.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Planta babosa surpreende como biofertilizante nas plantações

Erva, que é matéria-prima da indústria decosméticos, vem sendo usada na produção de um fertilizante. Agricultores dizem que produtividade das lavouras aumentou.
Resultado de imagem




Na fazenda de Magno Alves, em Santa Cruz do Rio Pardo (SP), a babosa foi plantada em uma área de 10 hectares e daqui um ano começa a colheita.
A babosa, muito empregada em produtos cosméticos, é originária da África e tem o nome científico de Aloe Vera. Alguns registros dão conta de que ela já era conhecida antes do nascimento de Jesus Cristo. Agora, a babosa também é usada como biofertilizante.

No processo, a babosa vai do campo direto para um centro de processamento.
A planta é lavada, picada e liquidificada com água. Depois, o produto é coado e segue para uma centrífuga, onde são retiradas as impurezas. O biofertilizante é reservado em tambores. Em uma fábrica na região de Campinas, a erva é analisada quimicamente antes de ser envasada.
O agrônomo José Romeu Fávaro acompanhou o projeto de criação do biofertilizante e explica que o produto forma uma camada de proteção sobre as plantas, diminuindo os efeitos do sol forte. Além disso, a babosa também ajuda na nutrição da lavoura.
Edemur Pedroso da Silva aceitou testar o produto numa plantação de soja e milho. A conclusão dele foi que a produção aumentou 5%. O biofertilizante também foi testado na lavoura de café do José Sanches.
O produtor estava pensando em acabar com o cafezal de 7 mil pés por causa da baixa produtividade, mas conta que, depois de três aplicações de babosa, as plantas reagiram e a produção surpreendeu com uma terceira florada, sendo que normalmente são apenas duas.
Edivânia da Silva Andrade cultiva pimentão, pepino e tomate em estufas. Ela conta que a aplicação do biofertilizante diminuiu o aparecimento de insetos que prejudicavam a produção, aumentou o número de frutos e a qualidade.
O produtor de soja em Nova Xavantina (MT), Luiz Carlos de Andrade, se interessou pelo produto e foi até o Centro-Oeste Paulista para ter mais detalhes sobre o biofertilizante. Para ele, o investimento compensa porque é de baixo custo e pode trazer uma melhora de até 10% na produção.
(Vídeo: veja a reportagem exibida no programa em 09/04/2017)

O Nosso Campo é exibido aos domingos, às 7h25, na TV TEM! Para participar do programa, envie um e-mail para nossocampo@tvtem.com.


sexta-feira, 24 de março de 2017

Extrato pirolenhoso, o resíduo da fumaça que é útil na agricultura - Pro...





Um resíduo da produção de carvão é reaproveitado em viveiros 
de mudas no município de Pareci Novo. 
O uso do extrato pirolenhoso já apresenta bons resultados a mais de 30 famílias, que 
contam agora com uma produção mais bonita, sadia e de rápido desenvolvimento. 
Isto melhorou a renda familiar e a qualidade de vida, por não usarem produtos químicos. 

Jornalista Taline Schneider
Cinegrafista Aldir Marins
Pareci Novo - RS

segunda-feira, 13 de março de 2017

Adubos Caseiros – Enriqueça suas Plantas – Organicamente




Adubos orgânicos, fertilizantes naturais - Faça você mesmo - Arbbis.com

Adubos Caseiros, Fertilizantes Naturais ou Adubos Orgânicos

Adubos caseiros são também conhecidos como adubos ecológicos, adubos naturais, adubos orgânicos, adubos verdes ou mesmo fertilizantes naturais, não utilizando  químicos artificiais, industrializados ou sintéticos.
Plantas belas e sadias são o sonho de todo naturalista e os adubos caseiros são o caminho natural para criar nossos espaços verdes ou até mesmo ‘mini-florestas’.
Conheça algumas práticas coletadas de pessoas que passaram sua vida no campo – tendo portanto conhecimento real na sua utilização e eficácia – e assim aprendermos como ajudar nossas plantas, hortas, jardins ou até mesmo futuras florestas a terem todos os nutrientes que precisam para crescerem de forma rápida e forte.
Em sua própria cozinha, no seu quintal, na sua horta, todos são locais onde se pode encontrar os materiais necessários para fazer estes adubos caseiros.
Não se desestimule pelo termo ‘caseiro’. Estes adubos são seguros, baratos ou até gratuitos, muito fáceis de fazer, e também de fácil aplicação em todas as plantas, além de extremamente eficazes. Basta usar da maneira correta e na quantidade adequada.
Esses fertilizantes naturais feitos em casa podem ser usados na horta, no jardim, em plantas de interior, no pomar, em áreas de reflorestamento… em qualquer planta ou plantação que você desejar.

Adubos Caseiros X Fertilizantes Químicos – Diferenças

Adubos naturais e organicos - Faça você mesmo - Arbbis.comA principal diferença entre Adubos (Naturais) e Fertilizantes (Químicos Industrializados, Artificais, Sintéticos) é que esses últimos atuam de forma muito rápida e intensa, fazendo com que a planta se desenvolva muito rapidamente, ou seja os resultados são quase que imediatos, aqui significando ‘alguns poucos dias’. Isso faz com que o plantador pense que ele realmente ‘funciona’.
O problema é que os Fertilizantes Químicos literalmente destroem tanto a planta quanto o solo, algo que comumente se observa hoje em dia nas fazendas por exemplo no sudeste onde já não é tão fácil plantar qualquer plantação pois o solo agora está ‘fraco’.
A planta também sofre pois é quase que tomar um anabolizante e depois ser ‘pega no exame anti-doping’ ao se tornar mais susceptível a pragas e doenças (necessitando mais defensivos e agrotóxicos) além de muitas vezes ocorrer de morrer precocemente.
Sim, elas produzem mais frutos, crescem mais, mas os benefícios não valem para quem quer plantas sempre com visual exuberante e que vivam décadas, até mesmo séculos, beneficiando nossos filhos, netos, bisnetos, tataranetos… Muito melhor do que fazer um dinheirinho rápido.
Conheça então como fazer seu próprio Adubo Caseiro, Natural, Orgânico, e Ecológico:

Adubos Super Simples, Baratos, E Fáceis de Fazer

Adubo de Casca de Ovo (pó)

Casca de Ovos - Adubo orgânicoDa próxima vez que usar ovos, não jogue as cascas fora. Elas proporcionam diversos benefícios orgânicos. Cascas de ovos fornecem uma quantidade bastante rica em cálcio e potássio. Proporcionam um fantástico adubo caseiro. Fazer adubo das cascas dos ovos é muito simples, bastando:
  • Deixar as cascas secarem ao sol;
  • Esmagá-las até fazer quase um pó (com um pilão, por exemplo);
  • Coloque-as no liquidificador e bata por alguns minutos.
  • Depois é só polvilhar esse pó no substrato, ou na terra em volta da planta.
    Uma boa medida são 5 cinco cascas de ovo por cada planta de tamanho pequeno ou médio, ou o dobro ou mais para cada árvore adulta.

Casca de ovo (líquido) – Receita 1

  • Deixar as cascas secarem ao sol;
  • Coloque-as no liquidificador junto com água e bata por alguns minutos;
  • Depois é só aplicar o líquido na terra em volta da planta;
    Um litro de água para cada 10 dez cascas de ovo é uma boa medida.

Casca de ovo (líquido) – Receita 2

  • Ferver 20 cascas de ovos em 3 litros de água durante alguns minutos;
  • Deixar as cascas em infusão por 8 horas;
  • Após já terem esfriado, retire as cascas de ovo com uma peneirinha de cozinha, coloque-as em um saco plástico, guarde no refrigerador.
  • Quando for aplicar, coloque-as no liquidificador junto com água e bata por alguns minutos;
  • Depois é só regar o líquido na terra em volta da planta;
    Um litro de água para cada 10 dez cascas de ovo é uma boa medida. Aplicar tipo 1 uma vez por semana.
Lembre-se de somente utilizar ovos de galinha, brancos ou vermelhos, tudo bem. Até de avestruz serve mas nunca ovos que tenham sido pintados e muito menos cascas de ovos de chocolate, não é mesmo?!

Adubo de Cinzas de Madeira ou de Vegetais

Cinzas de madeira - Adubo orgânicoAs cinzas vegetais são ricas em cálcio, magnésio, fosforo e outros elementos que têm influência benéfica no desenvolvimento das plantas.
Basta serem deixadas em camadas finas sobre o solo que a chuva se encarregar de distribuí-la. Sua vantagem adicional é que as cinzas de madeira ajudam a combater as formigas, pelo menos para afugentá-las, algo que as formigas detestam.
Cinzas de carvoarias, ou de fogão à lenha tudo bem, desde que nada tenha sido caído sobre ela, como gorduras ou óleos. Cinzas de vulcões também são excelentes mas vai ser um pouquinho difícil encontrá-las por aqui.
Certamente você não vai iniciar um incêndio florestal só para pegar cinza depois mas até ela é bastante útil. De forma prática, você pode coletar alguma quantidade de cinzas de plantações onde tenham ocorrido queimadas, incluindo as intencionais, que são extremamente perigosas e danosas ao meio ambiente.
Importante é somente utilizar cinzas de madeira, matéria natural, como troncos ou galhos, restos de jardins… mas:
  • Nunca utilizar cinzas de churrasqueiras (contém gordura e sal, que podem matar as plantas menores ou mais sensíveis);
  • Nunca utilizar cinzas de lixo doméstico (contém plásticos, borrachas);
  • Nunca utilizar cinzas de madeira compensada ou fórmicas (contém muita cola e outros produtos químicos nocivos).
  • Nunca utilizar cinzas de lixo hospitalar ou lixo industrial, por razões óbvias;
Concentre-se em cinzas de materiais orgânicos vegetais e tudo estará bem.

Adubo de Banana

Banana - Adubo orgânicoA casca da banana é uma grande fonte de fosforo e potássio (faz suas frutas ficarem mais doces, por exemplo). Certamente você não precisa comprar belas bananas no supermercado para fazer adubo orgânico de banana mas poderá utilizar aquelas que apodreceram na fruteira depois de vários dias ou que caíram em seu pomar depois de apreciadas por micos. Muitos feirantes vendem as bananas super maduras ou quase podres – excelentes para nosso adubo – por um preço simbólico só para se livrar delas.
Faça e utilize de 3 maneiras:
  • I – Corte a casca de banana em pedaços bem pequenos, aplique ao solo ao redor das plantas, cubra com um pouco de terra para evitar mosquitos ou mofo.
ou
  • II – Triture a casca de banana no liquidificador juntamente com água (para 5 cascas de banana, 1 litro de água).
ou
  • III – Também pode secar a casca da banana usando um desidratador elétrico, solar, ou mesmo utilizando o calor residual do forno a lenha, gaz ou elétrico. Depois de seca, triture no liquidificador e junte água (para 8 cascas de banana, 1 litro de água).

Adubo de Café (Borra de Café)

Café - Adubo Orgânico, Anti-oxidante, Repelente NaturalCafé é uma grande fonte de nutrientes como zinco, ferro, potássio, enxofre, magnésio, entre outros. Para fazer o adubo orgânico de Café, o utilize assim:
  • I – Uma 1 parte de café (mais exatamente a borra do café) para 4 partes de água. Aplicar 1 vez por semana.
ou
  • Colocar a borra de café, com ou sem o filtro de papel, já fria, ao redor da planta, rasgando em pequenos pedaços. Cubra com um pouco de terra para evitar pequenos mosquitos ou mofo. Aplicar quando desejar que sua planta fique com uma folhagem ainda mais verdejante.
ou
  • Colocar o resto daquele café que sobrou de ontem, já frio e sem açúcar, diluído pelo menos em 1 uma parte de café para 1 uma parte de água. Mais se for café muito forte.
Cuidado com o café que já estiver com açúcar pois poderá atrair indesejáveis formigas.

Adubo de Chorume de Urtiga

Urtiga - Adubo Natural, Fertilizante Orgânico, Repelente Natural

Aquela planta que é péssima para nós humanos quando nos encostamos nela e sofremos com a coceira que ela provoca em nossa pele também serve como excelente Fertilizante Natural. Para fazer, basta:
  • Coletar um 1 kilo de urtigas;
  • Coletar dez 10 litros de água de preferência da chuva, nascente ou poço. Água da torneira tem cloro e flúor, o que reduz bastante seu potencial.
  • Colocar as urtigas na água e deixar macerar durante 4 a 5 dias. Ir mexendo de vez em quando, pelo menos uma vez por dia;
  • Destampar o recipiente durante o dia para receber sol e tampar durante à noite. Quando tiver formado uma espuma branca, está pronto;
  • Coar (os restos podem ser usados no composto orgânico) e guardar em local escuro.
Aplicações do Adubo de Urtiga:
  • Estimulante foliar – Um 1 litro de chorume para 10 litros de água.
ou
  • Estimulante de solo e raízes – Dois 2 litros de chorume para 10 litros de água.

Adubo de Confrei (Consólida-maior / Symphytum officinale L)

Comfrei - Adubo Orgânico, Erva Milagrosa
Conhecida como erva milagrosa, o Confrei possui diversas propriedades e usos inumeráveis, assim vale a pena ter esta planta na horta ou no jardim. Também usada como adubo verde, as suas raízes profundas permitem trazer os nutrientes e minerais para as suas folhas não se encontrando disponíveis em outras plantas.
É conhecida por ser a única planta que contém a vitamina B12.
Poder ser usada de duas formas como fertilizante natural:
  • Como adubo verde ao cortar suas folhas e deixá-las diretamente sobre a terra.
ou
  • Como adubo líquido: Encha um balde com metade de folhas de Confrei e o restante com água, deixe assim por 3 semanas paras as folhas apodrecerem. Use uma mistura de 50/50, ou seja, metade de água e metade do preparado. Regue com esta mistura junto ás raízes.

Adubo de Esterco ou Estrume de Gado

Adubo Orgânico - Esterco de GadoO estrume de gado, conhecido como esterco, é um notório e excelente adubo orgânico. Existem duas formas de utilizá-lo, o seco ou o líquido:

Adubo Orgânico com Esterco Seco

  1. Deixe o esterco secar ao sol por vários dias, pelo menos uma semana. Ele pode ficar em campo aberto ou espalhado sobre uma lona em seu quintal mas não deve ser colocado em pilhas para que não demore demais a secar.
  2. Colete o esterco já plenamente seco (não vai ter mais nenhum ‘matinho verde’ mais, bem como nenhuma ou pouquíssima humidade visível). Ainda, ele também não terá mais praticamente qualquer cheiro.
  3. Quebre o esterco em pequenos pedaços e passe-os por uma peneira média até que todo o esterco tenha sido peneirado.
  4. A parte fina peneirada pode ser aplicada diretamente no solo ao redor das plantas.

Adubo Orgânico com Esterco Líquido

  1. Manuseie com cuidado. Coloque luvas sempre que for lidar com o estrume de qualquer animal. Sempre crie uma barreira entre a sua pele e o esterco para evitar a transmissão de patógenos. Se tiver problemas de imunidade, estiver grávida ou não estiver se sentindo bem, não manuseie em hipótese alguma pois o esterco exala dióxido de carbono e metano. Isso não é problema se for manuseado ao ar livre mas pode ser perigoso se a pessoa estiver em um quarto fechado. Se estiver preocupado com a inalação desses gases ou de patógenos, use uma máscara também.
  2. Coloque o recipiente afastado. O cheiro pode ser desagradável para alguns e ele deve ser colocado em algum lugar inofensivo, como um galpão ou a parte de trás do jardim. Garanta que animais de estimação e crianças não tenham acesso a ele. Diga aos outros membros da família o que está fazendo e qual recipiente está sendo usado para que eles não fiquem enojados ou cometam o erro de tocar nele etc
  3. Deixe o esterco secar ao sol por vários dias, pelo menos uma semana. Ele pode ficar em campo aberto ou espalhado sobre uma lona em seu quintal mas não deve ser colocado em pilhas para que não demore demais a secar. Não faça isso utilizando esterco ainda líquido
  4. Colete o esterco já plenamente seco (não vai ter mais nenhum ‘matinho verde’ mais, bem como nenhuma ou pouquíssima humidade visível). Ainda, ele também não terá mais praticamente qualquer cheiro.
  5. Quebre o esterco em pequenos pedaços, não necessitando peneirar.
  6. Coloque os pedaços em um saco de rede ou de aniagem. O tipo de saco usado para vender cebolas ou laranjas é ideal, pois é grande. Aperte bem e encha até a boca.
  7. Pendure o saco em uma lixeira grande cheia de água, sem furos. Coloque a tampa para desencorajar as moscas e outros visitantes indesejados.
  8. Deixe o saco maturar durante três semanas. Isso permite bastante tempo para o adubo se decompor e ser distribuído pela água. Durante esse tempo, afunde gentilmente o saco para cima e para baixo, para ajudar a distribui o conteúdo conforme se decompõe.
  9. Dilua a solução do composto. Assim que se passarem as três semanas, faça a diluição que deve ser feita com nove 9 partes de água para uma 1 parte de adubo líquido. Esse fertilizante é adequado para a maioria das plantas, mesmo os brotos, pois é diluído.
  10. Utilize o seu fertilizante líquido. utilize o adubo líquido nas suas plantas. Antes, ele deve ser
Aqui nos referimos a esterco de gado mas você pode utilizar de qualquer animal de fazenda, como galinha, cavalo, cabra, avestruz… até de peixes se você conseguir coletar as fezes deles :) .
Dica – Você obterá mais benefícios com o adubo orgânico de esterco se utilizar uma solução mais fraca com mais frequência do que se utilizar uma solução mais forte menos vezes.
IMPORTANTE – Jamais use fezes de animais domésticos como gatos e muito menos cães. Elas são apenas dejetos, não adubo. Ainda, não se prestam para a  fertilização de plantas, pior, geralmente MATAM as plantas onde foram aplicadas.

Adubo de Húmus de Minhoca

Minhocas, compostagem, humus, adubo organicoVocê pode comprar ou fazer o seu próprio húmus. De todos os adubos orgânicos o húmus de minhoca é o mais completo e o que mais beneficia as plantas de uma maneira constante e permanente pois as minhocas farão a base das plantas a sua morada e sempre estarão fertilizando o solo, e as plantas.
É fácil e barato de fazer mas é também um assunto que pode ser bem extenso, portanto ficará para um próximo artigo. Em breve.

Resumo  – Adubo Caseiro, Agricultura Natural

Esse texto te ensinou, de forma prática mas apenas utilizando termos diferentes, as seguintes técnicas ecologicamente corretas:
Como fazer adubo orgânico para horta, produção de adubo orgânico, como adubar a terra, tipos de fertilizantes, adubo natural para plantas, como fazer adubo para plantas, como adubar horta, adubo orgânico compostagem, como fazer adubo para orquídeas, fertilizantes químicos, como fazer adubo em casa, como fazer adubo caseiro para horta, adubos nitrogenados, fertilizantes químicos, pó de café serve como adubo, como fazer adubo orgânico com folhas, adubo verde, vitamina para plantas, adubos e fertilizantes químicos, fabrica de adubos e fertilizantes, como fazer adubo líquido, adubo para horta domestica, como fazer adubo orgânico, como produzir adubo orgânico, adubação verde, adubo orgânico para orquídeas, adubo para arvores, como fazer adubo fácil e simples.
Nas próximos artigos: o que e compostagem, banheiro ecologico, processo de compostagem, composteira orgânica, fazer compostagem, compostagem orgânica domestica, como fazer adubo orgânico com folhas secas, como fazer uma composteira, como montar uma composteira, lixo orgânico na vermicompostagem, compostagem do lixo, como fazer composto orgânico, lixo compostagem, compostagem orgânica, fertilizantes a base de nitrogênio, fertilizante nitrogenado,


quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Extrato pirolenhoso, o resíduo da fumaça que é útil na agricultura - Pro...




Um resíduo da produção de carvão é reaproveitado em viveiros de mudas no município de Pareci Novo. O uso do extrato pirolenhoso já apresenta bons resultados a mais de 30 famílias, que contam agora com uma produção mais bonita, sadia e de rápido desenvolvimento. Isto melhorou a renda familiar e a qualidade de vida, por não usarem produtos químicos.


Os agricultores interessados em conhecer mais a técnica ou começar a utilizá-la, podem procurar o escritório municipal da Emater de Pareci Novo. Fica junto à prefeitura na Rua João Inácio Teixeira, número 70. Ou entrar em contato pelo telefone (51) 3633-9131, ou pelo e-mail empareci@emater.tche.br .
Jornalista Taline Schneider 
Cinegrafista Aldir Marins
Pareci Novo - RS

ESTOU TESTANDO ESTE ADUBO NAS ORQUÍDEAS. 

VAMOS VER OS RESULTADOS!

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Biofertilizante líquido ou adubo foliar


O biofertilizante, empregado apenas como adubo orgânico com excelentes resultados, é um efluente pastoso, resultante da fermentação da matéria orgânica, por um determinado tempo, na ausência total de oxigênio. 

Mas, a partir de 1985, técnicos da EMATER-RIO começaram a observar os efeitos do biofertilizante liquído diluído em água, percebendo redução do ataque de pragas e doenças. Os efeitos foram:
- nutricional, com aumento da produtividade;
- fito-hormonal,induz floração e facilita o enraizamento de estacas;
- nematicida, controla larvas e nematóides quando aplicado puro sobre o solo;
- fungistático e bacteriostático, reduzem o ataque de fungos e bactérias;
- inseticida e repelente, mata insetos de "corpo mole" (formas larvais e jovens), como lagartas, e repele os ditos de "corpo duro" (insetos adultos alados).

Todas as ações ocorrem sem haver desequilíbrios, pois o biofertilizante é constituídosimplesmente por macro, meso e microelementos e aminoácidos úteis ao desenvolvimento do vegetal. Não é recomendado pulverizar durante a floração, para não haver prejuízos à polinização.Para produzir o biofertilizante, a EMATER-RIO recomenda uma bombona plástica com esterco bovino misturado em partes iguais com água
pura, não-clorada, deixando-se um espaço vazio de 15 a 20 cm no seu interior. Esta bombona é hermeticamente fechada, tendo adaptada, em uma de suas tampas, uma mangueira plástica fina, que tem a outra extremidade mergulhada em uma garrafa cheia de água.


Tudo isto serve para garantir a anaerobiose necessária ao processo de fermentação, a qual dura 30 dias. O material a ser empregado é coado em peneira e, posteriormente, filtrado em pano fino. O tempo de utilização do biofertilizante é reduzido, devendo ser usado imediatamente ou, no máximo, em uma semana, para que não perca o efeito fitosanitário. Caso não possa ser utilizado, ele deve voltar ao sistema anaeróbico, ficando por mais 30 dias. Neste caso, só terá efeito hormonal e nutricional.

A aplicação do biofertilizante é feita com os pulverizadores normalmente utilizadosnas lavouras. Dilui-se a 50%, isto é, colocam-se 50 litros de biofertilizante e completa-se com água para 100 litros ou proporções equivalentes. Esta concentração garante o controle dos insetos de "corpo mole",agindo como inseticida de contato, repelindo as formas adultas. Elevando-se a concentração, aumenta também o controle dos insetos em formas adultas. À medida que se diminui a concentração da calda, diminui o efeito inseticida, permanecendo o efeito repelente de insetos adultos. As pulverizações são feitas em alto volume, ou seja, as
plantas devem ser totalmente recobertas com a calda. As estacas poderão ser mergulhadas em biofertilizante
liquído puro, por 1 a10 minutos, sendo secas à sombra por cerca de duas horas e postas a enraizar em seguida. Maiores informações são apresentadas no trabalho de VAIRO DOS SANTOS (1992).

Talvez o único inconveniente do uso do biofertilizante seja a carga microbiológica, que poderia ser aumentada sobre a parte aérea das plantas, comprometendo a qualidade. No entanto, não há estudos envolvendo plantas medicinais.

fotos: Escola: Etec Antonio Junqueira da Veiga
Galeria: PREPARO DE BIOFERTILIZANTE

http://www.esalq.usp.br/siesalq/pm/p05.pdf

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Adubo Orgânico para a Lavoura - BIO JUCA

Resultado de imagem para biofertilizante organico lami
tio JUCA

Agricultores substituem agrotóxicos por biofertilizantes.
Reportagem: Danuza Mattiazzi – Vida Orgânica
Fotos: Dilenio Enderle – Vida Orgânica

A agricultura orgânica não utiliza nenhum pesticida e fertilizante sintético. Como combater, então, possíveis pragas na lavoura e falta de nutrientes no solo, e ainda manter a produtividade sem aditivos químicos? Através dos biofertilizantes, adubos feitos de matéria orgânica vegetal. Eles nutrem o solo e deixam as árvores e plantas até mais saudáveis, segundo o agricultor Eliseu Rosa da Silva.
Em 1997, ele trocou os fertilizantes sintéticos do Sítio do Tio Juca, em Porto Alegre, por um insumo feito de esterco de animais, como galinha e cavalo. Há cinco anos, aprimorou o adubo, que passou a ser feito a partir de matéria vegetal: frutas e folhas que caem das árvores e resíduos vegetais retirados da roça na limpeza periódica, como picão e caruru.
O adubo orgânico do sítio faz com que os restos da roça voltem para ela em forma de nutrientes. A matéria vegetal é colocada em um tonel de 200 litros. Ali, fermenta e se transforma em uma massa que, no décimo dia, recebe água com cinzas para melhor retirada dos nutrientes. Em um ou dois meses, o composto está pronto.
As partes sólida e líquida são separadas. A massa recebe um pouco da cama de cavalo com serragem e é misturada no solo com cuidado, sem revirar muito a terra. “A camada superior do solo deve continuar em cima, porque já tem os micro-organismos necessários à planta”, explica o agricultor. O chorume é colocado em outro tonel, onde fermenta por mais alguns dias. Depois, é aplicado no pé das árvores e no canteiro da horta de legumes.
O biofertilizante do sítio não tem certificação que ateste a organicidade, mas é reconhecido pela Emater/RS como produto de qualidade. Eliseu ressalta que não foram realizados ainda estudos técnicos, mas que, por somente utilizar produtos da própria roça orgânica na fabricação e não adicionar nenhum produto químico à fermentação, é um insumo ecológico. “Às vezes, falta um pouco de nitrogênio no solo durante o inverno, mas logo o frio passa e isso se resolve”, diz ele, que busca sempre interação com a natureza.
Resultado de imagem para biofertilizante organico lami
“Os quero-queros ficam sempre ao meu lado quando estou lidando na roça, eles comem os insetos que atacam as plantas e, assim, ajudam na qualidade da produção. Comem minhocas também, o que não é muito bom porque elas são essenciais ao solo, mas fazer o quê, eles são meus companheiros e também não comem todas elas”, conta o agricultor, sorrindo.
Eliseu – ou Juca, como é mais conhecido – se orgulha em dizer que não utiliza implementos agrícolas há quinze anos: “Os meus implementos são a inchada, a pá… Entro com meu corpo e o biofertilizante, e a produtividade é igual”. Ele defende um solo sadio e diz que o adubo orgânico garante isso: “O fertilizante ecológico é matéria viva, é comida para os micro-organismos do solo. Os produtos industrializados matam esses ‘bichinhos’ da terra, porque não servem de alimento para eles. Com os micro-organismos, o solo fica rico e livre de doenças e as plantas ficam melhores”.
O cheiro do adubo orgânico, ele reconhece, é forte, mas ressalta: “O cheiro é ruim mas não tem veneno. É um trabalho bom, basta querer fazer, a gente se entusiasma com o que faz”. Outra possibilidade a partir da produção de biofertilizantes é a obtenção de gás metano, que se forma a partir da fermentação do chorume. Com a instalação de um biodigestor, pode ser feita a retirada do metano e, assim, a utilização do gás na cozinha e até em carros.
Fertilizantes orgânicos também podem ser encontrados no mercado de insumos agrícolas. Uma empresa de Feliz, na serra gaúcha, produz um biofertilizante há oito anos. O registro no Ministério da Agricultura e na Ecocert, certificadora de orgânicos, aconteceu há três anos e foi, então, quando a empresa começou a vender o produto.
“Desenvolvemos o adubo orgânico pela demanda. Uma empresa de alimentos orgânicos pediu que produzíssemos e hoje o produto vende igual ou até mais que o adubo sintético”, diz um dos diretores da empresa, Samuel Bach. Ele conta que grandes empresas e cooperativas passaram a comprar o fertilizante orgânico: “Já conseguimos fazer com que cerca de três mil produtores trocassem os sintéticos pelo orgânico”.
Imagem relacionada
Grandes vinícolas e a indústria fumageira também estão utilizando o biofertilizante, pela segurança alimentar e ambiental que ele oferece. Samuel explica que os países compradores pressionam as empresas brasileiras a usar o produto ecológico, mesmo na produção de vinhos convencionais, por exemplo. “Quem almeja incluir o seu produto no mercado nacional e internacional tem essa pressão. E isso acaba sendo bom para o meio ambiente e para a alimentação”, conclui o empresário.
Samuel não revela a forma de fabricação do Ecomaster, mas explica que é feito a partir da fermentação de matéria orgânica de origem vegetal e enriquecido com micronutrientes: “É um produto bastante completo”. O preço, segundo ele, é praticamente o mesmo do adubo convencional. Mas o custo para o agricultor sai um pouco mais elevado com a opção pelo biofertilizante, porque a dose a ser diluída precisa ser maior.
Para cem litros de água, são utilizados cem mililitros de insumo convencional. Se for orgânico, são necessários de um a dois litros para a mesma quantidade de água. “O adubo ecológico não é muito concentrado, mas é tão efetivo quanto o sintético. Se eu pudesse, venderia somente o produto orgânico”, revela o empresário.
Fonte: