Mostrando postagens com marcador #permacultura. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador #permacultura. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Plantio de batata doce no carrinho de mão!

Recolhi um carrinho de mão, que haviam jogado fora na praça e resolvi plantar batata doce. Vamos ver a colheita.




10 Maneiras de se Cultivar Batata-Doce em Casa

  • atualizado: 
cultivar batata doce em casa
Batata-doce é um tubérculo da espécie Ipomea batatas, planta originária das regiões quentes da América Latina. Também é conhecida no Brasil por nomes como batata-da-terra, batata-da-ilha, jatica e jetica (em tupi) e, em países de língua castelhana pode ser chamada de camote ou camohtli (México), batata (no Caribe), papa dulce, patata dulce, ou até boniato (América Central).
Há tantas formas de se cultivar batata-doce, ou batatas, em geral, que sempre poderemos ter uma planta dessas em algum canto da nossa casa.
A batata-doce dá uma rama bonita, vistosa, com flores suaves em azul, que tem um bom uso paisagístico em janelas de cozinha, você sabia?
folhagem flor batata doce
Folhagem e flor da batata-doce - Fonte foto: staticflickr.com
Mas, é na terra que ela vai dar o seu melhor, e produzir batata-doce para dar e vender. Só que, para ficar gostosa, a batata-doce precisa ser “curada” - processo que aumenta os açúcares, sabor e aroma, desse tubérculo bom de assar, cozer e comer.
batata doce germinada
Batata-doce germinada e brotando - cultivo em água para folhagem decorativa - Fonte foto: ltmcdn.com
Abaixo te mostro 10 maneiras fáceis de você cultivar batata-doce e qualquer outro tipo de batata ou tubérculo. As fotos mostram o cultivo de batata-inglesa que é a mais comum pelo mundo afora mas, a técnica é a mesma para a batata-doce.
Lá no final do artigo dou algumas dicas específicas para a batata-doce, Ipomea batatas, Convolvulaceae, que é planta de família bem diferente daquela da batata-inglesa (Solanaceae).

1. Batata-doce em sacola

batata doce sacola
fonte foto: thompson-morgan.com
Em uma sacola de material forte - algodão, lona ou sintético - mas que permita a respiração da terra, cheia de boa terra orgânica (não é preciso ter muito adubo pois este não favorece o crescimento dos tubérculos e sim o das folhas). Coloque na sacola 2, 3 batatas-doces germinadas. Cubra-lhes as raízes (os brotos podem ficar ao léu) e regue conforme seu regime de ventos secos. Dentro de pouco tempo você terá uma boa sacola de batata-doce para curar e comer.

2. Em saco de aniagem

Saco de aniagem é aquele feito de juta ou fibra plástica, que embala terra, farinha e outros. Se você tiver um saco desses, cheio de terra boa e solta, coloque dentro algumas batatas-doces brotadas. Mantenha úmido sem encharcar e, no tempo certo, colha uma boa produção. Basta que o saco fique em algum canto quente de sua varanda ou jardim.
Aqui um vídeo demonstrativo para plantar batata-doce em um saco de ráfia:

3. Em vaso na varanda

em vaso na varanda
Fonte foto: pinimg.com
Aqui um vídeo demonstrativo sobre como plantar batata-doce em vasos:

4. Em um balde ou bidão

bidão batata doce1
O único cuidado, neste caso, é vc fazer furos nas laterais do baldão para que não se acumule água que mofe os tubérculos. Batatas-doces dão bem em locais secos desde que você cuide de que não lhes falte a umidade necessária mas, essas plantas não gostam de encharcamento que apodrece seus tubérculos. Usar balde plástico ou bidão é uma boa alternativa se a sua região é mais seca ou mais fria pois, a terra ficará mais quentinha dentro do baldão.

5. No jardim

jardim batata doce
Você poderá plantar batata-doce em fileiras, no jardim, ou como bordadura (as folhagens e flores são bonitas e atraem polinizadores). Deixe um espaço de 40 cm entre cada planta para que seu crescimento não seja prejudicado e a produção seja boa. Mantenha o solo suave, com boa porcentagem de areia misturada à terra orgânica.
Evite usar qualquer tipo de adubo durante o crescimento das plantas caso sua intenção seja ter tubérculos para comer pois, a batata-doce, na oferta de adubação, privilegia o crescimento da massa verde e perde em peso nos tubérculos.

6. Batata-doce na palhada

batata doce palha
fonte foto: harvesttotable.com
Palhada é como chamamos a uma camada de palha (ou folhas secas, folhagem picotada, mulch, cobertura morta) que se usa na agroecologia como método de manutenção da estrutura do solo e processos bioquímicos naturais. A sugestão é cobrir o solo com um estrato de 3 ou 4 centímetros de palha. O método é bom também para combater o besouro-da-batata (Leptinotarsa decemlineata).

7. Torre de batatas

torre de batatas
fonte foto: eugeolearning.org
A torre de batata é um bom método para se cultivar tubérculos quando você precisa diferenciar o solo da área de cultivo daquele que tem no jardim. Você precisará de uma caixa alta, de madeira, que conterá a terra escolhida e preparada. Tanto quanto mais alta a sua caixa, maior superfície de cultivo de batatas você terá.
As ramas crescerão pelos espaços das tábuas, os tubérculos crescerão no interior da terra. Quando as batatas estiverem prontas para colher, despeje todo o conteúdo em um saco grande e retire as batatas maduras. Essa terra que sobra deverá ser adubada, repousada, e usada para cultivos diversos. É importante não repetir o cultivo para não privilegiar os bichinhos que atacam as plantas semelhantes.
Assista aqui alguns tutoriais em vídeo que mostram a técnica da torre de cultivo. Esta técnica é bem vinda para todo tipo de batata, doce ou não, gengibre, cúrcuma, amendoim e outros diversos.

8. Cilindro de batatas

cilindro de batatas
Para fazer uma torre você poderá usar um cilindro em material sintético - tela plástica - ou metalizado. Esta forma é bastante eficiente em regiões de umidade elevada pois permite que a terra se mantenha arejada e fresca. Você deverá completar a quantidade de terra conforme as batatas vão crescendo no seu interior.

9. Canteiro elevado

cantiere elevado
Este é outro método muito popular para o cultivo de tubérculos. Faça um canteiro elevado, com tábuas ou outros materiais adequados para conter o peso do solo. Enterre os tubérculos a 3 cm de profundidade e cerca de 12 cm de distância um do outro. Durante o crescimento das mudas, vá acrescentando mais solo de cobertura até que o seu canteiro esteja completo. As colheitas serão abundantes e os tubérculos mais saudáveis.

10. TomTato - tomateiro e batateira

tomtato
fonte foto: independent.co.uk
TomTato é uma solução técnica para quem quer produzir tomates e batatas em uma única planta. Na verdade você terá um híbrido resultado do enxerto de uma muda de tomate em uma batata comum, como mostra o vídeo:
Não posso assegurar que também resulte com a batata-doce mas, é bem provável que sim.
Segundo os criadores do Tom Tato, os tomates que resultam desta técnica de cultivo são muito mais doces que os outros e as batatas, brancas e fartas.
Informações técnicas específicas sobre o cultivo da batata-doce

Época de plantio

No Brasil o plantio da batata-doce depende das condições locais de temperatura, regime de chuvas, quantidade de luz ao dia e, dos cultivares que você escolha - alguns são mais precoces, mais vigorosos. Na verdade nosso país pode ter batata-doce produzindo durante o ano todo desde que se cuide de não faltar água nem luz, sol e calor também são importantes, e água em excesso é prejudicial. Mas, como estamos falando de batata-doce cultivada em casa você não terá dificuldade em controlar essas condições básicas.

Terra boa para batata-doce

O tipo de solo não tem problema desde que seja leve, com boa estrutura que favoreça a oxigenação e penetração das raízes sem impedir o crescimento dos tubérculos. Cuide da adubação da terra e local escolhido uns 5 meses antes de plantar. Pode ser preciso acrescentar calcário (prefira o calcário dolomítico que suprirá tanto as deficiências em cálcio quanto as em magnésio) para manter o pH entre 5,6 e 6,5.

Batata-doce também se planta em rama

Se você preferir reproduzir sua batata-doce pelo plantio de ramas, estacas, escolha as que tenham a grossura de um dedo médio, com gemas de brotação saudáveis. As ramas para cultivo devem ser colhidas maduras, deixadas secar na sombra até murcharem (1 a 2 dias), cortadas em pedaços de 40 cm e plantadas na horizontal, a 15 cm de profundidade. Este método é muito usado no cultivo extenso de batata-doce mas, também é adequado para jardins maiores.


FONTE: https://www.greenme.com.br/como-plantar/5510-10-maneiras-cultivar-batata-doce

sábado, 22 de dezembro de 2018

Como fazer um minhocário funcional com uma geladeira usada.


Permacultura - A nova floresta

“As minhocas se  enterram no chão para não cair de amor para as estrelas.” Yvan Audouard


old fridge used to make the worm farm
Remover todos os equipamentos, só guardar a caixa.
liquid casting evacuation on the fridge
Instalar uma saída para coletar excedente de água. Obturar todas as outras saídas com silicone. Nivelar a geladeira com um leve declive para orientar os resíduos líquido pela saída.
connection of the tap for worm casting liquid evacuation
Tubulação para colheita.
tap for monitoring the worm casting liquid evacuation
A geladeira (e torneira) deve estar suficientemente alta para colocar um balde embaixo. Os resíduos líquidos formam o chorume. O chorume orgânico é um fertilizante líquido, rico em nutrientes. Diluir em água até 1/10 antes de dar nas plantas. Para evitar que o chorume torna se anaeróbico no fundo da geladeira verse água pura de vez em quando na camada de drenagem através da telha de filtração e colheita a mistura diluída em um balde, vai permitir de diluir o chorume e purificar a camada de drenagem.
filtering the worm casting
Recyclagem de uma peneira de chuveiro
positioning the filter
Para prevenir a obstruacao da tubulacao.
layer for drainage of worm casting
Pedras para drenagem (aproximadamente 3/4 cm de espessura) e reduzir contato entre matéria orgânica e água.
Isso evita a decomposição anaeróbica no fundo do minhocário.
making the separation filter between the drainage and the worm bed
Estrutura de alumínio de suporte para a telha de separação entre drenagem e a cama das minhocas.
making the separation filter between the drainage and the worm bed 2
As partes transversal são aqui para evitar deformação. Outras técnicas usam grampos para fixar a telha ao compartimento de plástico, mas este tipo de solução não permite desmontar o minhocário, o que não é na filosofia Cradle to Cradle.
making the separation filter between the drainage and the worm bed 3
Dobrar para obter 3 ou 4 camadas de filtro.
positionning the filter of separation with the drainage layer
Colocar em cima da camada de drenagem.
removing the fridge rubber to allow worm farm ventilation
Remover a borracha de vedação para criar um sistema onde o ar (oxigeno) pode circular dentro do minhocário.
cutting the fridge rubber
Cortar pedaços de borracha.
removing the
Remover a banda magnética que fica dentro da borracha. Pode ter duvida sobre a influencia de um campo magnético no sistema de orientação das minhocas.
magnets
Essas bandas flexíveis podem ser utilizadas como magnet na porta duma geladeira (e também em cima do minhocário para notar informações sobre as minhocas)
filling the holes between the filter and the fridge body
Obstruindo os buracos entre o filtro e a caixa utilizando os pedaços de borracha.
design_do_tubo_de_ventilacao
Fazer um tubo de ventilacao com cana de 8 e um T, nao precisa de colla
ventilacao
Colocar a ventilacao sobre o filtro en cima do drainagem para reduzir degradacao anaerobica.

Recuperar a parte externa do côco e producir fibras.

Cuidando com o falcão.

Deixar as fibras de coco dentro da água o mínimo por um dia.
fibras_de_coco_humidas
As fibras são agora cheias de umidade, que vai ser uma fonte estável de umidade. As minhocas respiram através da pele e precisam de um ambiente úmido. As fibras vão permitir de guardar a umidade e respeitar a presencia de ar e oxigeno.
camada_de_fibras_de_coco
Camada de fibras de coco separando o drenagem da cama das minhocas
papelao humido
Utilizar velho papelão e colocar na água para se hidratar (1 dia mínimo no caso de papelão). Se você utiliza papel só umidificar e não deixar na água.
camada_de_papelao_humido
Triturar o papelão e fazer uma camada bem úmida e ventilada
Colocar_separacao_en_cima_do papelao
Utilizar a estrutura da geladeira para criar 3 compartimentos no minhocário (pode ser 2, 3 o 4 compartimentos). As minhocas pode utilizar a camada de papelão para mover entre os compartimentos.
composte
Um compartimento recebe adubo (ou composto, ou húmus)
esterco_de_galihna
O outro compartimento recebe mistura de esterco de galinha, terra e folhas que vem do galinheiro. Se você utiliza estrume de cavalo tem que verificar que ele não recebeu um tratamento contra vermes.
Regar_esterco_de_galinhas
Umidificando o lixo das galinhas que é muito seco
3_compartimentos
Agora temos 3 compartimentos. O compartimento do meio que só tem papelão (celulosa úmida) vai receber as minhocas para elas se aclimatar e quando vão começar a procurar para comida elas vão migrar ate os outros compartimentos.

sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Moradores de Salvador ganham delivery gratuito de mudas nativas da Mata Atlântica

Fonte: site conexão planeta

delivery de mudas em Salvador
Quer plantar uma árvore em sua casa, mas não sabe que espécie escolher ou onde comprar? O problema já está resolvido! Pelo menos, para os moradores de Salvador. A Secretaria Municipal da Cidade Sustentável e Inovação lançou um serviço de entrega e distribuição gratuito de mudas nativas da região.
Chamado de Delivery da Mata Atlântica, o serviço entregará 1 mil mudas neste primeiro mês: são pés de aroeiras, sibipirunas e ingás. Até duas árvores serão doadas por residência.
Os interessados em ganhar as mudas devem ligar para os telefones (71) 3611 3802 ou 156, número da ouvidoria da prefeitura, e escolher entre a entrega em casa ou a retirada nos lugares pré-determinados. Outra maneira é enviar uma mensagem de WhatsApp para (71) 98549-8453. Para participar do projeto é preciso informar nome, e-mail, telefone e endereço completo.
Para aqueles que optaram por buscar as árvores, os locais de retirada são o Parque da Cidade, no Itaigara, o Jardim Botânico de Salvador, na avenida São Rafael, e o Horto Sagrada Família, no bairro do Bonfim. Já as entregas em casa, serão feitas sempre às quarta-feiras.
Nos últimos quatro anos, a prefeitura de Salvador plantou mais de 50 mil árvores na cidade, sendo 95% espécies da Mata Atlântica, entre elas, pau-brasil, ipê e oiti. A escolha de nativas é importantíssima para assegurar a preservação da biodiversidade e assim, criar habitat adequado para animais, como abelhas e outros polinizadores, por exemplo.
Além disso, cidades arborizadas oferecem ar puro e melhor qualidade de vida a seus moradores. Em 2015, um estudo da Agência Espacial Americana (Nasa), que divulgamos aqui, revelou que a temperatura das grandes metrópoles está diretamente ligada à extensão de sua cobertura vegetal.
O que cientistas perceberam é que durante o verão, centros urbanos cobertos por solos impermeáveis – como asfalto, estradas, edifícios – apresentam temperatura 1,9ºC superior ao de áreas rurais próximas, onde a existência de árvores e folhagens é maior.
Para uma cidade quente como a capital baiana, está aí a solução ideal para não gastar dinheiro com o ar condicionado: plantar árvores!
Foto: Prefeitura de Olinda/creative commons/flickr
Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante seis anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para várias publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, acaba de mudar para os Estados Unidos

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

VIVERO ALEGRÍA - Limpiatubos - Callistemon citrinus





Fonte: site flores e folhagens

Escova-de-garrafa - Callistemon citrinus





.
Arbusto
ou arvoreta, pertence à família Myrtaceae, nativa da Austrália e Nova
Zelândia, perene, de até 3 metros de altura e muito ornamental.
Folhas verdes brilhantes, de textura média, em formato de lança e quando amassadas exalam uma fragrância agradável de limão.
Flores
inteiramente vermelhas brilhantes, com pontas douradas, que lembram
efetivamente uma daquelas escovas com as quais se limpam garrafas. São
dispostas nas extremidades dos ramos, que continuam a crescer após a
floração e às vezes também nas axilas das folhas superiores. Surgem
quase o ano todo, mas principlamente em novembro e dezembro e atraem
abelhas, borboletas e beija-flores.
Frutos lenhosos, em forma de taça em cachos cilíndricos ao longo do tronco após a floração.
Em paisagismo é usada em jardins como planta isolada, em grupos formando maciços, renques e cercas vivas. Muito usada em calçadas e na formação de bonsais.
.


Cuidados com a Escova-de-garrafa
Clima: Tropical, Subtropical, Mediterrâneo, Temperado.
Cultivada
a pleno sol, não é exigente e aceita uma ampla variedade de solos.
Contudo se desenvolve melhor em solo fértil, rico em matéria orgânica e
enriquecida de farinha de osso. O solo deve ser bem drenado e com regas
regulares. Depois de estabelecida tolera curtos períodos de seca.
Usar
no início da primavera, adubo orgânico enriquecido com farinha de osso e
no verão com adubo químico NPK 4-14-8, seguindo orientação do
fabricante.
Pode
ser podada apenas com pequenos cortes de contenção. A Escova-de-garrafa
é geralmente cultivada como um arbusto, mas ocasionalmente pode ser
educada como uma pequena arvoreta.
Multiplica-se por sementes e por estacas.
.


Escova-de-garrafa - Callistemon citrinus


.

segunda-feira, 1 de outubro de 2018

Embrapa ensina como produzir minhocas e húmus em pequenas propriedades

Foto: Thassiane Ubida
Thassiane Ubida - A gigante-africana é uma das espécies mais usadas no Brasil
A gigante-africana é uma das espécies mais usadas no Brasil 
A minhocultura é um processo de reciclagem de resíduos orgânicos (restos de alimentos, folhas, esterco, etc) por meio da criação de minhocas com o intuito de produzir o húmus, um excelente adubo para a atividade agrícola. Pensando em difundir essa tecnologia, que ajuda a diminuir o lixo orgânico nas cidades e no campo, a Embrapa Roraima (Boa Vista, RR) montou, em sua vitrine tecnológica, um minhocário.
O espaço servirá como ponto de transferência de tecnologia para que agricultores e interessados em geral possam conhecer as principais técnicas de criação de minhocas em pequenas propriedades. A iniciativa faz parte do projeto Arcoverde, que busca difundir modelos agrícolas sustentáveis para produtores da Região Norte do Brasil.
Segundo o agrônomo Silvio Levy, a minhocultura é perfeitamente adaptada à pequena propriedade agrícola, pois possui um manejo simples. "Essa atividade tem como produto principal o húmus, que constitui um excelente fertilizante orgânico, capaz de melhorar as características físicas, químicas e biológicas do solo", explica.
Mas a minhocultura não tem apenas essa utilidade. Além de fabricar o poderoso adubo, as minhocas também podem ser utilizadas para a alimentação animal e como isca para a pesca.
Acredita-se que no mundo existam mais de 8 mil espécies diferentes de minhocas. No Brasil, são conhecidas entre 240 e 260 espécies, sendo as mais utilizadas para a produção de húmus as minhocas Vermelha-da-Califórnia e a Gigante-Africana.  Ambas estão sendo usadas no minhocário da Embrapa.
Os interessados em aprender um pouco mais sobre a minhocultura podem entrar em contato com o setor de Transferência de Tecnologia da Embrapa Roraima pelo telefone (95) 4009-7135 e agendar uma visita.

Minhocários
Existem vários tipos de minhocários, dos mais simples até os mais caros. Para agricultores familiares, que não pretendem vender comercialmente o húmus produzido, mas apenas utilizá-lo na propriedade, o mais indicado é fazer um minhocário de baixo custo e pouca manutenção.

O folder Minhocultura ou vermicompostagem, da Embrapa Agrobiologia (Seropédica-RJ), mostra os principais aspectos para aqueles que desejam começar uma criação de minhocas e produção de húmus. Entre os pontos abordados estão: local ideal de construção do minhocário, técnicas de criação e manejo, comercialização e as principais fontes de matéria prima para produção de húmus.
Outra publicação da Embrapa que fala sobre a minhocultura para a agricultura familiar é a Circular Técnica Minhocultura e produção de húmus para a agricultura familiar, da Embrapa Clima Temperado (Pelotas, RS), também disponível para download.


Você sabia?
As minhocas não possuem olhos nem ouvidos e por isso seu sentido de direção não é muito bom. Sua movimentação é influenciada por células sensíveis à luz que existem em sua pele. Em geral, evitam a luz direta do sol, preferindo os ambientes sombreados e mais úmidos. Contudo, as minhocas não toleram ambientes encharcados, pois sua respiração é feita pela pele. Em lugares onde há acúmulo excessivo de água, a tendência é de haver pouco oxigênio. Nestes casos, é comum vermos as minhocas saindo do solo para procurar locais mais secos.
Clarice Rocha (MTb 4733/PE)
Embrapa Roraima

Telefone: (95) 4009-7114
Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Minhocas e minhocários no Rio Grande do Sul. 
Contate agropanerai@gmail.com

terça-feira, 4 de setembro de 2018

HÚMUS DE MINHOCA




 
FONTE:Coordenação de Agroecologia - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
www.agricultura.gov.br/desenvolvimento-sustentavel/organicos - organicos.mapa@agricultura.gov.br



O húmus produzido pela minhoca é formado mais rapidamente do que o húmus criado pela ação da natureza com a decomposição de resíduos vegetais e animais.
As minhocas consomem os resíduos orgânicos, que passam no seu trato digestivo e então
se transformam em húmus.
O húmus é muito rico em nutrientes para as plantas, e também em bactérias e microrganismos.
Conhecendo a minhoca!
- A minhoca possui os dois sexos no mesmo animal, mas não se acasala sozinha, precisa
de um companheiro (a);
- A minhoca pode viver de 2 a 16 anos;
- A minhoca estará fértil aos 40 dias;
- A minhoca se reproduz por 9 meses;
- Quatro minhocas adultas geram 1500 minhoquinhas em 6 meses;
- A minhoca consome aproximadamente o seu peso em alimento;
- A minhoca devolve 60% do que consome na forma de húmus.


Ingredientes para preparo do húmus:
- Esterco de vaca, cavalo, galinha, porco ou coelho (50%);
- Resíduos vegetais picados, como palha, leucena, guandu, mucuna-preta, crotalária, bagaço de
cana, grama cortada (50%)
- O esterco e os resíduos vegetais devem se misturados (ver ficha Fertilidade do Solo e Nutrição
de Plantas nº 24 – Minhocário construção).

Dica agroecológica!
Quando o húmus é levado para a terra, também irão os ovos da minhoca. Eles irão eclodir
(estourar) e deles sairão minhoquinhas, que a partir deste momento podem colonizar a terra.

Vantagens do uso do húmus de minhoca:
- Regenera a terra, mantendo-a fértil;
- É rico em matéria orgânica;
- Facilita a entrada de água na terra;
- Mantém a água por mais tempo no interior da terra;
- Aumenta a quantidade de ar na terra (aumenta os poros);
- Fornece nutrientes para as plantas, como o nitrogênio, fósforo, potássio, enxofre e principalmente
o cálcio;
- Pode ser usada em todas as culturas;
- Aproveitamento dos resíduos da propriedade (folhas, restos de colheitas, etc.);
-Tratamento de fontes de doenças e insetos nocivos que estão nos estercos;
- Não prejudica o meio ambiente.



Importante!

O húmus pode ser produzido pelo próprio agricultor, pelo aproveitamento dos resíduos
orgânicos gerados na propriedade, diminuindo assim a dependência com a aquisição de
insumos industriais, o que acarreta uma redução nos custos de produção.

Dica agroecológica!
A minhoca pode ser utilizada como mais uma fonte de proteína para aves alimentação de aves.

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Novas idéias para a captação de água da chuva em casa

Bom dia! Todo ano passamos por períodos de estiagem aqui no RS, em Bagé o problema é cronico, que tal captarmos a água da chuva?
Abaixo reproduzo artigo que mostra exemplos de captação de água da chuva em comunidades carentes na Africa.
atenciosamente
alexandre panerai
eng. agrônomo



Em áreas rurais, as principais fontes de água normalmente são os poços perfurados de água subterrânea ou a água superficial, os rios e os lagos. Entretanto, uma fonte de água potável segura e facilmente acessível durante a estação das chuvas, a qual é freqüentemente ignorada, é a chuva. Em climas tropicais e subtropicais, a quantidade de água da chuva captada pode ser considerável.




  • saúde melhor
  • fácil acesso
  • baixo custo
  • fácil de fazer.

Captação tradicional de água da chuva

Um dos métodos tradicionais de captação de água da chuva usados em Uganda e no Sri Lanka é a captação da água da chuva de árvores, usando folhas ou caules de bananeiras como calhas temporárias. Podem-se captar 200 litros de uma árvore grande durante uma só tempestade.

Captação de água da chuva de telhados

Sistemas domésticos de captação da água da chuva muito baratos podem ser facilmente instalados na maior parte dos telhados de ferro corrugado ou de telhas de barro nas áreas rurais e urbanas, usando vários tipos de calhas, descarte de primeiro fluxo e tanques de plástico ou cimento armado para a captação e o armazenamento..



Captação de água do telhado de custo muito baixo, usando um telhado de ferro corrugado, canos de plástico duro e potes de cimento armado para armazena mento numa casa, no Camboja. Foto Murray Burt/Tearfund



Captação de água da chuva sem telhados

Porém, em algumas áreas rurais, a maioria das pessoas vive em estruturas de telhado de palha simples, as quais não são adequadas para a captação tradicional de água da chuva. Assim, a Tearfund pesquisou e testou uma forma de “custo ultrabaixo”, inovadora e simples de captar a água da chuva sem a utilização de telhados..


Captação de água da chuva do telhado de uma latrina no Camboja, usando uma garrafa velha de refrigerante, um tubo de plástico duro, ferro corrugado e uma cisterna de tijolo. Este conceito é especialmente útil, pois oferece água para lavar as mãos ao lado da porta da latrina. Foto Murray Burt/Tearfund



Utilizando lonas plásticas





Sistema de captação de água da chuva de custo ultrabaixo no Sudão do Sul, usando uma lona plástica, estacas de madeira e um tambor de combustível de plástico. Foto Murray Burt/Tearfund

Em muitas populações em trânsito, especialmente em situações de emergência e pós-emergência, as lonas plásticas são um artigo básico que muitas famílias possuem. Elas são distribuídas em campos de refugiados ou de pessoas internamente deslocadas ou são compradas nos mercados locais. As lonas plásticas são usadas para muitos fins, inclusive como abrigo para moradias ou lojas. Elas também podem ser usadas para captar a água da chuva. Os cálculos baseados em dados sobre a precipitação de Colombo, no Sri Lanka, mostram que haveria uma produção diária média de mais de 60 litros de água da chuva durante seis meses do ano, usando-se uma lona plástica de 8m² para a coleta.

Projetando o seu próprio sistema de captação da água da chuva

A utilização de lonas plásticas é uma opção para a captação de água da chuva sem a utilização de telhados. Outros materiais disponíveis no local também podem ser usados, tais como chapas individuais de ferro corrugado e tecido.

Não há nenhuma regra para a construção. Pense em novas idéias, usando qualquer material que tiver à sua disposição para captar e coletar a água da chuva. O princípio é sempre o mesmo:

Capture a água da chuva numa superfície limpa antes que ela caia no chão e canalize-a para uma cisterna limpa.

Ampliação

É fácil ampliar os sistemas de captação de água da chuva. Em situações de emergência, a captação de água da chuva pode ser disponibilizada para todos e pode até mesmo contribuir como uma fonte significativa de água em grandes comunidades e campos. Lembre-se de promover a boa higiene ao mesmo tempo, mantendo a limpeza de todas as partes do sistema. Cubra a cisterna e certifique-se de que as pessoas não retirem a água armazenada colocando a mão dentro dela ou com canecas ou outros utensílios sujos. Depois de armazenada por um longo período de tempo, água da chuva pode precisar ser desinfetada. Cubra as cisternas com uma tela para evitar a procriação de mosquitos e mantenha-as fora da luz do sol para evitar o crescimento de algas.



Murray Burt

DFID WASH Programme Manager

PO Box 76184-00508

Nairobi - Quênia
E-mail: murray.burt@tearfund.org

O que as pessoas disseram
“A água da chuva tem gosto de limpa e não tem cheiro.”
(Agul Tour, 19 anos, na demonstração no Mercado de Omdurman)

“Estamos saindo da guerra... estamos contentes por aprender como captar água... estamos abertos para novas idéias.” (Marc Tuc, 60 anos)

“Eu experimentei a água na igreja. Ela é boa – é o tipo de água que não deixa a gente doente.”
(Nyibol Ngor, 17 anos)
“A comunidade está contente com a captação da água da chuva, pois as pessoas sabem que agora terão mais água para usar, principalmente na estação seca.” (Daniel Aleu, 25 anos)