Mostrando postagens com marcador #permacultura. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador #permacultura. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 17 de abril de 2019

Conheça as caraterísticas dos adubos orgânicos!

Extraído do blog Mundo da Horta
O objetivo da adubação orgânica é manter ou aumentar a fertilidade do solo e da sua atividade biológica.  Devemos “nutrir o solo para alimentar a planta”. Adubar não é simplesmente fornecer nutrientes para as plantas. Adubar é uma ação global que tem como objetivos simultâneos  melhorar a fertilidade e a saúde do solo e garantir a nutrição das plantas.  A adição de adubos orgânicos melhora, consideravelmente, as características físicas e biológicas do solo.

Adubos orgânicos humus de minhoca
É o produto resultante da decomposição da matéria orgânica digerida pelas minhocas. É  a forma mais decomposta de matéria orgânica, o que facilita a sua degradação por micro-organismos do solo e facilita a liberação de nutrientes. Entre suas qualidades estão:
– Bons teores de macronutrientes (nitrogênio, potássio, fósforo,  enxofre, cálcio e magnésio) e especialmente de micronutrientes (cobre, molibdênio, zinco, ferro, e cloro)
– Durante seu processo digestivo as minhocas promovem um aumento da população de micro-organismos, principalmente bactérias benéficas, sendo o húmus de minhocas uma excelente fonte de micro-organismos para o solo.
– Não tóxico para as plantas, os animais e o homem.
– Proporciona um equilíbrio nutricional às plantas, pois as substâncias que contém são liberadas lentamente.
– Antecipa e prolonga os períodos de florada e frutificação das plantas.

bokashi horta em casa
Produto da agricultura natural japonesa, o Bokashi é um fermentado com organismos vivos que acelera a decomposição da matéria orgânica, colocando a disposição das plantas minerais importantes ao seu desenvolvimento. É um recurso que associado a práticas de incorporação de matéria orgânica, auxiliando o processo de recuperação da vida do solo e da sua fertilidade.
Melhora as condições físicas, químicas e biológicas do solo, proporcionando às plantas as condições ideais para o pleno desenvolvimento. Favorece o ambiente para que as raízes e microrganismos se beneficiem mutuamente. As raízes, além de absorver nutrientes do solo, secretam substâncias nutritivas, sendo que esta secreção ocorre na rizosfera, onde os microrganismos atuam. Estes por sua vez, absorvem substâncias de difícil assimilação e as transformam em substâncias assimiláveis pelas plantas, proporcionando uma nutrição equilibrada e fortalecendo aplanta contra o ataque de pragas e doenças.
O adubo orgânico pode ser aplicado via foliar ou via gotejamento (Bokashi líquido) ou diretamente no solo (Bokashi líquido e/oufarelado)

adubo carvão vegetal - Copia
fino de carvão é uma forma bastante estável da matéria orgânica do solo utilizado na composição de substratos orgânicos. É um material poroso, o que permite aumentar a capacidade de retenção de água e de absorção de compostos orgânicos solúveis.  Facilita a proliferação de organismos benéficos, além de possuir em sua composição elementos minerais como: magnésio, boro, silício, cloro, cobre, manganês, molibdênio e, principalmente, potássio.
No Brasil, um exemplo do efeito benéfico do carvão são os solos da Bacia Amazônica chamados Terra Preta de Índio . Eles teriam sido produzidos com a combinação de carvão vegetal, cerâmica e matéria orgânica de origem vegetal e animal.. Se estima que a produtividade dos solos pretos é 15% maior do que os outros solos.

farinha ossos
É um produto oriundo de ossos bovinos que são incinerados a mais de 500 graus de temperatura até a queima total. Após um período de resfriamento estas cinzas são moídas.
A farinha de ossos é um adubo orgânico rico em fósforo e cálcio, elementos essenciais ao crescimento, floração e frutificação das plantas. É o principal fertilizante orgânico fonte de fósforo, elemento absorvido pelas raízes das plantas e determinante para o aumento da produtividade. Outra vantagem da farinha de osso é que sua solubilização é lenta, o que garante o suprimento de fósforo as plantas por um bom tempo, diferente que os superfosfatos (fertilizantes inorgânicos) que tem uma rápida solubilização em água.

torta de mamona
           A torta de mamona, produzida durante a extração do óleo, é um importante subproduto da cadeia produtiva da mamona. Se trata de uma rica fonte de nitrogênio de lenta liberação que também funciona como condicionador de solo, elevando o nível de matéria orgânica. Outro efeito bem documentado da torta de mamona é o controle de fitonematóides, quer seja pelo efeito nematicida direto quando aplicada no solo, pela liberação de substâncias tóxicas decorrentes do processo de decomposição, ou mesmo pela estimulação da microbiota natural do solo antagônica a estes fitopatógenos.

calcareo de cochas
Os calcários são rochas sedimentares com quantidades acima de 30% de carbonato de cálcio. Quando o calcário é um aglomerado formado da natureza por conchas e fragmentos de conchas é denominado  calcário de conchas ou conquífero. O calcário de conchas na agricultura orgânica é utilizado para corrigir a acidez do solo. Ao mesmo tempo em que faz  essa correção, o calcário também fornece cálcio e magnésio indispensáveis para a nutrição das plantas.  A aplicação do calcário aumenta a disponibilidade de  nutrientes para as plantas e permite a maximização dos efeitos dos fertilizantes, e consequentemente o aumento substancial da capacidade  produtiva da terra.

estercol de origem animal
O esterco é a designação dada ao material orgânico em avançado estado de decomposição proveniente de excrementos de animais utilizados para fertilizar plantas. Às vezes o esterco consiste em mais de um resíduo orgânico, tal como excrementos de animais e restos das camas, como acontece com a palha. Os estercos, em função de suas características químicas, têm um alto potencial fertilizante, podendo substituir, quando são adicionados com outro adubo orgânico, totalmente a adubação química e contribuir significativamente para o aumento da produtividade das culturas. É muito importante que o esterco esteja bem fermentado para inativar os microrganismos patogênicos e o risco de contaminação. Os adubos orgânicos de origem animal mais utilizados  são o esterco bobino, o esterco de galinha e o esterco de porco.

COMPOSTOS DE LIXO DOMÉSTICO
adubo do lixo domestico
O composto é o produto final do processo de compostagem do lixo doméstico. A compostagem é um processo natural de transformação da matéria orgânica do lixo em compostos mais simples que podem ser utilizados como nutrientes pelas plantas. A compostagem é realizada pelos próprios microorganismos presentes nos resíduos, em condições ideais de temperatura, aeração e umidade. Esses micro-organismos vão descompor e estabilizar os compostos constituintes dos materiais liberando dióxido de carbono e vapor de água.

po de rocha
Os solos mais férteis do mundo tiveram sua origem nas erupções vulcânicas. Apesar do constante perigo  dos vulcões, as pessoas continuam a viver próximas aos mesmos devido à fertilidade do solo vulcânico.
pó de rocha é um produto originário das rochas vulcânicas utilizado para rejuvenescer solos pobres. O pó de rocha contém cerca de 60 a 70 elementos químicos, entre micro e macro nutrientes, além dos oligoelementos úteis.
Entre suas qualidades e benefícios estão:
– É pouco solúvel, diminui os riscos de perdas do produto.
– Presença de macro e micronutrientes essenciais.
– Corrige o pH (acidez) do solo.
– Em conjunto com a matéria orgânica, incentiva a vida do solo.
– Proporciona um equilíbrio nas plantas, fortificando-as e diminuindo assim a necessidade de defensivos agrícolas.

extracto pirolenhoso
extrato pirolenhoso, também conhecido como ácido pirolenhoso, líquido pirolenhoso ou vinagre de madeira,  é extraído da queima da madeira e atua tanto no controle de pragas como na adubação. Originário do Japão, onde é utilizado há séculos, é um líquido resultante da condensação da fumaça composto por mais de 200 substâncias que interagem entre si.
É  condicionador do solo, bioestimulante vegetal, indutor de enraizamento e repelente de insetos. É um excelente fertilizante para orquídeas,  já que  promove um aumento no número de brotos, garantindo o aumento do número de flores.

aubação orgânica na planta
Os aminoácidos ativam o metabolismo geral do solo e da planta, melhorando a fotossíntese e outros processos fisiológicos vitais. Usado como adubo para todo tipo de plantas, o aminoácido favorece a capacidade de absorção das raízes e otimiza as transformações químicas, dando como resultado um melhor aproveitamento de nutrientes, maior brotação, floração e principalmente melhor resistência a pragas e doenças. É um excelente adubo para orquídeas.
A utilização de aminoácidos via solo ou via foliar além de fornecer a planta uma fonte direta para que esta sintetize as proteínas, fornece também energia adicional necessária para suprir as demandas nos momentos críticos do ciclo vegetativo.
As vantagens do uso de aminoácidos são:
– Proporciona um metabolismo mais equilibrado das plantas
– Ativação da fotossíntese das plantas resultando em plantas mais verdes e com maior conteúdo de açúcar
– Redução de fitotoxicidade de determinados defensivos agrícolas
– Maior tolerância das plantas a pragas e doenças (papel imunológico)
– Aumenta a absorção e a translocação dos nutrientes aplicados na parte aérea das plantas
– Sistema radicular mais desenvolvido e vigoroso
– Regulador da atividade hormonal das plantas
– Maior tolerância das plantas ao stress hídricas e geadas
– Aumento do florescimento das plantas
– Alimento para a micro-vida do solo contribuindo dessa forma para a melhoria da estrutura física do solo

Autor: Miguel Lancho Jiménez





segunda-feira, 25 de março de 2019

4 passos para fazer adubo com lixo orgânico em casa



Flores mais bonitas e um jardim saudável pode vir sem nenhum custo extra para
você. O segredo é a compostagem, que não só reduz a quantidade de lixo em
aterros, como também enriquece o solo do seu quintal com um material rico em
nutrientes. Listamos 5 passos simples para você começar a fazer compostagem
doméstica:
1. Escolha um recipiente
Escolha um espaço ao ar livre e um recipiente para depositar seu composto.
Pode ser uma lata de lixo grande ou um balde de plástico, por exemplo.
  É importante que você faça furos no fundo do recipiente para que o chorume
(material orgânico em decomposição) possa passar.
Embaixo da composteira deve haver outro recipiente para armazenar o chorume.
Pode ser uma bacia mais rasa, por exemplo. Ela só não pode ficar em contato
 direto com a composteira para que o chorume tenha espaço para escorrer.
reprodução/Howtocompost
Lata de lixo ou de tinta pode virar uma composteira caseira
2. Recolha o lixo da sua casa
Recolha o lixo da sua cozinha e jardim e misture os materiais. É necessário ter
duas vezes mais resíduos marrons (serragem, folhas secas, papelão e folhas de
 jornal) do que verdes (frutas, vegetais, grama, borra de café).  Esse equilíbrio é
 importante, pois os elementos marrons são ricos em carbono, enquanto que os
 verdes contribuem com nitrogênio.
Além disso, seu composto também precisa de oxigênio e umidade. Caso o
material fique muito seco, pode acrescentar um pouco de água para umedecer.
3. Distribua o material na composteira
Para acelerar o processo de decomposição, você deve distribuir o material em
 camadas: uma de nitrogênio (material úmido) para três camadas de carbono
 (material seco, como folhas, papelão e serragem).
4. Espere a mágica acontecer
Ao longo das próximas semanas, você vai ver os seus restos de comida se
transformarem em solo. Seu composto estará pronto quando tiver aspecto e
cheiro de terra. Lembre-se que ele não é um substituto para o seu solo, mas,
sim, age como um fertilizante natural para nutri-lo.
istock
Em poucas semanas, aquilo que iria para o lixo vira adubo natural
O que você NÃO deve colocar na composteira:
  • Produtos de origem animal
  • Gorduras
  • Óleos
  • Resíduos de animais de estimação
  • Comida temperada
  • Cinzas e bitucas de cigarro
  • Vegetais doentes
O que pode ir para a composteira:
  • Restos e cascas de frutas, legumes e verduras
  • Raízes e capim seco
  • Folhas secas e restos de podas
  • Serragem de madeira
  • Papel de jornal
  • Papelão
  • Saquinho de chá
  • Pó de café com coador de papel
  • Grama seca

quarta-feira, 20 de março de 2019

Compostagem, transformando resíduos em recursos.



Sabe a calçada do vizinho cheia de goiabas maduras? pois é, juntei dois baldes de 20 litros para alimento das minhocas californianas para compostagem.

COMPOSTAGEM: A RECICLAGEM NA NATUREZA

A compostagem é um processo de transformação que pode ser executado com parte dos nossos resíduos domésticos orgânicos, resultando em um excelente adubo para ser utilizado em hortas, vasos de plantas, jardins ou algum terreno que você tenha disponível. Este é um dos métodos mais antigos de reciclagem onde imitamos os processos da natureza para melhorarmos a terra.
O conceito de resíduo na natureza passou a existir com a sua excessiva geração aliada à crescente produção e uso de materiais sintéticos que não se degradam facilmente, além da utilização de substâncias químicas perigosas, como tintas, solventes e metais pesados utilizados em baterias, entre outras (FIGUEIREDO, 1995).
orgânicos
Dos resíduos gerados no estado do Rio de Janeiro, cerca de 52% são orgânicos, contra 44% de recicláveis e 4% de rejeitos. Em 20 anos a porcentagem de lixo orgânico aumentou 16%. (COMLURB, 2001). É importante ressaltar que nem todos os 52% podem ser compostados. Devido à falta de separação prévia na fonte geradora (residências, restaurantes e outros) existem resíduos orgânicos que não são compostáveis misturados aos que são. Além disso, elementos químicos perigosos ao meio ambiente e à saúde contaminam o composto e comprometem a sua qualidade. Segundo estudos feitos na Usina de Compostagem de Irajá, no Rio de Janeiro, existe cerca de 5% de metais pesados por Kg de composto (AZEVEDO et all, 2003). Esse elevado percentual de metal pesado e de material orgânico não compostável em nosso lixo retrata o baixo percentual de resíduo orgânico que é transformado em composto, não só no Brasil, com somente 1%, mas em países que já fazem a separação prévia de seus materiais, como a Alemanha cujo índice chega a 5%. (BALERINI, 2000).

O QUE É COMPOSTO E COMPOSTAGEM?

O composto é um material escuro usado como um tipo de adubo também chamado de terra preta ou húmus.
Compostagem é o processo de decomposição biológica da matéria orgânica contida em resíduos animais ou vegetais. É feita por muitas espécies de microorganismos e animais invertebrados que em presença de umidade e oxigênio, se alimentam dessa matéria e propiciam que seus elementos químicos e nutrientes voltem à terra. Essa decomposição envolve processos físicos e químicos que ocorrem em matas, parques e quintais. Os processos físicos são realizados por invertebrados como ácaros, centopéias, besouros, minhocas, lesmas e caracóis que transformam os resíduos em pequenas partículas. Já os processos químicos, incluem a ação de bactérias, fungos e alguns protozoários que degradam os resíduos orgânicos em partículas menores, dióxido de carbono e água.
Essa técnica vem sendo utilizada há mais de cinco mil anos pelos chineses (FREIRE, 2003) e é uma prática utilizada em propriedades rurais.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

Como acabar com as formigas em casa e no jardim

    Fonte: site da greenme
    formigas
    Quem tem horta, plantio caseiro, ou mora perto de áreas verdes, sabe como é difícil manter pragas, insetos e formigas afastadas da casa. Sabendo desta dificuldade, decidimos procurar as melhores dicas para afastar as formigas em casa e no jardim!

    Para começar, devemos lembrar que as formigas, por mais chatas que pareçam, também têm o seu papel na biodiversidade e na cadeia alimentar, então, em vez de matá-las, vamos afastá-las para acabar com os problemas que elas possam causar em nossas e ou jardins.

    É importante saber do que as formigas gostam e do que não gostam, a dica fundamental que podemos dar é que elas adoram coisas doces, desde açúcar até folha e flores, e odeiam cheiros fortes. Sabendo disso, temos muitas chances de ganhar esta batalha!

    1. Como acabar com as formigas em casa

    formigas em casa
    foto: freeimages

    2. Limpeza e higiene

    Antes de tudo, é importante lembrar que as formigas são muito gulosas, e comem de tudo, então é muito importante manter a casa limpa, evitando deixar restos de comida espalhados, lixos muito cheios ou louças sujas.

    3. Cravo, Canela e Louro

    Caracterizados por seu forte odor, podem ser comprados secos em quase qualquer mercado. Este método espanta as formigas.
    Recomendamos que se coloque a canela, o cravo ou o louro em saquinhos feitos com uma meia-calça velha. Eles devem ser espalhados pela casa nos lugares onde as formigas costumam passear, e devem ser trocados a cada duas semanas para que o cheiro permaneça forte.

    4. Óleos Essenciais de Cravo ou Hortelã Pimenta

    Os óleos essenciais geralmente são feitos com folhas ou pétalas secas, das quais suas essências são extraídas. Podem ser comprados em farmácias ou lojas de produtos naturais.
    Por serem essências, possuem odor forte e desagradável para os insetos. Recomenda-se que se borrife um pouco dos óleos nas superfícies onde as formigas costumam trilhar, como bordas, janelas, pisos ou portas. O processo deve ser feito de 3 a 4 dias, deixando os ambientes perfumados.

    5. Vaselina

    O uso da vaselina é recomendado por conta de sua consistência. Deve ser usado em pequena quantidade nas bordas de recipientes, potes, ou áreas específicas nas quais as formigas costumam trilhar. Ela é útil para afastar as formigas nas pequenas áreas.

    6. Alfazema e cânfora

    Em lugares fechados como armários e gavetas, pode-se colocar as folhas de cânfora ou alfazema, seu odor afasta as formigas, perfuma o espaço e as roupas.

    7. Misturas líquidas para usar com borrifador

    7.1. Farinha de milho com vinagre

    Para espaços grandes e fechados, muitas vezes é melhor afastar as formigas com líquidos que não ocupem espaços.
    Para fazer a mistura de farinha de milho e vinagre, é necessário adicionar 1 colher de chá de farinha de milho e 2 de sopa de vinagre, pode-se diluir um pouco a mistura com mais 1 colher de água. Colocar a mistura no borrifador e espalhar pelo ambiente.

    7.2. Vinagre e detergente

    As proporções da mistura são as seguintes: ½ copo de água, 2 colheres de detergente biodegradável, 2 de vinagre (recomenda-se o uso de vinagre branco, mas não é essencial.) Borrifar a mistura nos pisos limpos.

    7.3. Suco de Limão

    Pode-se usar a quantidade de limão que quiser, mas é melhor fazer com 1 ou 2 limões com um pouco de água, para que a mistura seja refeita, mantendo a frescura e o odor. Quando pronto, borrifar em frestas e bordas como portas e janelas.

    7.4. Detergente

    Em um copo de 200 ml, acrescente metade de água e metade de detergente biodegradável. Coloque o conteúdo em um borrifador, e aplique nos cantos, frestas e outros possíveis espaços onde possa haver caminhos de formiga.

    7.5. Algumas das dicas podem ser usadas tanto no jardim, quanto na casa, como:

    7.5.1. 1. Casca de limão, laranja ou pepino

    O aroma das cascas espanta as formigas temporariamente, mas elas devem ser trocadas a cada semana, pois perdem seu frescor. As cascas podem ser espalhadas pelos cantos da casa ou do jardim

    7.5.2. 2. Pimenta

    A pimenta não é ardida só pra gente! As formigas também não aguentam seu calor, então ela pode ser espalhada na casa depois de estar limpa, ou pelo jardim nos lugares onde as formigas fazem suas trilhas e perto das plantas. É bom usar pimenta em pó, mas não obrigatório.

    8. Como acabar com as formigas no jardim

    foto
    foto: freeimage
    Antes de tudo, gostaria de dar uma dica muito importante: no caso do combate às formigas direto na terra, não é recomendado o uso de sal e vinagre, pois prejudica o crescimento das plantas e a qualidade da terra.

    9. Barreiras físicas

    Para afastar as formigas das árvores e das plantas, a barreira física é muito eficaz, pois impede que as formigas cheguem às folhas e flores.
    A técnica é a seguinte: use um material circular um pouco maior que a área que quer proteger, como baldes, sobras de cano de esgoto, entre outros, e coloque a esfera no lugar requerido, cortando o fundo e lateral para encaixar no entorno da planta ou árvore. Enterre um pouco abaixo da terra o material circular, usado, aproximadamente 1 cm.

    10. Plantio de hortelã, batata-doce, salsa, cenoura, mamona e gergelim preto

    Se o problemas com as formigas for direto na terra, é muito importante cuidar bem do espaço. Pode-se fazer uma cerca viva com uma variedade enorme de plantas para evitar pequenas infestações de formiga, tais como hortelã, batata-doce, salsa, cenoura, mamona e gergelim preto.

    11. Talco ou Cal

    O pó deve ser espalhado perto das plantas, ou do formigueiro, o que deve espantar as formigas.

    12. Borra de café

    A borra do café usado (não solúvel) ou os grãos triturados, além de nutrirem a terra, afastam as formigas.

    13. Lembrete

    O uso de formicidas e outros venenos, além de serem muito prejudiciais às pessoas, especialmente às crianças, podem danificar o meio ambiente pois acabam indo parar nos lençois freáticos através da irrigação. Com paciência, as formigas podem ir viver em lugares onde não atrapalhem a convivência com humanos.

    segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

    Receitas de Inseticidas, Fungicidas e Repelentes para Hortas Agroecológicas

    Fonte: site semear e plantar

    Inseticida, fungicida, repelente biologico

    Vamos ver algumas receitas para fazer inseticidas, fungicidas e repelentes para pragas comuns em hortas biológicas.

    1 – Inseticidade de Alho

    Rale 10 dentes de alho com a varinha mágica, adicione 2 litros de água, mexa a mistura e deixe repousar por 24 horas. Após as 24 horas coe os 2 litros de preparado, misture com mais 5 litros de água e pulverize de imediato as plantas. Recomenda-se que faça uma pulverização por semana em dias secos e até 3 em dias de chuva.

    Ps. Um dos mais fortes inseticias, fungicidas e repelentes naturais. Serve para repelir pulgões, borboleta da couve, afideos, mosca branca e cicadelas.


    2 – Chorume de Urtigas

    Vai precisar de 1kg de urtigas frescas sem flôr, 10 litros de água e um recipiente onde possa misturar ambos. Coloque a água e as urtigas dentro de recipiente, mexa bem mexida a mistura, tape o recipiente e deixe repousar. Ao final de alguns dias devem aparecer algumas borbulhas no topo da misturar, essas borbulhas são sinal de que a fermentação está em curso. Quando deixar de ver essas borbulhas é sinal que o chorume de urtigas está pronto.
    Retire as urtigas, coe o liquido resultante da fermentação e guarde num local fresco e limpo.

    • Para repelir os pulgões das suas plantas, dilua 1 litro de chrume de urtiga em 10 litros de água e pulverize as plantas. Lembre-se que prevenir é o melhor remédio! Portanto pulverize as suas plantas semanalmente com este repelente mesmo antes das pragas atacar a sua horta biológica.
    • Para utilizar como adubo liquido natural, dilua 3 litros de chrome em 10 litros de água e regue as plantas.


    3 – Cebola
    A cebola é um excelente de todo o tipo de insectos.
    Corte uma cebola às rodelas, junte um pouco de água e rele no liquidificador ou com varinha mágica, filtre a mistura, junte dois litros de água e borrife as plantas com o preparado.


    4 – Hortelã
    O chã de hortelã tem se mostrado um excelente repelente de insectos.
    Coloque água a ferver e junte folhas de hortelã quanto baste, deixe ferver por 3 minutos, deixe arrefecer, coe e aplique de imediato depois de frio.


    5 – Vinagre com Oregãos
    Ferva o vinagre com oregãos durante três minutos como de estivesse a fazer um chã, deixe a arrefecer, coe e aplique nas folhas e caules das plantas, serve para repelir formigas, alguns insetos e lagartas.


    6 – Tomateiro
    Chã de folha de tomateiro tem ação inseticida contra pulgões. Ferva algumas folhas e pedacinhos de caule em 2 litros de água, deixe arrefecer e aplique de imediato nas plantas a tratar.


    7 – Chã de Cavalinha
    O chã de cavalinha é bom para afugentar insetos nocivos à sua horta.
    Vai precisar de 10 gr de cavalinha seca ou 30 gr de cavalinha verde.
    Ferva as folhas de cavalinha em 1 litro de água por 25 minutos. Dissolva a calda resultante em 9 litros de água.
    Deixe arrefecer e aplique nas plantas com um pulverizador.



    8 – Inseticida de Leite
    O leite é tembém ele um excelente inteticida e fungicida para a sua horta. Use uma porção de leite para dez de água. Num recipiente, misture 1 litro de leite e 10 de água, mexa bem a mistura e borrife as plantas a tratar.
      9 – Quadrados de papel ou plástico amarelo garrido
    Já é sabido que muitos insetos se sentem atraídos pelo amarelo. Para evitar pragas como a mosca branca e outros insetos nocivos para a suas plantas, coloque quadrados  grandes de papel ou plástico amarelos untados com mel (ou outra substância pegajosa) espalhados pela sua horta.
    amarelo mosca branca


    10 – Cinzas
    Espalhe cinzas de madeira pelo meio das suas plantas para evitar lesmas e caracóis. Além disso, as cinzas são um excelente fertilizante para as suas plantas.



    11 – Casca de Ovo
    As cascas de ovo bem trituras e colocadas junto aos pés das plantas, evita que lesmas e caracóis subam pelo pé e danifiquem a planta.


    12 – Ervas aromáticas
    Plantar ervas aromáticas pelos canteiros da sua horta, vai ajudar a repelir vários insetos nocivos. A hortelã, deverá ser presença obrigatória na sua horta.


    13 – Sabão de potassa
    Vai precisar de 10 l de água, 200 gr de sabão de potassa ou sabão azul, 100 ml de óleo vegetal (óleo Fula, de girassol, de milho etc)

    Em aproximadamente 5 l de água misturar 200 gr de sabão de potassa (se utilizar sabão sólido, diluir em água morna mexendo com frequência até completa diluição), misturar os 100 ml de óleo lentamente ir mexendo sempre. Para finalizar junte os outros 5 litros de água para terminar a calda.
    Deixe arrefecer e pulverize as plantas de preferência de manhã.

    sábado, 2 de fevereiro de 2019

    ARAÇÁ: A FRUTA DAS PROPRIEDADES DIURÉTICAS E ANTI-INFLAMATÓRIAS




    Fonte site 

    araca

    O araçá, Psidium araca, é uma planta brasileira, parente da goiaba e da jabuticada, da pitanga e da grumixama, alimentícia e com diversos usos medicinais na medicina popular
    Araçá tem diversos nomes araçá-vermelho, o araçá-de-cora, o araçá-de-praia, o araçá-do-campo, o araçá-do-mato, o araçá-pera, o araçá-rosa e o araçá-piranga e é uma planta que tem 150 espécies diferentes, conforme o ambiente onde cresce.
    O araçá cresce nas planícies costeiras, restinga e na Mata Atlântica, até cerca de 1.200 metros de altitude. Também é cultivada como ornamental, frutífera e em projetos de recuperação de áreas degradadas. Seus frutos, parecidos com a goiaba, de tamanho menor e sabor mais acentuado, é procurado por pássaros e morcegos frugívoros. Suas flores, brancas e perfumadas, são melíferas e muito procuradas por abelhas nativas, contribuindo para a sua preservação.
    araca 3

    Propriedades medicinais

    O araçá tem ação calmantediurética e antiinflamatória, sendo usada para combater as inflamações bucais e gastrointestinaisurogenitais e intestinais. A infusão de folhas e brotos é indicada, como as goiabas, para tratar diarréias e hemorragias. São medicinais tanto a fruta, as folhas e as flores que podem ser usadas em infusão.
    A fruta do araçá é rica em cálcioferrofósforovitaminas AB e C, antioxidantes, carboidratos e proteínas. É uma fruta mucilaginosa e adstringente cujo óleo essencial tem atividade antimicrobiana. Também possui importante teor de carotenóides e antocianinas.
    araca 2
    Com sua riqueza nutricional, é usada na prevenção e tratamento da osteoporose, no excesso de ácido úrico, na retenção de líquidos, na anemia, no tratamento de prisão de ventre e no esgotamento físico.
    Araçá possui tanta vitamina C quanto os frutos cítricos, sendo recomendada sua ingestão nos casos de gripes e resfriados.
    Com a fruta madura pode-se preparar sucos, sorvete, doces e geleias mas, seu melhor uso é “in natura”, fresca.
    O óleo essencial do araçá é extraído de suas folhas.

    sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

    Plantio de batata doce no carrinho de mão!

    Recolhi um carrinho de mão, que haviam jogado fora na praça e resolvi plantar batata doce. Vamos ver a colheita.




    10 Maneiras de se Cultivar Batata-Doce em Casa

    • atualizado: 
    cultivar batata doce em casa
    Batata-doce é um tubérculo da espécie Ipomea batatas, planta originária das regiões quentes da América Latina. Também é conhecida no Brasil por nomes como batata-da-terra, batata-da-ilha, jatica e jetica (em tupi) e, em países de língua castelhana pode ser chamada de camote ou camohtli (México), batata (no Caribe), papa dulce, patata dulce, ou até boniato (América Central).
    Há tantas formas de se cultivar batata-doce, ou batatas, em geral, que sempre poderemos ter uma planta dessas em algum canto da nossa casa.
    A batata-doce dá uma rama bonita, vistosa, com flores suaves em azul, que tem um bom uso paisagístico em janelas de cozinha, você sabia?
    folhagem flor batata doce
    Folhagem e flor da batata-doce - Fonte foto: staticflickr.com
    Mas, é na terra que ela vai dar o seu melhor, e produzir batata-doce para dar e vender. Só que, para ficar gostosa, a batata-doce precisa ser “curada” - processo que aumenta os açúcares, sabor e aroma, desse tubérculo bom de assar, cozer e comer.
    batata doce germinada
    Batata-doce germinada e brotando - cultivo em água para folhagem decorativa - Fonte foto: ltmcdn.com
    Abaixo te mostro 10 maneiras fáceis de você cultivar batata-doce e qualquer outro tipo de batata ou tubérculo. As fotos mostram o cultivo de batata-inglesa que é a mais comum pelo mundo afora mas, a técnica é a mesma para a batata-doce.
    Lá no final do artigo dou algumas dicas específicas para a batata-doce, Ipomea batatas, Convolvulaceae, que é planta de família bem diferente daquela da batata-inglesa (Solanaceae).

    1. Batata-doce em sacola

    batata doce sacola
    fonte foto: thompson-morgan.com
    Em uma sacola de material forte - algodão, lona ou sintético - mas que permita a respiração da terra, cheia de boa terra orgânica (não é preciso ter muito adubo pois este não favorece o crescimento dos tubérculos e sim o das folhas). Coloque na sacola 2, 3 batatas-doces germinadas. Cubra-lhes as raízes (os brotos podem ficar ao léu) e regue conforme seu regime de ventos secos. Dentro de pouco tempo você terá uma boa sacola de batata-doce para curar e comer.

    2. Em saco de aniagem

    Saco de aniagem é aquele feito de juta ou fibra plástica, que embala terra, farinha e outros. Se você tiver um saco desses, cheio de terra boa e solta, coloque dentro algumas batatas-doces brotadas. Mantenha úmido sem encharcar e, no tempo certo, colha uma boa produção. Basta que o saco fique em algum canto quente de sua varanda ou jardim.
    Aqui um vídeo demonstrativo para plantar batata-doce em um saco de ráfia:

    3. Em vaso na varanda

    em vaso na varanda
    Fonte foto: pinimg.com
    Aqui um vídeo demonstrativo sobre como plantar batata-doce em vasos:

    4. Em um balde ou bidão

    bidão batata doce1
    O único cuidado, neste caso, é vc fazer furos nas laterais do baldão para que não se acumule água que mofe os tubérculos. Batatas-doces dão bem em locais secos desde que você cuide de que não lhes falte a umidade necessária mas, essas plantas não gostam de encharcamento que apodrece seus tubérculos. Usar balde plástico ou bidão é uma boa alternativa se a sua região é mais seca ou mais fria pois, a terra ficará mais quentinha dentro do baldão.

    5. No jardim

    jardim batata doce
    Você poderá plantar batata-doce em fileiras, no jardim, ou como bordadura (as folhagens e flores são bonitas e atraem polinizadores). Deixe um espaço de 40 cm entre cada planta para que seu crescimento não seja prejudicado e a produção seja boa. Mantenha o solo suave, com boa porcentagem de areia misturada à terra orgânica.
    Evite usar qualquer tipo de adubo durante o crescimento das plantas caso sua intenção seja ter tubérculos para comer pois, a batata-doce, na oferta de adubação, privilegia o crescimento da massa verde e perde em peso nos tubérculos.

    6. Batata-doce na palhada

    batata doce palha
    fonte foto: harvesttotable.com
    Palhada é como chamamos a uma camada de palha (ou folhas secas, folhagem picotada, mulch, cobertura morta) que se usa na agroecologia como método de manutenção da estrutura do solo e processos bioquímicos naturais. A sugestão é cobrir o solo com um estrato de 3 ou 4 centímetros de palha. O método é bom também para combater o besouro-da-batata (Leptinotarsa decemlineata).

    7. Torre de batatas

    torre de batatas
    fonte foto: eugeolearning.org
    A torre de batata é um bom método para se cultivar tubérculos quando você precisa diferenciar o solo da área de cultivo daquele que tem no jardim. Você precisará de uma caixa alta, de madeira, que conterá a terra escolhida e preparada. Tanto quanto mais alta a sua caixa, maior superfície de cultivo de batatas você terá.
    As ramas crescerão pelos espaços das tábuas, os tubérculos crescerão no interior da terra. Quando as batatas estiverem prontas para colher, despeje todo o conteúdo em um saco grande e retire as batatas maduras. Essa terra que sobra deverá ser adubada, repousada, e usada para cultivos diversos. É importante não repetir o cultivo para não privilegiar os bichinhos que atacam as plantas semelhantes.
    Assista aqui alguns tutoriais em vídeo que mostram a técnica da torre de cultivo. Esta técnica é bem vinda para todo tipo de batata, doce ou não, gengibre, cúrcuma, amendoim e outros diversos.

    8. Cilindro de batatas

    cilindro de batatas
    Para fazer uma torre você poderá usar um cilindro em material sintético - tela plástica - ou metalizado. Esta forma é bastante eficiente em regiões de umidade elevada pois permite que a terra se mantenha arejada e fresca. Você deverá completar a quantidade de terra conforme as batatas vão crescendo no seu interior.

    9. Canteiro elevado

    cantiere elevado
    Este é outro método muito popular para o cultivo de tubérculos. Faça um canteiro elevado, com tábuas ou outros materiais adequados para conter o peso do solo. Enterre os tubérculos a 3 cm de profundidade e cerca de 12 cm de distância um do outro. Durante o crescimento das mudas, vá acrescentando mais solo de cobertura até que o seu canteiro esteja completo. As colheitas serão abundantes e os tubérculos mais saudáveis.

    10. TomTato - tomateiro e batateira

    tomtato
    fonte foto: independent.co.uk
    TomTato é uma solução técnica para quem quer produzir tomates e batatas em uma única planta. Na verdade você terá um híbrido resultado do enxerto de uma muda de tomate em uma batata comum, como mostra o vídeo:
    Não posso assegurar que também resulte com a batata-doce mas, é bem provável que sim.
    Segundo os criadores do Tom Tato, os tomates que resultam desta técnica de cultivo são muito mais doces que os outros e as batatas, brancas e fartas.
    Informações técnicas específicas sobre o cultivo da batata-doce

    Época de plantio

    No Brasil o plantio da batata-doce depende das condições locais de temperatura, regime de chuvas, quantidade de luz ao dia e, dos cultivares que você escolha - alguns são mais precoces, mais vigorosos. Na verdade nosso país pode ter batata-doce produzindo durante o ano todo desde que se cuide de não faltar água nem luz, sol e calor também são importantes, e água em excesso é prejudicial. Mas, como estamos falando de batata-doce cultivada em casa você não terá dificuldade em controlar essas condições básicas.

    Terra boa para batata-doce

    O tipo de solo não tem problema desde que seja leve, com boa estrutura que favoreça a oxigenação e penetração das raízes sem impedir o crescimento dos tubérculos. Cuide da adubação da terra e local escolhido uns 5 meses antes de plantar. Pode ser preciso acrescentar calcário (prefira o calcário dolomítico que suprirá tanto as deficiências em cálcio quanto as em magnésio) para manter o pH entre 5,6 e 6,5.

    Batata-doce também se planta em rama

    Se você preferir reproduzir sua batata-doce pelo plantio de ramas, estacas, escolha as que tenham a grossura de um dedo médio, com gemas de brotação saudáveis. As ramas para cultivo devem ser colhidas maduras, deixadas secar na sombra até murcharem (1 a 2 dias), cortadas em pedaços de 40 cm e plantadas na horizontal, a 15 cm de profundidade. Este método é muito usado no cultivo extenso de batata-doce mas, também é adequado para jardins maiores.


    FONTE: https://www.greenme.com.br/como-plantar/5510-10-maneiras-cultivar-batata-doce