Mostrando postagens com marcador #horta. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador #horta. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 17 de março de 2017

Rio Rural adapta produção de hortaliças ao solo arenoso de São João da Barra

Pesquisa e tecnologias sustentáveis favorecem diversificação de culturas.

 
Uma unidade de pesquisa participativa do programa Rio Rural, da secretaria estadual de Agricultura, na localidade de Mato Escuro, em São João da Barra, no Noroeste do estado, está mostrando aos agricultores da região que, com o auxílio de tecnologias de produção sustentáveis, é possível plantar hortaliças em solo arenoso. Executada e coordenada pela Empresa de Pesquisa Agropecuária do Estado do Rio de Janeiro (Pesagro-Rio), a unidade implantada nas terras do agricultor familiar Elias Pereira de Almeida está produzindo entre 1.200 e 1.300 pés de alface por semana.

 O município litorâneo é tradicional na produção de maxixe e quiabo, culturas mais resistentes ao calor. O sucesso da lavoura, de acordo com o técnico responsável pelo trabalho, engenheiro agrônomo José Márcio Ferreira, é resultado da adoção do cultivo protegido, em estufa, e fertilização do solo com materiais orgânicos como o lodo de usina de cana-de-açúcar, esterco de curral e humus de minhoca. "Com o cultivo protegido, em pequenas áreas, é possível "construir" o solo mais favorável e produzir durante todo o ano, explicou. A modelo de adaptação da agricultura do Oriente Médio também foi citado como exemplo pelo técnico." "Não é preciso ir a Israel aprender a produzir na areia. Guardadas as proporções, com tecnologia é possível fazer muito por aqui. Além do cultivo protegido, temos um sistema integrado com o kit galinha, que consome as sobras da horta e produz humus de minhoca usado como adubo, afirmou ele.
 
 O uso de insumos químicos é cada vez menor na pesquisa, cuja meta é o cultivo agroecológico. Na última quinta-feira, um dia de campo demonstrou aos agricultores vizinhos técnicas utilizadas na propriedade, como a produção de mudas, através da semeadura com equipamentos, utilizando a quantidade certa de sementes e facilitando o plantio nos canteiros. A unidade de pesquisa é uma parceria entre o Governo do Estado e a LLX, empresa do grupo EBX que está construindo o Complexo Portuário do Açu, no mesmo município. 

 As pesquisas participativas do Rio Rural tem como meta testar tecnologias e formas de produção que sejam sustentáveis social, ambiental e economicamente, ajudando a valorizar a atividade agrícola e oferecer maior qualidade de vida no campo. 

fotos: Flavia Pizelli

segunda-feira, 13 de março de 2017

Couve é aliada da dieta e ajuda a prevenir o câncer


Verdura tem boas quantidades de ferro, cálcio, fibras, entre outros nutrientes

ARTIGO DE ESPECIALISTA ATUALIZADO EM 09/08/2016
foto especialista
Dr. Durval Ribas 
NUTROLOGIA - CRM 40093/SP
ESPECIALISTA MINHA VIDA
Couve é o nome popular de uma das verduras mais utilizadas na culinária brasileira e que pode ser encontrada em outras variedades também, sendo a couve-manteiga a mais comum delas. Além de fornecer nutrientes necessários ao nosso organismo, a planta participa diretamente de ações antioxidantes, antiliberação de radicais livres e de antienvelhecimento celular, benefícios que fazem dela um dos melhores alimentos a serem consumidos.
PUBLICIDADE
O grupo das crucíferas, no qual a couve faz parte, contém pigmentos antioxidantes que previnem doenças crônico-degenerativas, incluindo o câncer, visto que essas substâncias induzem enzimas que favorecem ações anticarcinogenesis.
A couve é uma boa fonte de minerais como ferro, que ajuda a prevenir a anemia, fósforo, importante para os músculos e ossos, cobre, que ajuda na absorção de ferro, manganês e selênio, necessário para a tireoide e também um poderoso antioxidante.
O alimento também conta com os minerais potássio, um dos responsáveis pela manutenção do equilíbrio hidroeletrolítico, contração muscular, funcionamento cardíaco e participa da transmissão dos impulsos nervosos, e zinco, importante tanto para a síntese de células imunológicas como em sua ação de defesa contra vírus, bactérias e fungos.
Esta verdura ainda fornece porções consideráveis de cálcio, que ajuda a fortalecer os ossos e dentes, e magnésio, importante para a constituição e bom funcionamento dos neurotransmissores. Apesar da presença desses minerais, a couve não é tão biodisponível quanto o do leite, pois, geralmente, nos produtos de origem animal a biodisponibilidade de alguns nutrientes é maior.
NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)
A verdura é rica em fibras, que aumentam a sensação de saciedade, melhoram o trânsito intestinal e evitam picos de glicose, prevenindo assim o diabetes e glicosinolatos, fotoquímicos naturais que têm ação desintoxicante.
A vitamina A também está presente na couve. Este nutriente é essencial para a visão e para manter a integridade e função das células da pele e das mucosas, contribui para o crescimento, evita infecções e tem ação antioxidante.
Por ser pobre em calorias, ela é muito utilizada em dietas para redução de peso e tem recomendação diária de 100g, quantidade que possui apenas 25 calorias, e pode ser consumida crua ou cozida sem alterar seu valor nutricional.
A couve pode ser adicionada em sucos. Assim, é possível ingerir as outras vitaminas das frutas e combinar as fibras com líquidos, o que irá melhorar a ação do nutriente. Os chamados sucos verdes normalmente contém couve, uma fruta e pode ter grãos funcionais e líquidos como água, água de coco ou chás.

segunda-feira, 6 de março de 2017

APRENDA EM 04 PASSOS A PODAR SEU PÉ DE UVA E TER BELOS CACHOS


A VIDEIRA

O pé de uva é chamado de videira, parreira ou vinha. No Brasil, são várias as espécies cultivadas que podem ser consumidas in natura (consumo natural das bagas) ou na confecção de vinhos secos e suaves. Para o consumo natural, a uva mais cultivada é a espécie Vitis labrusca, seu nome popular é Niagara rosada e Niagara branca. A Niagara Rosada é aquela uva comercializada, normalmente, na beira de estrada. Outras uvas cultivadas em casa são a Bordô, a Concord e a Itália.

Benefícios do consumo da uva

As uvas possuem diversas propriedades benéficas à saúde. Elas protegem o sistema circulatório e o coração; têm propriedades antioxidantes, o que significa que impedem a ação de radicais livres no organismo; apresentam características antiinflamatórias; inibem a aglomeração das plaquetas sangüíneas, reduzindo os riscos de ocorrência de infartos e derrames; além de impedir alguns processos desencadeadores do câncer. A fruta ainda é boa fonte de vitamina C e complexo B, rica em minerais como magnésio, enxofre, ferro, cálcio e fósforo, indispensáveis a uma boa saúde.
beneficios uva
Fonte da Foto: gardener.blogg.se

Efeito ornamental da videira

Muito valorizadas por seus frutos que há milênios oferecem alimento e vinho ao homem, as videiras também podem ter uso ornamental e serem bem aproveitadas em jardins domésticos. Ao serem mantidas sobre caramanchões ou pergolados, essas trepadeiras podem adicionar altura em projetos de paisagismo e ainda prover sombra no verão. Além disso, dependendo da espécie escolhida e das condições de plantio, as parreiras de uvas podem gerar deliciosos frutos. Se o objetivo é somente produzir sombra, o melhor são as plantas que comercialmente são utilizadas como porta enxertos. Entre as variedades indicadas para regiões tropicais estão a IAC 572 Jales, a IAC 313 Tropical e a IAC 766 Campinas. Para regiões mais frias, as variedades mais apropriadas são a Paulsen 1103, a SO4, Solferino e a Kober 5BB.
uva ornamental
Fonte da foto: zielonyfront.pl

Condução da videira

Por ser trepadeira, a cultura precisa de suporte para a sustentação dos ramos. A latada ou pérgola é formada por malhas suspensas a cerca de dois metros do chão. As plantas são, assim, conduzidas na horizontal, o que permite um melhor desenvolvimento foliar, maior formação de sombras e alta produção de frutos.
uva pergola
Fonte da foto: florafind.mainegardens.org

Poda de produção da videira

A poda é uma técnica usada para estimular a planta a produzir novas brotações a partir de gemas dormentes. A videira inicia sua produção após 3 anos de plantio. Nestes primeiros 3 anos ela desenvolve raízes para absorção de nutrientes e ramos vegetativos que irão sustentar os cachos produzidos. Após 3 anos de cultivo ela têm condições nutricionais para iniciar a sua produção, produzindo poucos cachos. Com o passar dos anos, essa produção aumenta até estabilizar na fase adulta da planta. Porém, se, após o início da produção não for feita a poda, a planta tende a produzir cada vez menos cachos. Isso ocorre pelo fato da planta produzir cachos apenas em ramos novos.
produção uva
Fonte da foto: sagebud.com

Passo 01 - Desenvolvimento da videira

Para a videira produzir cachos é importante que seja feita uma boa adubação nutricional. Para o plantio da muda da videira deve-se fazer a cova 3 vezes maior o torrão da muda, encher a cova com um condicionador de solo "Classe A" misturado a 300 gramas do NPK formulação 04-14-08, plantar a muda sem desfazer o torrão, apertar em volta para que ela fique fixa e molhar em seguida. Após o plantio, deve-se iniciar a adubação foliar utilizando um fertilizante para o enraizamento e intercalar com uma formulação para o crescimento, ou seja, aplica-se, com um pulverizador nas folhas da videira, 1 vez por semana a formulação de enraizamento e na semana seguinte a formulação de crescimento. Este tratamento visa acelerar o crescimento da videira. Durante a época das chuvas, deve-se aplicar ao redor do pé da videira cerca de 100 gramas do NPK formulação 20-05-20 para o crescimento e desenvolvimento da planta. Após essa aplicação de NPK, a adubação foliar pode ser resumida apenas ao fertilizante de crescimento aplicado 1 vez a cada 15 dias.
plantio uva
Fonte da Foto: www.alltomtradgard.se

Passo 02 - Poda de produção

Após 3 anos de crescimento a videira está apta à produção. A poda deve ser feita no período de dormência da planta, final do inverno ou início da primavera. Para identificação desse período, a videira deverá estar quase sem folhas. Deve-se contar 12 gemas a partir do enxerto e podar em forma de bisel com uma tesoura de poda afiada e esterilizada em fogo brando. No corte você deve polvilhar canela em pó (a mesma utilizada no arroz doce) para a cicatrização e impedimento da entrada de pragas e doenças. Plantas mais velhas e já estruturadas no pergolado seguem o mesmo princípio. A contagem das gemas deve ser feita sob o pergolado, para não desestruturar a planta durante o desenvolvimento dos ramos de produção.
poda pergola
Fonte da foto: davethegardenguy.typepad.com

Passo 03 - Poda de manutenção e limpeza

É importante podar os ramos que crescem no porta enxerto, das raízes e na base o solo. Estes ramos "roubam" a energia que o ramo principal utilizaria para o seu crescimento e a produção dos cachos. Deve-se deixar apenas o caule principal. Deve-se podar também galhos secos e aqueles que crescem fora da estrutura principal do pergolado. É importante manter a linha de crescimento e estruturação do pergolado.
poda uva
Fonte da foto: napaprivatetours.com

Passo 04 - Adubação de produção

Todo ano, após a poda produção, deve ser feito uma adubação de produção, ou seja, é preciso dar nutrientes para que a videira produza mais cachos. Essa adubação deve ser feita utilizando-se o NPK granulado formulação 20-05-20 no pé da planta. Deve-se espalhar 300 gramas no pé da planta no 1º ano de produção ou 3º ano de vida; 400 gramas no 2º ano de produção; 500 gramas no 3º ano e assim, suscesssivamente, até estabilizar no 10º ano com 1 Kg do NPK. É importante que o produto seja muito bem espalhado sobre o solo para que no momento da sua diluição em água, uma maior gama de raízes absorva os nutrientes.
adubação uva
Fonte da foto: www.appeltern.nl

quinta-feira, 2 de março de 2017

Cinco mandamentos para salvar sua horta no verão





O excesso de sol, a seca e as chuvas fortes no verão podem colocar sua horta em risco. 

A drenagem, o uso do sombrite e o horário das regas são alguns dos cuidados 

que ajudarão no cultivo das suas hortaliças na estação mais quente do ano.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

APROVEITE O FERIADO E FAÇA UMA #HORTA DENTRO DE CASA





Com diferentes tipos e tamanhos, as hortas orgânicas trazem benefícios para a família

Quem não curte a folia do Carnaval e quer preencher o feriado com algo diferente  que tal tirar proveito do contato com a natureza? Essa pode ser uma boa opção para relaxar! Mas não é preciso ir longe, nem fazer viagens ou ter gastos, basta um pouco de criatividade e dedicação e você poderá desfrutar deste contato. Sabe como? Montando uma horta orgânica dentro de sua própria casa.
esterco é um ótimo adubo!
Com diferentes tipos e tamanhos, as hortas orgânicas trazem benefícios não só para a saúde da família, que poderá ingerir alimentos mais saudáveis e livres de agrotóxicos, mas também ajuda a economizar nas compras em supermercados e feiras.
Para dar início à sua horta você pode começar utilizando embalagens de ovos para plantar as primeiras mudas. Basta preencher cada espaço da bandeja com terra e plantar as sementes. Assim que as plantas atingirem o tamanho ideal, é só cortar e colocar diretamente na terra. Por serem biodegradáveis, essas embalagens irão se decompor sem deixar nenhum resíduo para trás.
Na hora de escolher quais espécies cultivar é importante planejar o desenvolvimento da horta de acordo com o espaço disponível. As opções mais comuns são as que ocupam pouco espaço e são resistentes, como salsinha, cebolinha, manjericão, pimentas, oréganos, hortelã, camomila, alecrim, manjericão roxo e outros temperos variados.


Segundo o consultor paisagístico, Paulo Sergio da Silva, é preciso estar atento principalmente à iluminação, já que as plantas não podem ficar expostas diretamente ao sol. “É indicado montar a horta em um espaço que tenha bastante claridade, mas que a luz penetre de forma indireta, como em janelas ou varandas”, explica.
Outra dica é regar as plantinhas sempre na quantidade certa. “É preciso manter a planta úmida, mas sem desperdiçar água, pois quando a água vaza para fora do vaso leva embora muitos nutrientes, empobrecendo a terra”, revela Paulo.
A ideia pode ficar ainda mais sustentável se você seguir a dica de reaproveitar garrafas pets para construir sua horta. Fazendo uma abertura na lateral e pendurando-a em uma parede ou suporte de madeira, a garrafa pode servir como vaso para cultivar pequenos vegetais, temperos e ervas medicinais. Mas lembre-se cuide bem da sua horta e vigie os recipientes para não atrair o Aedes aegyoti, mosquito que transmite a dengue, a febre zika e chicungunha.

mudas de ora-pro-nobis

domingo, 19 de fevereiro de 2017

12 plantas que ajudam a controlar as pragas em uma horta orgânica


 


Quem produz hortaliças em casa sabe que um dos maiores problemas é o ataque de insetos e outras praguinhas capazes de prejudicar no cultivo das hortaliças. Mas como evitar o surgimento destes pequenos seres que prejudicam a horta?
Uma boa forma para equilibrar o micro ambiente da sua horta é fugir ao máximo do princípio da monocultura e plantar espécies diversificadas. Em uma floresta por exemplo, existe um ambiente controlado pela diversificação de espécies, sejam elas plantas, fungos, animais, insetos ou bactérias.
Neste caso é apenas uma horta, então uma forma natural e eficiente é a utilização de algumas plantas que possuem efeito de armadilha ou simplesmente repelem as pragas que prejudicam a plantação. Por isso fizemos uma listinha de plantas que auxiliam no controle das pragas mais comuns em hortas orgânicas.
01- Alecrim (Rosmarinus officinalis): Afasta borboleta-da-couve e a mosca-da-cenoura.
alecrim-001
02- Anis ou erva-doce (Pimpinella anisum): Repele as traças.
03- Arruda (Ruta graveolens):  Repele formigas e ratos, assim como o Poejo.
arruda-001
04- Capuchinha (Tropaeolum majus): planta-isca para afídeos (piolhos) e repele nematoides.
capuchinha-001
05- Citronela (Cymbopogon): É eficaz contra moscas, mosquitos e formigas. Repele também o Aedes aegypti.
citronela-001
06- Coentro (Coriandrum sativum):  Repelente natural de pulgões e ácaros.
coentro-001
07- Hortelã (Mentha sp): Repelente natural de lepidópteros, como a borboleta-da-couve, formigas e ratos.
hortela-001
08- Losna (Artemisia absinthium): Repelente de insetos, e afasta animais da horta.
losna-001Imagem via wikipedia
09- Manjericão (Ocimum basilicum): Repelente de moscas e mosquitos.
manjericao-001
10- Sálvia (Salvia officinalis):  Repele a mariposa do repolho.
salvia-001
11- Tagete ou cravo-de-defunto (Tagetes erecta): Funciona como repelente natural para muito insetos em especial para mosca-branca e ainda protege contra os nematoides.
tagete-001
12- Tomilho (Thymus vulgaris): Afasta a borboleta-da-couve, couve-flor e brócolis, evitando que a lagarta devore-as.
tomilho-001
Bonus:
Cosmos (Cosmos bipinnatus): Tenho visto o pessoal utilizar muito esta espécie que atrai polinizadores, repele nematoides e afasta lagartas que atacam a couve, rúcula e brócolis. Além de produzirem belas flores, é claro.
cosmos-fernand-pereira-somos-verdes-001Imagem de somosverdes – Fernando Pereira

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

EPAMIG estimula hortas em pequenos espaços

Extraído do blog da EPAMIG 

????????????????????????????????????
Horta agroecológica implantada na EPAMIG Sudeste em Viçosa. Foto: Fernanda Fabrino
(Viçosa, 07.02.2017) – Um cantinho esquecido em uma casa e até uma varanda de apartamento pode ganhar um destino saudável e sustentável. A implantação de hortas agroecológicas em pequenos espaços vem sendo estimulada pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) e já chegou a instituições de ensino como alternativa de produção de alimentos em pequena escala.
Pesquisadores da Unidade Regional de Viçosa (MG) – EPAMIG Sudeste – instalaram uma unidade demonstrativa de cultivo de hortaliças construída sob uma área cimentada, com 30 metros quadrados, utilizando diferentes recipientes para mostrar a possibilidade do plantio em vasos e em embalagens recicladas, como garrafas PET. Segundo a pesquisadora Wânia dos Santos Neves, que coordena a atividade, o objetivo é mostrar que é possível cultivar em pequenos espaços.
“Com o crescimento da população na zona urbana, as residências estão cada vez menores e com espaço muito reduzido de áreas externas. Isso faz com que as pessoas percam o interesse ou se achem impossibilitadas de cultivar qualquer tipo de planta. Por isso é necessário que as pessoas tomem conhecimento que mesmo em pequenos espaços é possível o cultivo de hortaliças e plantas ornamentais com a construção de hortas de várias formas e tamanhos e em diferentes espaços”, explica.
Modelo para escolas e instituições
Na horta agroecológica implantada na EPAMIG, em Viçosa, foram cultivadas hortaliças, como pimentas malagueta, dedo de moça e biquinho, berinjela, jiló, espinafre, alface, agrião, couve, cenoura; ervas medicinais e aromáticas, como cebolinha, salsinha, orégano, camomila, hortelã, arruda, boldo, melissa; além de hortaliças não convencionais: taioba, capuchinha, jequeri e ora-pro-nobis. A pesquisadora Cleide Maria Ferreira teve a ideia de utilizar a área na EPAMIG e forneceu o apoio financeiro para reparos na estrutura física.
Durante todo o ano serão programadas visitas de escolas do ensino fundamental e médio do município para apresentar o modelo e incentivar o cultivo, ressalta Wânia. A ideia já ganhou adeptos. Em parceria com uma equipe de alunos do curso de Licenciatura em Educação do Campo da Universidade Federal de Viçosa (UFV) a EPAMIG implantou uma horta em um centro de recreação e educação de crianças no bairro Santa Clara, em Viçosa. As próprias crianças cuidam das plantas e acompanham o crescimento da horta, estimulando o consumo de alimentos saudáveis desde a infância.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Aprenda como plantar e cuidar de uma horta de temperos no jardim, em apartamento ou na casa de praia







Ter temperos fresquinhos sempre à mão faz toda a diferença na hora de cozinhar. Para isso, nada melhor do que ter uma horta em casa. Mesmo quem mora em apartamento pode aproveitar esta facilidade. Também vale construir uma horta no jardim da casa da praia. Os temperos mais comuns para serem plantados são alecrim, manjerona, manjericão, salsinha, cebolinha e sálvia.

Como plantar e regarAs mudas podem ser plantadas em qualquer época do ano, enquanto as sementes têm um período mais propício de vingarem, conforme cada espécie. O ideal é não fazer nenhum tipo de plantio ou rega no horário de sol muito forte, perto do meio-dia. A água fria em contato com a terra aquecida por causa do calor provoca uma diferença de temperatura que não é saudável. Já no inverno, durante dias frios e nublados é possível aguar as plantas no horário de almoço.
Para plantar, o melhor período do dia durante o verão é no final da tarde, quando os raios solares não estão tão fortes. "Nos primeiros dias a muda necessita de mais água", lembra Mônica Meyer, proprietária da Garten Meyer. Para saber a quantidade certa de água que a planta precisa é necessário tocar na terra. Com o dedo indicador mesmo, no melhor estilo "fura-bolo", porém com sutileza.  Em geral, um copo d´água é o suficiente. Se a terra estiver seca, é sinal de que é necessário colocar mais água. Se ainda estiver úmida pode esperar mais algumas horas. Mesmo em vasos, o ideal é que a planta seja regada direto na terra, como ensinam a paisagista Alessandra Bottari da Nacional Jardinagem e a proprietária da Garten Meyer. 
É importante também observar a qualidade da terra. Alessandra recomenda fazer a adubação duas vezes ao ano. Há produtos químicos (NTKS) e adubos orgânicos (húmus de minhoca, esterco de galinha). A paisagista indica a segunda opção. Mônica concorda em não usar os químicos,"porque o tempero será usado na alimentação". Ela destaca ainda outra forma bastante segura de ter uma terra de qualidade para o plantio: providenciar pacotes de terra pronta para uso.
Ao escolher o espaço que será destinado a mini-horta deve ser observada a incidência do sol. Plantas não sobrevivem sem os raios solares, porém se forem muito fortes ou por muito tempo elas podem ser queimadas. Segundo Mônica, o ideal é que sejam até quatro horas diárias de exposição ao sol. "Qualquer tipo de planta, inclusive hortaliças e temperos sempre precisam  ter exposição ao sol, principalmente o sol da manhã que é o ideal", explica a Alessandra. A paisagista afirma que até meio-dia ou uma da tarde ainda é válido. Se for impossível garantir as horas matinais, o sol de final de tarde pode ser uma alternativa.
Horta na casa de praiaA principal diferença de preparar uma horta na praia, além de garantir o sol pelo tempo adequado, é verificar as correntes de vento. "Vento demais prejudica, ele resseca a planta e queima as folhas", salienta a paisagista. Ela explica que se o solo for rico em nutrientes e adequado para o plantio, a areia que vem mesmo com o vento fraco não vai atrapalhar. Mas se houver muita areia junto da terra a muda será prejudicada: "Daí a planta não dura, tem que ser um lugar mais protegido, atrás de um muro por exemplo", indica Mônica. A profissional também sugere fazer a rega duas vezes ao dia se o local recebe muito vento.
Horta em apartamentoQuem deseja ter uma mini-horta em um apartamento vai precisar de vasos e floreiras. É preciso definir um local que pegue sol para acomodá-los. "Qualquer tipo de planta, inclusive hortaliças e temperos precisam ter exposição ao sol, principalmente o sol da manhã que é o ideal", explica a paisagista Alessandra Bottari, da Nacional Jardinagem. Portanto, o local escolhido deve ter ao menos quatro horas de exposição solar, preferencialmente durante a manhã.

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Kiwi e Batata doce - Saiba as vantagens de inclui-los na sua dieta alimentar



Nos últimos tempos, a preocupação com uma alimentação saudável aumentou acentuadamente. A procura por alimentos que melhorem a qualidade de vida é enorme, mas muitas pessoas sentem dificuldade em comprar muitos deles. Dois dos factores mais relevantes são os preços e a escassez no mercado de muitos dos alimentos. Por isso a REVIVER, decidiu apresentar duas óptimas opções para acrescentar ao seu plano alimentar, que para além de baratas podem ser compradas facilmente. 

8 Benefícios que o kiwi traz à sua saúde quando inserido na dieta alimentar
Claramente o kiwi é um fruto bem conhecido pelos portugueses. E sempre ouvimos falar dos seus benefícios para a saúde devido às suas ricas propriedades, como é o caso da Vitamina C, Vitamina A e Vitamina E mas também pela excelente fonte de potássio, cálcio, ferro, magnésio e fósforo. No entanto será que conhecemos todos os benefícios que este fruto pode trazer à nossa saúde? A REVIVER apresenta-lhe 8 vantagens em incluí-lo na sua dieta alimentar.

1º - Facilita a digestão e melhora as funções do sistema intestinal. Ao comermos kiwi estamos a ingerir uma enzima, a actinidia, que ajuda a digerir as proteínas e facilita a digestão das refeições. Para além de ajudar na digestão, este fruto é muito rico em fibras solúveis que melhoram o funcionamento do trânsito intestinal, evitando a obstipação e eliminam algumas toxinas evitando problemas intestinais. 

2º - Melhora e regula a pressão arterial. O kiwi como referido anteriormente é um fruto bastante rico em potássio. Ao ingerir boas quantidades de potássio obtém-se um efeito positivo no tónus vascular, contribuindo para a redução da pressão arterial, que aumenta quando existe um excesso de ingestão de sódio. Desta forma ao aumentar a ingestão de potássio está a criar um equilíbrio entre estes dois elementos, resultando numa pressão arterial regulada.  

3º - Reforça a imunidade, diminuindo gripes e constipações. Quando a maioria das pessoas para prevenir gripes e constipações opta por comer laranjas em busca da Vitamina C, deveria escolher o Kiwi. Pois 1 kiwi equivale a comer 3 laranjas quando falamos de Vitamina C. Para além da prevenção de gripes e constipações, os antioxidantes compostos no kiwi ajudam a fortalecer o sistema imunológico.

4º - Ajuda a prevenir e a combater doenças cardíacas. Ao ingerirmos 3 kiwis por dia, reduzimos o potencial de coagulação até 18% e os triglicéridos em 15%. Estes resultados são muito significativos tanto na prevenção de doenças cardíacas como na ajuda do tratamento das mesmas, visto alguns dos medicamentos neste tratamento ser para diminuir a coagulação do sangue. 

5º - Retarda o envelhecimento da pele. Sendo o kiwi rico em Vitamina E, este fruto é um excelente aliado para ter uma pele mais bonita e cuidada. Desta forma, os antioxidantes deste fruto conseguem ajudar a retardar o envelhecimento precoce da pele ou a progressão do mesmo. 

6º - Auxilia na prevenção da degeneração macular. A degeneração macular é uma das principais causas de perda de visão nos seniores. Um estudo efectuado revelou que comer 4 peças de fruta por dia, de preferência incluindo kiwis nesta escolha de fruta, diminui em 36% a degeneração macular numa amostra de 110 mil pessoas. Por isso, ao incluir o kiwi na sua dieta alimentar está a diminuir a hipótese de sofrer de degeneração macular mais tarde, como também poderá estar a combate-la. 

7º - Pode ser adicionado à dieta alimentar de diabéticos. O kiwi não aumenta significativamente o açúcar no sangue como muitos frutos. Este tem um índice glicémico bastante baixo, sendo seguro ser ingerido por pessoas que sofrem de diabetes. 

8º - Ajuda quem está a tentar diminuir o seu peso. O kiwi para além de ter um índice glicémico baixo e um alto teor de fibra, a sua composição é cerca de 95% de água. O que promove a saciedade, reduzindo a vontade de estar constantemente a petiscar. 


8 Benefícios que a Batata doce traz à sua saúde quando inserido na dieta alimentar
A Batata doce tem sido apontada como um excelente acompanhamento para quem faz exercício físico mas também para aqueles que querem perder algum peso. É um dos alimentos mais nutritivos, pois é um carboidrato complexo de baixo índice glicémico, rico em fibras, uma excelente fonte de ferro, vitamina C, potássio, e ainda um alto teor de vitamina E e A. Para aqueles que não praticam exercício físico de forma regular, deve ser inserida na dieta alimentar em menor escala. Para obter os melhor benefícios deste alimento, a batata doce deve ser cozida com casca. A REVIVER apresenta-lhe as vantagens para a sua saúde em adicioná-la à sua dieta alimentar. 

1º - Reduz o risco de inflamações: A Batata doce tem propriedades anti-inflamatórias devido à forte presença de Vitamina C, mas também Vitamina B6 e manganês. Estas propriedades são muito eficazes na cura de inflamações internas e externas. Estudos realizados apresentam óptimos resultados após o seu consumo regular, reduzindo inflamações em tecidos cerebrais e nervosos. 

2º - Diminui e previne o aparecimento da Artrite reumatoide: A Batata doce é rica em beta-criptoxantina, que ajuda na prevenção de doenças inflamatórias cronicas, como é o caso da artrite reumatoide. Segundo alguns estudos, os alimentos ricos em beta-criptoxantina reduzem em 50% a hipótese de desenvolver esta inflamação cronica. E não é preciso consumir em acesso esta batata de sabor doce, basta apenas uma porção por dia para obter estes benefícios. 

3º - Estabiliza os níveis de açúcar no sangue: Os carotenoides presentes na Batata doce podem ajudar a estabilizar os níveis de açúcar no sangue. Para além disso, a presença de Vitamina B6 neste alimento ajuda a combater os problemas de coração nas pessoas que sofrem de diabetes. Outra das vantagens da batata doce é o seu alto teor de fibra solúvel, que diminui não só o açúcar no sangue como também os níveis de colesterol. 

4º Ajuda a prevenir úlceras no estômago: Para muitos a batata doce é um forte calmante para o estômago, isto devido as Vitaminas do complexo B, Vitamina C, potássio, cálcio e os seus carotenoides. Todas estas propriedades auxiliam no combate das úlceras no estômago. Quanto à sua riqueza de fibras ajuda na prevenção da prisão de ventre e acidez no estômago, prevenindo o aparecimento a longo prazo de úlceras.  

5º Auxilia na prevenção de problemas pulmonares: Segundo alguns dados recentes, a batata doce fornece mais de 90% das necessidades de Vitamina A no nosso organismo. Para os fumadores, é muito importante ingerirem alimentos ricos em vitamina A, podendo assim evitarem enfisemas e tantas outras doenças pulmonares associadas ao tabagismo. 

6º - Ajuda a combater os radicais livres: Como é do conhecimento comum nos dias que correm, o poder antioxidante de alguns alimentos é essencial no combate ao excesso de radicais livres no nosso organismo. Este tipo de alimentos ricos em antioxidantes têm sido muito procurados pela ajuda a combater e a prevenir doenças, como é o caso do cancro. A batata doce faz parte da vasta lista de alimentos ricos em antioxidantes. 

7º Promove o bom funcionamento do sistema digestivo: Como referido anteriormente a batata doce é uma excelente fonte de fibras. Como tal é uma óptima forma de ajudar a manter o bom funcionamento do sistema digestivo, incluindo a batata doce na sua dieta alimentar. 

8º - Previne algumas doenças oculares: A Vitamina A presente na batata doce é muito importante para a nossa visão. Alguns estudos revelaram que o consumo deste alimento obteve excelentes resultados na preservação da visão com o passar do tempo.